Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/81641
Title: Vilas olímpicas: O legado olímpico como catalisador de transformação urbana
Other Titles: Olympic villages: the olympic legacy as a catalyst for urban transformation
Authors: Mendo, Vera Lúcia Simões 
Orientador: Gonçalves, José Fernando de Castro
Keywords: Megaevento; Jogos Olímpicos; Vilas Olímpicas; Renovação Urbana; Mega-event; Olympic Games; Olympic Villages; Urban Renewal
Issue Date: 7-Sep-2017
Serial title, monograph or event: Vilas olímpicas: O legado olímpico como catalisador de transformação urbana
Place of publication or event: departamento de arquitetura - FCTUC
Abstract: A organização e hospedagem de um megaevento é considerada como uma oportunidade para realizar operações de desenvolvimento urbano e apesar do seu caráter temporário, a sua concretização proporciona uma visível marca física na cidade anfitriã, tornando-se muitas vezes uma justificação oportuna para a renovação da paisagem urbana. Os jogos olímpicos constituem megaeventos desportivos que proporcionam às cidades que os acolhem condições excecionais de financiamento para desenvolver o seu território, pelo que as cidades anfitriãs dos jogos olímpicos aproveitam muitas vezes esta oportunidade para os utilizarem como uma ferramenta no planeamento da estratégia urbana e num catalisador de transformações e renovações urbanas. O melhor exemplo desse aproveitamento é a criação das vilas olímpicas, que, mais do que um simples local para alojar atletas e representantes, se torna, durante a realização dos jogos, num lugar de intercâmbio cultural, onde convivem diferentes povos e culturas, passando, nos pós jogos, a albergar a população da cidade, como parte do seu legado olímpico. Neste estudo, usando como casos de estudo as vilas olímpicas das cidades europeias de Londres e Barcelona, propomo-nos analisar a forma como evoluiu a organização destes megaeventos, ao ponto de se tornarem numa ferramenta chave que permite transformar as cidades onde se realizam, criando uma marca para a cidade anfitriã e promovendo de forma global a sua imagem.
Organizing and hosting a mega event is considered as an opportunity to carry out urban development operations and despite its temporary nature, its implementation provides a visible physical mark in the host city, often becoming a timely justification for the renewal of urban landscape. The Olympic Games are mega-sport events that provide the host cities with exceptional financing conditions to develop their territory, so that the host cities of the Olympic Games often take this opportunity to use them as a tool in urban strategy planning and in a catalyst of transformations and urban renewals. The best example of this use is the creation of the Olympic villages, which, from a simple place to accommodate athletes and representatives, becomes, during the games, a place of cultural exchange, where different peoples and cultures coexist, and which, after the games, would house the city’s population as part of its Olympic legacy. In this study, using as case study the olympic villages of european cities of London and Barcelona, we propose to analyse how the organization of these mega events has evolved, to the point of becoming a key tool that allows transforming the cities where they take place, creating a brand for the host city and promoting its image in a global way.
Description: Dissertação de Mestrado Integrado em Arquitetura apresentada à Faculdade de Ciências e Tecnologia
URI: http://hdl.handle.net/10316/81641
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Dissertação Vera Mendo.pdf8.02 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

435
checked on Sep 28, 2020

Download(s) 50

445
checked on Sep 28, 2020

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons