Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/81329
Title: Comparação da incidência da endometriose em mulheres inférteis e mulheres sem problemas de infertilidade
Authors: Dutra, Joana Miguel 
Orientador: Costa, Maria Isabel Ribeiro dos Reis Torgal
Keywords: Endometriose; Infertilidade feminina; Ginecologia
Issue Date: Mar-2012
Abstract: Endometriose é uma patologia ginecológica, estrogeniodependente, caracterizada pela presença de tecido endométrico ectópico. Pode ser assintomática, mas normalmente está associada a dor pélvica, infertilidade ou à presença de massas anexiais. É essencialmente uma doença da mulher em idade reprodutiva, afectando cerca de 10% desta população, o que pode ser explicado pelo meio estrogénico fortemente implicado na sua patogénese. Ainda não se conhecem todos os mecanismos etiopatogénicos, mas factores como a idade, a informação genética, o ciclo menstrual, o estilo de vida, exposições ambientais e outras características estão implicados na origem e desenvolvimento da doença. A endometriose e a infertilidade estão associadas clinicamente, contudo permanece controversa a relação causa-efeito entre ambas e não existe consenso de qual a melhor estratégia terapêutica a se preconizar. Infertilidade é por definição a incapacidade de conceber depois de um ano de relações desprotegidas e regulares e as suas causas são multifactoriais, envolvendo o homem e a mulher. A prevalência de endometriose em mulheres inférteis estima-se entre os 25-50%, e 30-50% das mulheres com endometriose são inférteis. Por outro lado, apenas 0,5-5% das mulheres férteis têm endometriose. Acredita-se que a prevalência de endometriose tem vindo a aumentar nos últimos anos (embora existam poucos estudos nesse sentido), bem como a prevalência de endometriose associada à infertilidade. Para além do aumento do número de diagnósticos existe também uma aparente diminuição da idade de diagnóstico
Endometriosis is a gynecological disease, estrogen-dependent, defined as the presence of endometrial tissue outside of the uterine cavity. It can be asymptomatic, but usually has pelvic pain, infertility or adnexal masses associated. It affects up to 10% of reproductive-aged women, essentially, which can be explained by the estrogenic milieu, tightly associated to its pathogenesis. We don’t know yet every etiopathogenetic mechanisms of endometriosis, but factors as age, genetic factors, menstrual parameters, lifestyle factors, environmental exposures and a number of other characteristics may be implicated in its origin and growth. Endometriosis and infertility are associated clinically, though uncertainty persists over the causal relation between the two, and agreement about treatment options has been difficult to establish. Infertility is defined as the inability to conceive after one year of unprotected and regular intercourse, and its causes are multifactorial, involving both men and women. Endometriosis has a prevalence of 25-50% in infertile women, and 30-50% of women with endometriosis are infertile. On the other hand, only 0.5-5% of fertile women has endometriosis. Although there is few data, it believes that the prevalence of endometriosis is rising, as well as its prevalence associated with infertility. There is so a decrease at the age of the diagnostic.
Description: Trabalho final de mestrado integrado em Medicina área científica de Ginecologia, apresentado á Faculdade de Medicina a Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/81329
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
6_ano_MIM_-_Trabalho_Final_-_Capa1.doc59.5 kBMicrosoft WordView/Open
Tese.pdf380.88 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

133
checked on Sep 23, 2020

Download(s)

56
checked on Sep 23, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.