Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/819
Title: Dieta com Colesterol e Conteúdo de Noradrenalina em Artérias de Coelho
Other Titles: Cholesterol Diet and Noradrenaline Content in Rabbit Arteries
Authors: Almeida, Luís Manuel da Costa Marques de 
Orientador: Teixeira, Frederico
Keywords: Ciências Fisiológicas (Terapêutica Geral)
Issue Date: 1998
Abstract: Alguns autores, baseados unicamente em aminas exógenas e em níveis plasmáticos endógenos, atribuem às catecolaminas um papel determinante nos mecanismos subjacentes à aterosclerose. Principais objectivos da tese: 1) Relacionar o conteúdo arterial de noradrenalina com dietas com colesterol (0,1% ou 0,2%), tempo de dieta e mecanismos subjacentes à afecção; 2) Estudar um modelo experimental de hipercolesterolemia com perturbações precoces morfológicas, bioquímicas e funcionais, prévias ou simultâneas com as lesões ateroscleróticas de gravidade ligeira; 3) Relacionar três tipos de parâmetros: dislipidémicos, morfológicos (aorta) e adrenérgicos. Coelhos albinos neozelandeses foram alimentados com dietas contendo baixas concentrações de colesterol, suficientes para se induzir hipercolesterolemia e lesões ligeiras mas raramente lesões avançadas de aterosclerose. A dieta com colesterol induz hipercolesterolemia, hiperfosfolipidemia (associação muito significativa entre ambas) e aumento da razão sérica colesterol:fosfolípidos. Enquanto a hipercolesterolemia não é bem reflectida em membranas (eritrocitárias, plaquetares e de aorta), a razão sérica colesterol:fosfolípidos é, desde que nesses cálculos (regressão) se usem alguns parâmetros citométricos. Na dependência do tempo de dieta com colesterol, o aumento da razão colesterol:fosfolípidos no soro reflecte-se no estado físico membranar. O tempo de exposição a uma dieta com colesterol e, principalmente, a concentração de colesterol na dieta aumentam a incidência, a área e a disseminação das lesões ligeiras de aterosclerose nos segmentos de aorta. No grupo sujeito a dieta com 0,2% de colesterol, enquanto a artéria e a veia femorais e a artéria renal exibem conteúdos de noradrenalina significativamente aumentados, as artérias mesentérica, carótida e aorta, não demonstram qualquer aumento. Estudámos sobretudo três artérias: a aorta, porque muito propensa a lesões ateroscleróticas e um dos principais vasos de condutância; a carótida, por esta mesma razão mas por não ser susceptível às referidas lesões; a femoral, por ser um vaso muito importante de resistência. No grupo-controlo (série cujo grupo de tratamento foi sujeito a 0,1% de colesterol) e no grupo alimentado durante três meses com dieta de 0,2% de colesterol, surgem lesões avançadas ou complicadas de aterosclerose. Com ambas as concentrações, quer a noradrenalina quer a adrenalina são significativamente mais efluídas pela aorta, sobretudo em condições basais. Aos três meses de dieta com colesterol, a aorta e a carótida não acumulam noradrenalina, contrariamente à artéria e veia femorais. Aos seis e nove meses, as duas primeiras artérias acumulam-na e a artéria femoral não. Esta acumulação parece depender da hipercolesterolemia. Subitamente, aos doze meses de dieta com 0,1% de colesterol, o conteúdo na aorta diminui significativamente. Três explicações são admissíveis: enquanto o conteúdo aórtico de noradrenalina no grupo-controlo será menos sensível à variação da colesterolemia, o mesmo conteúdo no grupo sujeito a dieta de colesterol será muito sensível à variação da colesterolemia; uma desnervação simpática, menos plausível; uma disfunção, sugerida por um comportamento idêntico na artéria mesentérica. Quando quatro artérias são submetidas a perifusão sob inibição da captação neuronial e extraneuronial e da actividade da MAO, a hipercolesterolemia interfere muito com o conteúdo de noradrenalina. O colesterol e as catecolaminas parecem contribuir concertadamente para a aterosclerose.
URI: http://hdl.handle.net/10316/819
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Doutoramento

Show full item record

Page view(s) 50

371
checked on Sep 22, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.