Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/80910
Title: Interrogando a 'Terceira África': colonialismo, capitalismo e nacionalismo branco em África Austral
Authors: Meneses, Maria Paula 
Gomes, Catarina Antunes 
Keywords: Colonialismo; Capitalismo; Angola; Moçambique
Issue Date: 2014
Publisher: CEI, ISCTE-IUL
Serial title, monograph or event: African Dynamics in a Multipolar World: 5th European Conference on African Studies - Conference Proceedings
Place of publication or event: Lisbon
Abstract: Na última metade do século XX, a cartografia de poder no cone austral do continente africano mostra uma complexa realidade, onde se destaca a África do Sul, independente desde o início do século e controlada por um governo de minoria branca até finais do séc. XX, a Rodésia do Sul, com uma independência unilateral declarada em 1965 e o ‘protetorado’ do Sudoeste africano, sob tutela sul-africana. Essa cartografia mostra também que, em 1974, parte significativa da população branca no continente estava concentrada no extremo austral, em Moçambique, Angola, África do Sul e Rodésia e que Angola e Moçambique representavam, juntamente com o Sudoeste Africano, uma zona tampão de segurança fundamental para os regimes minoritários brancos da Rodésia e da África do Sul. Esta realidade extremamente complexa irá influenciar as alianças políticas e militares na região, assim como os processos de ‘descolonização’ e independência das colónias portuguesas de Angola e Moçambique. De fato, uma análise mais profunda e detalhada destes processos históricos desvela os embates fraturantes entre distintos projetos de independência e de descolonização dos territórios ultramarinos de Angola e Moçambique – uns de cariz neocolonial, guiados pelos propósitos de manter os futuros países na esfera de influência direta de Portugal, assegurando, por essa via, e em estreitas relações com as potências coloniais da região, a sua exploração capitalista; outros que pugnavam por independências efectivamente africanas com a indispensável transferência de soberania. A presente comunicação procurará mostrar como aos projectos de carácter neocolonial está associada a emergência de formas de nacionalismo branco que almejavam a perpetuação da condição de dominação dos territórios de Angola e Moçambique. Esses projectos serão analisados à luz dos jogos regionais, os quais ambicionavam edificar uma ‘Terceira África’ – para utilizar a expressão de Eschel Rhoodie (1968), sob o jugo do poder branco. Neste sentido também, a comunicação irá dar particular realce às formas pelas quais a estes ensejos neocoloniais se aliam importantes não projetos e relações do capitalismo internacional, desempenhando, a este nível, um papel de relevo não só as potências coloniais da região, mas também os interesses do capital do Ocidente
URI: http://hdl.handle.net/10316/80910
ISBN: 978-989-732-364-5
Rights: openAccess
Appears in Collections:I&D CES - Artigos e Resumos em Livros de Actas

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Interrogando a Terceira Africa.pdf265.79 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

315
checked on Aug 16, 2022

Download(s)

106
checked on Aug 16, 2022

Google ScholarTM

Check

Altmetric


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.