Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/80323
Title: Tratamento da disfunção eréctil no idoso
Authors: Soeiro, Diogo Correia 
Orientador: Veríssimo, Manuel Teixeira
Parada, Belmiro Ataíde da Costa
Keywords: Disfunção eréctil; Terapêutica; Epidemiologia; Idoso
Issue Date: 2011
Abstract: O envelhecimento é caracterizado por uma diminuição da função, diminuindo a capacidade de resposta ambiental e, reciprocamente, por um aumento da susceptibilidade a doenças relacionadas com a idade e maior mortalidade. O envelhecimento do sistema reprodutivo masculino pode dar origem a manifestações clinicamente relevantes, tais como disfunção eréctil, que têm um impacto significativo no bem-estar geral dos idosos. A disfunção eréctil definida como "a incapacidade de atingir ou manter uma erecção suficiente para um desempenho sexual satisfatório" está fortemente associada com o envelhecimento, embora não seja uma consequência inevitável do envelhecimento. Condições relacionadas com a idade aumentam a probabilidade de sua ocorrência e também podem ser uma consequência do estilo de vida. A disfunção eréctil é considerada um sintoma de muitas condições e vários factores de risco foram identificados, tais como obesidade, diabetes mellitus, hipogonadismo em associação com uma série de condições endocrinológicas, hipertensão arterial, doença vascular, dislipidémia e depressão. É estimado para 2025 uma prevalência de 322 milhões de homens com disfunção eréctil. A disfunção eréctil é fortemente preditiva de subsequentes eventos cardiovasculares ateroscleróticos. A avaliação da função eréctil em homens de meia-idade e mais velhos pode ser um indicador útil para modificar factores de estilo de vida e reduzir o risco de outras condições de risco de vida. O Índice Internacional de Função Eréctil (IIEF) é o instrumento consensual para a avaliação da função sexual masculina e é o mais utilizado. Inúmeras opções de tratamento eficazes estão disponíveis actualmente. A introdução da via oral com os inibidores da fosfodiesterase tipo 5 revolucionou o tratamento e abordagem terapêutica da disfunção eréctil. Eles são considerados o tratamento de primeira linha no tratamento da disfunção eréctil. Dada a falta de diferenças significativas na eficácia e segurança, a preferência do doente torna-se cada vez mais importante dado que a adesão ao fármaco preferido deverá ser maior. A terapia pode ser melhor ajustada aos padrões sexuais do doente e da companheira. Este artigo discute a fisiologia da função eréctil, a epidemiologia, causas, factores de risco e avaliação médica da disfunção eréctil e algumas formas de tratamento. Foi dada maior ênfase aos inibidores da fosfodiesterase tipo 5, porque eles são a terapia de primeira linha e são eficazes na maioria dos homens com disfunção eréctil
Ageing is characterized by an impairment of function, decreasing environmental responsiveness and, reciprocally, by an increased susceptibility to age-related diseases and mortality. Ageing of the male reproductive system can give rise to clinically relevant manifestations, such as erectile dysfunction, which have a significant impact on general well-being of the elderly. Erectile dysfunction defined as “the inability to achieve or maintain an erection sufficient for satisfactory sexual performance” is strongly associated with ageing, although it is not an inevitable consequence of ageing. Age-related conditions increase the probability of its occurrence and it may also be a consequence of lifestyles. Erectile dysfunction is considered a symptom of many conditions and several risk factors have been identified, such as obesity, diabetes mellitus, hypogonadism in association with a number of endocrinologic conditions, hypertension, vascular disease, dyslipidemia and depression. It is estimated a prevalence of 322 million men who suffer from erectile dysfunction in 2025. Erectile dysfunction is strongly predictive of subsequent atherosclerotic cardiovascular events. Assessment of erectile function in middle-aged and older men may provide a useful indicator to modify lifestyle factors and reduce the risk of other life-threatening conditions. The International Index of Erectile Function (IIEF) is the most used and is the consensual instrument for the evaluation of male sexual function. Numerous effective treatment options are currently available. The introduction of oral phosphodiesterase type 5 inhibitors has revolutionized the treatment and management of erectile dysfunction. They are considered the first-line treatment for the management of erectile dysfunction. Given the lack of significant differences in efficacy and safety, patient’s preference becomes increasingly important as adherence to the preferred drug would be higher. Therapy can be better tailored to the patient’s and partner´s sexual patterns. This article discusses the physiology of erectile function, the epidemiology, causes, risk factors, and medical evaluation of erectile dysfunction and its treatment. It has been done emphasis on phosphodiesterase type 5 inhibitors because they are the first line therapy and are effective in majority of men with erectile dysfunction.
Description: Trabalho final de mestrado integrado em Medicina área cientifica de Medicina, apresentado á Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/80323
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Tese.pdf1.08 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

130
checked on Sep 21, 2020

Download(s) 50

251
checked on Sep 21, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.