Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/79565
Title: Trabalho Digno, Motivação para o Trabalho e Capital Psicológico em Trabalhadores do Conhecimento
Authors: Silva, Tânia Ferraro Gilaberte da 
Orientador: Pais, Leonor
Keywords: Trabalho Digno; Motivação para o Trabalho; Capital Psicológico; Estudos comparativos entre culturas; Trabalhadores do conhecimento; Engajamento no trabalho; Burnout; Decent Work; Work Motivation; Psychological capital; Cross-cultural study; knowledge workers; Work engagement
Issue Date: 30-Nov-2017
Citation: SILVA, Tânia Ferraro Gilaberte da - Trabalho digno, motivação para o trabalho e capital psicológico em trabalhadores do conhecimento. Coimbra : [s.n.], 2017. Tese de doutoramento. Disponível na WWW: http://hdl.handle.net/10316/79565
Abstract: A presente dissertação apresenta a investigação realizada com o objetivo de estudar as relações entre Trabalho Digno (TD), Motivação para o trabalho e Capital Psicológico em trabalhadores do conhecimento portugueses e brasileiros. Nos estudos aqui realizados, o TD é entendido como um trabalho (e um contexto laboral) que possibilita ao profissional exercer uma atividade realizante e produtiva; com perspetivas de desenvolvimento pessoal e profissional; na qual percebe que são tomadas decisões justas e equitativas; onde é tratado com respeito e aceitação; tem liberdade de expressão; recebe uma remuneração que permite viver com autonomia e dignidade; está socialmente protegido; e são respeitadas as condições de saúde e segurança, com adequadas distribuição do tempo e carga de trabalho (ILO, 1999; Ferraro, Pais, Dos Santos & Moreira, 2016). A Motivação para o trabalho é aqui estudada na perspetiva da Teoria da Auto-determinação. Esta abordagem assume a Motivação para o trabalho como um conceito multidimensional, no qual diferentes tipos de motivação podem ser incentivados ou inibidos, num continuum entre a amotivação e a motivação intrínseca (Gagné & Deci, 2005; Gagné et al, 2015). Por fim, a consideração conjunta de quatro estados psicológicos positivos (auto-eficácia, esperança, otimismo e resiliência) configura a perspetiva por nós adotada no que concerne ao Capital Psicológico dos trabalhadores (Luthans, Youssef-Morgan & Avolio, 2015). Para uma melhor compreensão das relações entre as variáveis estudadas foram desenvolvidos estudos teóricos e empíricos. Os referidos estudos originaram dois artigos teórico-conceptuais já publicados, um artigo referente a um dos estudos empíricos já aceite para publicação e três outros artigos, relativos aos demais estudos empíricos, já submetidos a revistas da especialidade. A apresentação dos diversos estudos é o elemento base orientador da estrutura de redação do trabalho que começa com a introdução geral, exposta no capítulo 1. A tarefa de perspetivar o constructo de ‘Trabalho Digno’ ao longo do seu percurso histórico consubstancia o capítulo 2 que integra o primeiro estudo teórico-conceptual. Este permite compreender o longo caminho recheado de acontecimentos históricos e recomendações legais que estiveram na origem deste conceito e que são determinantes da sua pertinência e atualidade. Estas tangibilizam-se num conjunto de implicações para a gestão das organizações igualmente referido neste capítulo. Importantes aspetos conceptuais do Trabalho Digno, elementos constituintes do segundo estudo teórico-conceptual realizado, são evidenciados e discutidos no capítulo 3: a responsabilidade de múltiplos stakeholders para a sua promoção; as diferenças culturais que podem interferir na expressão do Trabalho Digno; o seu aspeto dinâmico, evoluindo em decorrência dos avanços científicos; e a relevância da interdependência global para que seja possível atingir o Trabalho Digno plenamente. Os estudos conceptuais referidos fundamentaram o passo seguinte: a operacionalização do conceito que viabilizou a construção e validação do questionário de Trabalho Digno (em inglês: Decent Work Questionnaire, DWQ), apresentadas no capítulo 4 e que traduz o trabalho realizado no primeiro estudo empírico. A validação do DWQ envolveu 1675 participantes, 636 na amostra portuguesa e 1039 na amostra brasileira. Na sua primeira versão, o DWQ era constituído por 72 itens que foram submetidos a análises fatoriais exploratória e confirmatória, conduzindo a uma versão final mais parcimoniosa de 31 itens. Foram identificados sete fatores, correspondentes a sete subscalas, e um escore global de DW. A validade convergente e a validade discriminante foram avaliadas, assim como a invariância da medida nas duas amostras (Portugal e Brasil). No capítulo 5 é apresentado o segundo estudo empírico, referente às relações entre o Trabalho Digno e a Motivação para o Trabalho, analisadas através de correlações canónicas, e entre o Trabalho Digno e o PsyCap, através de regressão linear. Na recolha de dados, para além do DWQ, foram utilizados a Multidimensional Work Motivation Scale (MWMS), desenvolvida com base na Teoria da Auto-determinação (Gagné et al, 2015), e o PsyCap Questionnaire (PCQ) (Luthans, Youssef & Avolio, 2007), para mensuração, respectivamente, da Motivação para o trabalho e do Capital Psicológico. A amostra deste estudo é constituída por 2912 participantes (1327 portugueses; 1585 brasileiros) e os resultados indicam que o TD pode ter um importante papel como preditor da Motivação para o trabalho e do Capital Psicológico. Neste sentido, foram identificadas duas funções canónicas significativas que associam o Trabalho Digno à promoção das motivações mais autónomas e à prevenção da amotivação, assim como permitiram a identificação dos fatores de Trabalho Digno que mais se relacionam com o desenvolvimento do PsyCap. O terceiro estudo empírico, apresentado no capítulo 6, evidencia a relação do Trabalho Digno com a Motivação para o trabalho, o Engajamento no trabalho e o Burnout num grupo específico de trabalhadores do conhecimento (TC), os médicos. Na recolha de dados, envolvendo 605 participantes, recorreu-se ao DWQ, à Utrecht Work Engagement Scale (UWES; Schaufeli, Salanova, González-Romá & Bakker, 2002) e à subescala de Personal Burnout do Copenhagen Burnout Inventory (CBI; Kristensen, Borritz, Villadsen & Christensen, 2005). Recorrendo à análise de correlações canónicas, foram encontrados três mecanismos em funcionamento na amostra dos médicos portugueses (n=300) e dois mecanismos na amostra dos médicos brasileiros (n=305). Uma vez mais, os resultados sugerem que o Trabalho Digno tem um papel relevante na promoção das motivações para o trabalho mais autónomas e na diminuição da amotivação; tendo ainda um papel importante na promoção do Engajamento no trabalho e na prevenção do Burnout. A percepção dos médicos do seu próprio trabalho como sendo realizante e produtivo parece ter um papel de destaque nos efeitos observados nas duas amostras. O capítulo 7 apresenta o quarto estudo empírico desenvolvido e é relativo ao teste de um modelo estrutural das relações entre o Trabalho Digno, a Motivação para o trabalho e o PsyCap. A amostra deste estudo é constituída por 3004 participantes, tendo a amostra portuguesa 1353 participantes e a brasileira 1651. Os instrumentos utilizados na recolha de dados foram o DWQ, a MWMS e o PCQ, já anteriormente referenciados. Os resultados mostram um modelo ajustado, com o Trabalho Digno como preditor das motivações para o trabalho de natureza mais autónoma e inibidor da amotivação, contando com o PsyCap como mediador parcial das relações que se estabelecem com as motivações mais autónomas e, apenas na amostra portuguesa, com a regulação externa. Na amostra brasileira, apenas a presença do PsyCap como mediador torna significativa a interação do Trabalho Digno com a Regulação Externa, destacando-se o seu papel nesta mediação completa. No capítulo 8 sistematizam-se e discutem-se os principais resultados, explicitam-se as limitações dos estudos realizados e apresentam-se as implicações deles decorrentes para a gestão das organizações em geral e a relativa aos recursos humanos em particular. Por fim, são apresentadas as considerações finais e as perspetivas de desenvolvimento da investigação neste domínio. Os resultados alcançados nos estudos, teóricos e empíricos, realizados representam um contributo original e inovador. Este contributo expressa-se, antes de mais, pela possibilidade de mensurar o Trabalho Digno por recurso a um instrumento validado que considera o nível individual de análise. Por seu intermédio, acede-se às perceções dos trabalhadores/profissionais quanto ao trabalho que realizam e ao contexto profissional em que este é realizado. Trata-se de algo tão mais relevante quanto a mensuração do Trabalho Digno tem ocorrido, exclusivamente, através de labour surveys, census ou monitorização das condições de trabalho por recurso a indicadores económicos e de enquadramento legal focados num nível macro de análise. Adicionalmente, o contributo dado expressa-se pelos resultados obtidos nos diversos estudos empíricos que fizeram emergir o trabalho realizante e produtivo como fator do TD com particular relevância nas amostras estudadas. O papel do TD como promotor da Motivação para o trabalho e do PsyCap é outro resultado a destacar e que configura, igualmente, um contributo relevante. O desenvolvimento futuro dos estudos sobre Trabalho Digno numa perspetiva da Psicologia das Organizações, do Trabalho e dos Recursos Humanos poderá constituir um importante contributo numa lógica de melhoria da qualidade de vida no trabalho, do bem-estar dos diversos profissionais e consequentemente da sua performance.
This dissertation presents the research carried out aiming to study relationships between Decent Work (DW), Work Motivation and Psychological Capital in Portuguese and Brazilian knowledge workers. In the studies made here, DW is understood as work (and a work context) that lets the professional perform a fulfilling and productive activity; with prospects for personal and professional development; in which they perceive fair and equitable decisions are made; where they are treated with respect and acceptance; having freedom of expression; receiving remuneration that lets them live with autonomy and dignity; with social protection; and respect for health and safety conditions, with appropriate distribution of working time and workload (ILO, 1999; Ferraro, Pais, Dos Santos & Moreira, 2016). Work motivation is studied here from the perspective of Self-Determination Theory. This approach assumes Work motivation as a multidimensional concept, in which different types of motivation can be encouraged or inhibited, along a continuum between amotivation and intrinsic motivation (Gagné & Deci, 2005; Gagné et al, 2015). Finally, joint consideration of four positive psychological states (self-efficacy, hope, optimism and resilience) forms the perspective we adopt concerning workers’ Psychological Capital (Luthans, Youssef-Morgan & Avolio, 2015). For better comprehension of relationships between the variables studied, theoretical and empirical studies were developed. Those studies originated two theoretical-conceptual articles already published, one article referring to one of the empirical studies already accepted for publication and three other articles related to the other empirical studies, already submitted to specialized journals. Presentation of the various studies is the basic element orienting the structure of the written work which begins with the general introduction, appearing in Chapter 1. The task of following the construct of ‘Decent Work’ throughout its historical development forms Chapter 2 including the first theoretical-conceptual study. This allows understanding of the long path marked by many historical events and legal recommendations that were at the origin of this concept and are determinants of its relevance and topicality. These form a number of implications for organizations’ management, also referred to in this chapter. Important conceptual aspects of Decent Work, elements included in the second theoretical-conceptual study carried out, are shown and discussed in Chapter 3: the responsibility of multiple stakeholders for its promotion; the cultural difference that can interfere in the expression of Decent Work; its dynamic aspect, evolving alongside scientific advances; and the relevance of global interdependence in making Decent Work fully achievable. The conceptual studies mentioned were the basis of the next step: operationalization of the concept, which made it possible to construct and validate the Decent Work Questionnaire (DWQ), presented in Chapter 4 and representing the work carried out in the first empirical study. Validation of the DWQ involved 1675 participants, 636 in the Portuguese sample and 1039 in the Brazilian one. In its first version, the DWQ was made up of 72 items which were subject to exploratory and confirmatory factor analysis, leading to a shorter final version of 31 items. Seven factors were identified, corresponding to seven sub-scales, and a global DW score. Convergent validity and discriminant validity were assessed, as well as invariance of the measure in both samples (Portugal and Brazil). Chapter 5 presents the second empirical study, referring to relationships between Decent Work and Work Motivation, analysed through canonical correlations, and between Decent Work and PsyCap, through linear regression. In data-collection, besides the DWQ, the Multidimensional Work Motivation Scale (MWMS), developed based on Self-Determination Theory (Gagné et al, 2015), and the PsyCap Questionnaire (PCQ) (Luthans, Youssef & Avolio, 2007) were used to measure, respectively, Work Motivation and Psychological Capital. The sample of this study is made up of 2912 participants (1327 Portuguese; 1585 Brazilian) and the results indicate that DW can have an important role as a predictor of Work motivation and Psychological Capital. In this connection, two significant canonical functions were identified associating Decent Work with promotion of more autonomous motivations and prevention of amotivation, also identifying the factors of Decent Work most related to development of PsyCap. The third empirical study, presented in Chapter 6, shows the relationship between Decent Work and Work motivation, Work engagement and Burnout in a specific group of knowledge workers (KW), physicians. In data-collection, involving 605 participants, the DWQ, the Utrecht Work Engagement Scale (UWES; Schaufeli, Salanova, González-Romá & Bakker, 2002) and the Personal Burnout sub-scale of the Copenhagen Burnout Inventory (CBI; Kristensen, Borritz, Villadsen & Christensen, 2005) were used. Through analysis of canonical correlations, three mechanisms were found in the sample of Portuguese doctors (n=300) and two mechanisms in the sample of Brazilian doctors (n=305). Once again, the results suggest that Decent Work has a relevant role in promoting more autonomous work motivations and in reducing amotivation; also having an important role in promoting work engagement and prevention of burnout. Doctors’ perception of their own work as being fulfilling and productive seems to have a prominent role in the effects observed in both samples. Chapter 7 presents the fourth empirical study developed and relates to the test of a structural model of relationships between Decent Work, Work Motivation and PsyCap. The sample of this study is formed of 3004 participants, the Portuguese sample having 1353 participants and the Brazilian one 1651. The instruments used in data-collection were the DWQ, the MWMS and the PCQ, as mentioned above. The results show an adjusted model, with Decent Work as a predictor of Work motivations of a more autonomous nature and inhibiting amotivation, with PsyCap as a partial mediator of the relationships formed with more autonomous motivations and, only in the Portuguese sample, with external regulation. In the Brazilian sample, only the presence of PsyCap as a mediator makes the interaction between Decent Work and External Regulation significant, its role in this full mediation standing out. Chapter 8 systemizes and discusses the main results, describes the limitations of the studies carried out and presents the resultant implications for organizational management in general and human resources in particular. In concluding, final considerations and perspectives for research development in this domain are presented. The results obtained in the theoretical and empirical studies represent an original and innovative contribution. This contribution is expressed, first of all, by the possibility of measuring Decent Work using a validated instrument that considers the individual level of analysis. It gives access to the perceptions of workers/professionals regarding the work they do and the professional context in which it is performed. This is extremely relevant given that measurement of Decent Work has resorted exclusively, through labour surveys, censuses or monitoring of working conditions, to economic indicators and legal frameworks focused on a macro-level of analysis. Furthermore, the contribution made is expressed in the results obtained in the various empirical studies which highlighted fulfilling and productive work as a particularly relevant factor of DW in the samples studied. The role of DW as a promoter of work motivation and PsyCap is another result to highlight, also representing a relevant contribution. Future development of studies on Decent Work from a perspective of Work, Organizational and Personnel Psychology can be an important contribution with a view to improving the quality of working life, the well-being of diverse professionals and consequently their performance.
Description: Tese de doutoramento em Psicologia, na especialidade de Psicologia das Organizações, do Trabalho e dos Recursos Humanos, apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/79565
Rights: openAccess
Appears in Collections:FPCEUC - Teses de Doutoramento

Show full item record

Page view(s) 50

189
checked on May 21, 2019

Download(s)

76
checked on May 21, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.