Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/81986
Title: Cuidados primários no idoso: dependência funcional e a visita médica domiciliária
Other Titles: Elderly primary health care: functional dependency and physician house call
Authors: Silva, Vera Cláudia Miranda 
Orientador: Madanelo, Inês Coutinho Oliveira de Lima
Santiago, Luiz Miguel de Mendonça Soares
Keywords: Idoso; Cuidados Primários de Saúde; Dependência Funcional; Atividades de Vida Diária; Visita Médica Domiciliária; Aged; Primary Health Care; Disability Evaluation; Activities of Daily Living; House Calls
Issue Date: 15-Jun-2018
Serial title, monograph or event: Cuidados primários no idoso: dependência funcional e a visita médica domiciliária
Place of publication or event: Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
Abstract: Background: Portugal is one of the oldest countries in the European Union, being the population group aged 75 or older the one which is currently growing at a faster rate. The great majority of the elderly people agree that the maintenance of functional capacity is more important than the absence of disease. Taking this into account, their appreciation should guide the primary health care in General and Family Medicine, with the emergence of the physician’ house calls as a good strategy in this age group. Methods: Observational and descriptive study performed in a population aged 75 or older, with active follow-up during the year 2017 in two kinds of primary health care (USF and UCSP), both belonging to the Health Centers Grouping (ACeS) Dão-Lafões. The sample was grouped according to the organization model (USF model A; USF model B; UCSP) and the territorial context (rural; urban) of the follow-up units. For each group, it was calculated the proportion of people aged 75 or older; the medical resource to the Barthel Index (BI) was characterized as a functional dependency for activities of daily living (ADL) registry; it was measured the ratio physician/patient and the number of physician’ house calls for patient. Results: Sample of 32810 individuals, 60,8% female, with average age of 82,1  5,35 years old, corresponding to 13,7% of all users in the active follow-up. The largest portion of users is under the care of UCSP (15,7%). The BI was filled in 1333 of the patients (4,1% of the sample), of which 45,1% have shown intermediate dependence for ADL. The USF model B in urban context filled more the BI (5,0%) and also showed the highest proportion of users with severe functional dependence (40,5%). Physicians' house calls accounted for 2,5% of all medical consultations and registered a higher frequency in USF model A and model B, both in urban context, along with the highest proportion of physician / patient aged 75 years or older (0,5%). Conclusion: ACeS Dão-Lafões is older comparing to national statistics. The discrepancy between the proportion of old patients regarding the organizational models and the territorial context of the primary care units is noteworthy. In all groups studied, we found a poor adherence to the BI instrument and the physicians' house calls as a form of elderly care.
Introdução: Portugal é um dos países mais envelhecidos da União Europeia, sendo o grupo populacional com 75 ou mais anos aquele que atualmente cresce a um ritmo mais acelerado. Para a maioria dos idosos a manutenção da capacidade funcional é mais importante que a ausência de doença, de tal modo que a sua valorização deverá orientar a prestação de cuidados de saúde em Medicina Geral e Familiar, emergindo a visita médica domiciliária como uma boa estratégia neste grupo etário. Métodos: Estudo observacional e descritivo realizado numa população de idosos com 75 ou mais anos, com seguimento ativo durante o ano de 2017 nas Unidades de Saúde Familiar (USF) e Unidades de Cuidados de Saúde Personalizados (UCSP) pertencentes ao Agrupamento de Centros de Saúde (ACeS) Dão-Lafões. A amostra foi agrupada de acordo com o modelo de organização (USF modelo A; USF modelo B; UCSP) e o contexto territorial (rural; urbano) das unidades de seguimento. Para cada grupo foi calculada a proporção de idosos com 75 ou mais anos; foi caraterizado o recurso médico ao Índice de Barthel (IB) como registo da dependência funcional para as atividades de vida diária (AVD); aferido o rácio médico/ utente e calculado o número de visitas médicas domiciliárias por utente. Resultados: Amostra de 32810 indivíduos, 60,8% do sexo feminino, com idade média de 82,1  5,35 anos, correspondendo a 13,7% de todos os utentes em seguimento ativo. A maior parcela de utentes está ao cuidado de UCSP (15,7%). Foi preenchido o IB em 1333 dos utentes (4,1% da amostra) dos quais 45,1% apresentavam dependência intermédia para as AVD. As USF modelo B em contexto urbano preencheram mais o IB (5,0%) e apresentaram a maior proporção de utentes com dependência funcional severa (40,5%). As VMD corresponderam a 2,5% de todas as consultas médicas e registaram maior frequência nas USF modelo A e modelo B, ambas em contexto urbano, a par da maior proporção de médico/utente com 75 ou mais anos (0,5%). Conclusão: O ACeS Dão-Lafões encontra-se mais envelhecido relativamente à estatística nacional. É notável a discrepância da proporção de utentes idosos entre os modelos de organização e o contexto territorial das unidades de cuidados primários. Em todos os grupos estudados, verificamos uma fraca adesão ao instrumento IB e à VMD como forma de cuidados ao idoso.
Description: Trabalho Final do Mestrado Integrado em Medicina apresentado à Faculdade de Medicina
URI: http://hdl.handle.net/10316/81986
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Cuidados primários no idoso- VERA MIRANDA.pdf1.89 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

408
checked on Jul 2, 2020

Download(s) 50

396
checked on Jul 2, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons