Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/81343
Title: Comorbilidades na perturbação afectiva bipolar
Authors: Fernandes, Marta Gonçalves 
Orientador: Abreu, Pio
Valente, José
Keywords: Disturbio bipolar; Comorbilidade
Issue Date: Mar-2011
Abstract: Introdução: A perturbação bipolar é uma perturbação grave, crónica, incapacitante e difícil de tratar, com elevado impacto na vida social, familiar e profissional do doente e com elevados custos para o próprio e para a sociedade. Está associada a elevada morbilidade e mortalidade, com uma diminuição significativa da qualidade de vida. As comorbilidades são muito comuns na perturbação bipolar, sendo que a maioria tem pelo menos uma comorbilidade e muitos têm mais de uma. Objectivos: Este trabalho pretende sintetizar o que existe na literatura sobre comorbilidades psiquiátricas na perturbação bipolar, nomeadamente com as perturbações do eixo I, bem como realçar as suas implicações clínicas. Métodos: Para a realização do mesmo, consultaram-se artigos científicos publicados e referenciados na MedLine/ PubMed. Resultados: A perturbação bipolar apresenta uma probabilidade duas vezes maior de ser acompanhada por outra perturbação psiquiátrica do eixo I, do que existir isoladamente, sendo raros os casos puros desta patologia. A literatura estabelece uma elevada co-ocorrência com as perturbações pela utilização de substâncias, perturbações de ansiedade, perturbações do comportamento alimentar e ainda perturbação de hiperactividade com défice de atenção. A comorbilidade das perturbações por utilização de substâncias é maior nos doentes do sexo masculino, enquanto no sexo feminino prevalecem as perturbações de ansiedade e as perturbações alimentares. De um modo geral, as comorbilidades influenciam negativamente o curso da doença e estão associadas a uma idade de início mais precoce, a um pior prognóstico, a episódios mais graves e longos, a uma remissão clínica mais difícil de atingir e de duração mais curta, maiores dificuldades no tratamento, com resultados mais pobres, menor adesão e maior número de complicações, assim como maior prevalência de co-ocorrência de outras comorbilidades, nomeadamente de outras perturbações do eixo I. Conclusões: As comorbilidades na perturbação bipolar podem dificultar e atrasar o diagnóstico, acelerar o início da doença e dificultar a recuperação quer a curto, quer a longo prazo. Assim, estes doentes devem ser cuidadosamente avaliados, pois apresentam um risco elevado de desenvolverem comorbilidades do eixo I ao longo da vida. Por outro lado, também se deve ter em atenção que os doentes com diagnósticos de perturbações do eixo I, devem ser estudados para verificar a possibilidade de co-ocorrência de bipolaridade, assegurando, deste modo, uma intervenção adequada.
Introduction: The bipolar disorder is a severe, chronic, incapacitating and difficult to treat disorder, with a high impact on the social, family and professional life of patients and elevated costs both for the patient and society. It’s associated with high morbidity and mortality and with a significant decrease in the quality of life. Comorbidities are common in the bipolar disorder; being that most patients have at least one comorbidity e many have more than one. Objectives: This project intends to summarize the existing literature about psychiatric comorbidities in the bipolar disorder, particularly with disorders of axis I and highlight their clinical implications. Methods: In order to execute this project, published and referenced in MedLine/PubMed scientific articles were consulted. Results: The probability of the bipolar disorder co-existing with another psychiatric disorder of axis I is twice as big as it existing alone, being very rare pure cases of this pathology. The literature establishes a strong co-existence of bipolar disorder with disorders caused by the use of substances, anxiety disorders, eating disorders and attention deficit and hyperactivity disorder. The comorbidity of substance use disorders is greater in male patients, whereas in female patients it is the anxiety and eating disorders that prevail. In general terms, the comorbidities negatively influence the course of the illness and are associated with an earlier age of onset, a worse prognostic, more serious and longer episodes, a harder to achieve clinical remission with a shorter duration, more difficulties in treatment with worse results, less adhesion and a larger number of complications, and also a stronger co-existence of other comorbidities, particularly of other axis I disorders. Conclusions: In bipolar disorder the existence of comorbidities can complicate and delay the diagnosis, accelerate the beginning of the illness and complicate the recovery both in short and long terms. So, these patients should be carefully evaluated because they present a high risk of developing comorbidities of axis I throughout life. On the other hand, it should also be taken into account that patients diagnosed with axis I disorders, should be studied to verify the possibility of occurring bipolarity, making sure, in this way, that an adequate intervention is prepared.
Description: Trabalho final de mestrado integrado em Medicina área de Psiquiatria, apresentado á Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/81343
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Capa.doc59 kBMicrosoft WordView/Open
Tese.pdf323.27 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

214
checked on Jul 9, 2020

Download(s)

58
checked on Jul 9, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.