Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/82238
Title: A Deformação Miocárdica Avaliada por Speckle-tracking Consegue Excluir Lesões Coronárias Significativas em Doentes com Angina Instável
Other Titles: Myocardial Strain Analysis Assessed By Speckle-tracking Is Able To Exclude Significant Coronary Lesions In Patients With Unstable Angina
Authors: Santo, Nuno Miguel Martins do Espírito 
Orientador: Gonçalves, Lino Manuel Martins
Baptista, Rui Miguel Terenas Lança
Keywords: Angina instável; Deformação miocárdica; Speckle-tracking em ecocardiografia bidimensional; Doença arterial coronária; Performance diagnóstica; Unstable angina; Global longitudinal strain (GLS); Myocardial strain; 2D speckle-tracking echocardiography; Coronary artery disease
Issue Date: 9-Jun-2017
Serial title, monograph or event: A Deformação Miocárdica Avaliada por Speckle-tracking Consegue Excluir Lesões Coronárias Significativas em Doentes com Angina Instável
Place of publication or event: Centro Hospitalar e Universitário de Coimbra
Abstract: BACKGROUND: With the introduction of high-sensitivity troponin (hsTNI) assays, the predictive value of unstable angina (UA) for the presence of significant coronary lesions is doubtful. We hypothesised that left ventricular (LV) 2D speckle-tracking (2D-STE)-derived peak global longitudinal strain (GLS) would be able to differentiate patients with and without significant coronary artery disease (CAD) among UA patients without prior CAD and a normal LV ejection fraction (LVEF).METHODS: From a cohort of 150 patients consecutively admitted in a Coronary Care Unit for suspected UA, we found 114 patients with a definitive diagnosis of UA. From this group, we selected the 21 patients who had no history of prior CAD and underwent coronary angiography. These patients were divided in 2 groups: 10 patients with significant coronary lesions and 11 patients without significant coronary lesions, evaluated by coronary angiography. The LV GLS was assessed by 2D-STE through the software EchoPac version 113 (GE).RESULTS: The group of patients without coronary lesions had better GLS values (more negative) than the group of patients with at least one significant coronary lesion [-21.6% ± 5.4% (median: -21.5%; IQR: 7.7%) vs -16.4% ± 5.1% (median: -16.6%; IQR: 8.9%), P = 0.035]. A cut-off of -17.65% had a sensibility of 70% and a specificity of 82% for identify patients with significant coronary lesions (AUC 0.73; CI 95% 0.50 – 0.95). The odds ratio for the presence of significant coronary lesions was 10.5 (CI 95% 1.4 – 81.1; P = 0.017) for the patients with GLS greater than -17.65%.No significant difference in the LVEF was found between the 2 groups.CONCLUSIONS: More negative GLS values were found to be associated with a lower probability of significant coronary lesions in patients with UA without a prior history of CAD. This finding may aid in the identification of a very low risk cohort, among patients with UA, who may not require coronary angiography or ischemia testing before hospital discharge.
INTRODUÇÃO: Com a introdução das troponinas de alta sensibilidade (TNIas), o valor preditivo da síndrome de angina instável (AI) para a presença de lesões coronárias significativas não é claro. Neste estudo, colocámos a hipótese de que a deformação miocárdica longitudinal (global longitudinal strain - GLS) do ventrículo esquerdo (VE), avaliada por speckle-tracking em ecografia bidimensional (2D-STE), teria capacidade de diferenciar doentes com e sem lesões coronárias significativas, numa coorte de doentes com AI sem antecedentes de doença arterial coronária (DAC) e fração de ejeção do ventrículo esquerdo (FEVE) preservada.MÉTODOS: De uma coorte de 150 doentes consecutivamente admitidos numa Unidade de Cuidados Intensivos Coronários com suspeita de AI, selecionamos os 114 doentes que tinham diagnóstico definitivo de AI. Deste grupo, incluímos no nosso estudo os 21 doentes que não apresentavam história de DAC e que foram sujeitos a angiografia coronária. Estes 21 doentes foram divididos em 2 grupos: 10 doentes com lesões coronárias significativas e 11 doentes sem lesões coronárias significativas na coronariografia. O GLS do VE foi avaliado por 2D-STE através do software EchoPac versão 113 (GE).RESULTADOS: O grupo de doentes sem lesões coronárias significativas apresentou melhores valores de GLS (mais negativos) relativamente ao grupo de doentes que tinham pelo menos 1 lesão coronária significativa [-21,6% ± 5,4% (mediana: 21,5%; intervalo inter-quartis: 7,7%) vs -16,4% ± 5,1% (mediana: -16,6%; intervalo inter-quartis: 8,9%), P = 0.035]. Um limiar de -17,65% apresentou uma sensibilidade de 70% e uma especificidade de 82% na identificação dos doentes com lesão coronária significativa (AUC 0,73; IC 95% 0,50-0,95). Os doentes com um GLS superior a -17,65% foram associados a uma probabilidade 10,5 vezes superior de terem lesões coronárias significativas, relativamente aos doentes com GSL inferior a este limiar (odds ratio de 10,5; IC 95% 1,4 – 81,1; P = 0,017).Não se verificaram diferenças significativas nos valores da FEVE entre os 2 grupos.CONCLUSÕES: Valores mais negativos de GLS encontraram-se associados a uma menor probabilidade de existência de lesões coronárias significativas em doentes com AI sem antecedentes de DAC e com FEVE preservada. Tal poderá auxiliar na identificação de uma coorte de muito baixo risco, entre os doentes com AI, que poderá não requerer coronariografia ou teste de isquémia antes da alta hospitalar.
Description: Trabalho de Projeto do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/82238
Rights: closedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Show full item record

Page view(s)

371
checked on Jul 9, 2020

Download(s) 50

346
checked on Jul 9, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons