Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/82013
Title: Adesão à Terapêutica, Capacitação, Qualidade de Vida: relação com o controlo da Hipertensão Arterial
Other Titles: Therapeutic Adhrence, Enablement, Quality of Life: relation with control of Arterial Hypertension
Authors: Pereira, Pedro Nuno Sousa 
Orientador: Caetano, Inês Rosendo Carvalho e Silva
Santiago, Luiz Miguel de Mendonça Soares
Keywords: Hipertensão Arterial; Adesão à Terapêutica; Capacitação; Qualidade de Vida; Controlo da Hipertensão Arterial; Arterial Hypertension; Enablement; Compliance; Quality of Life; Control of Arterial Hypertension
Issue Date: 20-Mar-2018
Serial title, monograph or event: Adesão à Terapêutica, Capacitação, Qualidade de Vida: relação com o controlo da Hipertensão Arterial
Place of publication or event: Faculdade de Medicina de Coimbra, USF Topázio, USF Cruz de Celas e UCSP Fernão Magalhães
Abstract: Introdução – A Hipertensão Arterial para além de ser um importante factor de risco, é responsável pelo desenvolvimento de doenças cardiovasculares que constituem a principal causa de morbi-mortalidade em Portugal. Tratando-se de um importante problema de Saúde Pública, existe a necessidade dos doentes hipertensos, tendo em vista atingir o controlo da tensão arterial, apresentarem uma elevada adesão à terapêutica, uma boa capacitação, de onde decorrerá uma boa qualidade de vida em saúde. Deste modo, o presente estudo tem como objectivo averiguar a distribuição entre doentes com HTA controlada e doentes com HTA não controlada e as variáveis adesão à terapêutica, capacitação e qualidade de vida.Métodos – Estudo observacional com intenção analítica, em amostra de utentes hipertensos seguidos em três unidades de saúde de Medicina Geral e Familiar. Foi aplicado um formulário de recolha de informação – autopercepção de controlo da Pressão Arterial e outras variáveis epidemiológicas e com questionários sobre a Capacitação na Hipertensão Arterial – seis questões -, adesão à terapêutica – Morisky Medication Adherence Scale de quatro itens - e Qualidade de Vida EQ-5D – 5 perguntas. A última questão, a preencher pelo profissional de saúde tendo por base a avaliação do valor da tensão arterial do doente no dia da consulta, servia para aferir o controlo da HTA. Foi calculado o tamanho da amostra. Realizou-se análise estatística e inferencial paramétrica e não paramétrica.Resultados – Foi estudada uma amostra de 207 utentes hipertensos, predominantemente do género feminino, de idade superior ou igual a 68 anos de idade e com baixa formação académica. No grupo mais idoso, verificou-se um maior controlo da HTA (p= 0,013). Houve uma maior auto-percepção do controlo, naqueles que tinham a HTA controlada pelos valores medidos pela equipa de saúde (p< 0,001). Foi constatado elevada adesão à terapêutica na população hipertensa com controlo (p< 0,001). Também se observou uma correlação significativa entre a capacitação e o controlo da HTA (p= 0,040).Discussão e Conclusão – Este estudo sugere que, nesta amostra, uma elevada adesão à terapêutica farmacológica, uma boa capacitação na Hipertensão, bem como uma boa auto-percepção do controlo contribuem para o controlo da HTA. Como tal, o doente deve ser o centro da atenção nos Cuidados de Saúde Primários no sentido de incrementar a sua capacidade de lidar com a sua doença, adesão na toma da medicação prescrita e a sua contínua preocupação em manter o controlo desta patologia. Porém, não foi obtida significância estatística entre a Qualidade de Vida em saúde e a amostra com controlo da HTA aferida pelo médico, que pode ser factor para menor percepção da importância da HTA.
Introduction – In addition to being an important risk factor, Arterial Hypertension is responsible for the development of cardiovascular diseases which are the main cause of morbidity and mortality in Portugal. Since this is an important matter of public health, hypertensive patients must, in order to achieve control of blood pressure, have a high therapy compliance, good enablement which will lead to a good quality of life in health. Thus, the present study aims to ascertain the distribution between patients with controlled hypertension and patients with uncontrolled hypertension and the variables adherence to therapy, enablement and quality of life.Methods – An observational study with analytical intent in a sample of hypertensive patients followed at three family health units. An information collection form was applied - self-perception of blood pressure control and other epidemiological variables and with questionnaires on Enablemet in Arterial Hypertension - six questions - adherence to therapy - Morisky Medication Adherence Scale of four items - and Quality of Life EQ-5D - 5 questions. The last question was filled by the health professional based on the evaluation of the patient's blood pressure value on the day of the consultation, was used to assess the control of hypertension. The sample size was calculated. Parametric and non-parametric statistical and inferential analysis were performed.Results – The sample consisted of 207 hypertensive patients, predominantly female, older than or equal to 68 years of age and with low academic attainment. In the older group, there was a greater control of the Arterial Hypertension (p = 0.013). There was a greater self-perception of control in those who actually had their Arterial Hypertension controlled by the values measures by healthcare team (p<0.001). There was a high adherence to therapy in the hypertensive population that achieved control (p<0.001). There was also a significant correlation between enablement and control of hypertension (p = 0.040).Discussion and Conclusion – This study suggests that in this sample, high adherence to pharmacological therapy, good enablement in hypertension, as well as good self-perception of control contribute to the control of hypertension. As such, the patient should be the center of attention in Primary Health Care in order to increase their ability to cope with their illness, adherence to prescribed medication and their continued concern to maintain control of this pathology. However, no statistical significance was obtained between the Quality of Life in health and the sample with control of the AHT ascertained by the physician, which may be a factor for a lower perception of the importance of hypertension.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/82013
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Trabalho Final - Pedro Nuno Pereira.pdf702.94 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

422
checked on Oct 1, 2020

Download(s) 50

408
checked on Oct 1, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons