Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/81227
Title: Terapêutica hormonal de substituição na mulher e doença cardiovascular
Authors: Ferro, Mélanie Pedreiro 
Orientador: Ferreira, Maria João Vidigal
Santos, Ana Teresa Almeida
Keywords: Terapêutica de substituição de hormonas; Doenças cardiovasculares; Menopausa; Estrogénios
Issue Date: Mar-2012
Abstract: A doença cardiovascular é a uma das principais causas de mortalidade em mulheres com idade superior a 65 anos, no mundo ocidental. Em 2006, em Portugal, o número de mortes atribuídas a doenças do aparelho circulatório foi de 18137 mulheres e 14856 homens. A mulher pré-menopausa apresenta menor risco de doença cardiovascular comparativamente ao homem, sendo que esta diferença desaparece gradualmente após a menopausa. Acredita-se que este facto esteja parcialmente relacionado com a diminuição dos efeitos cardioprotectores dos estrogénios. Por esta razão, a terapia hormonal de substituição e os seus possíveis benefícios na mulher, após a menopausa, tornaram-se temas populares de pesquisa. Em 2004, após a publicação dos resultados do estudo “Women’s Health Initiative”, a terapia hormonal de substituição deixou de ser recomendada pelos seus efeitos cardioprotectores, dado não ter sido comprovado qualquer benefício cardiovascular e com ela surgir um o risco acrescido de carcinoma da mama e tromboembolia pulmonar. No entanto, até aí, vários estudos observacionais pareciam demonstrar a diminuição da incidência de doença coronária em mulheres sob terapia hormonal de substituição. Não deixando assim de ser um tema associado a alguma controvérsia, entendeu-se ser pertinente uma revisão bibliográfica actualizada acerca da terapêutica hormonal de substituição e doença cardiovascular
Ischemic heart disease is one of the major causes of death in the western countries for women above the age of 50. During the year of 2006, in Portugal, the number of deaths accounted to circulatory system diseases (which includes ischemic heart disease) totaled 18137 women and 14856 men. In general, women have a lower risk of developing cardiovascular disease when compared to men but this difference begins to fade after menopause. It is believed that in part this is related to a decrease in estrogen levels and its cardio protective effects. For this reason, hormone replacement therapy is considered to be a possible solution for the problem and has become a popular area of research. In 2004, a study by the “Women’s Health Initiative” concluded that there was no evidence that HRT presented any benefit to the cardiovascular system and pointed out the increased risk of breast cancer and pulmonary thromboembolism. However, until then, several observational studies seemed to show a lower incidence of coronary heart disease in women on hormone replacement therapy. Due to this controversial relation between cardiovascular disease risk and hormone replacement therapy in women, the present work focus on a literature review on this theme.
Description: Trabalho final de mestrado integrado em Medicina área científica de Cardiologia, apresentado á Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/81227
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
FINAL.pdf1.07 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

111
checked on Jul 9, 2020

Download(s)

114
checked on Jul 9, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.