Title: Exercício físico na pessoa idosa e indicadores de risco cardiovascular global : caracterização da aptidão física funcional, de parâmetros imunoinflamatórios e adaptação crónica a programas de exercício físico para o desenvolvimento das componentes cardiovascular e muscular
Authors: Martins, Raul Agostinho Simões 
Keywords: Idosos;Exercício físico -- idoso
Issue Date: 18-Apr-2008
Citation: Martins, Raul Agostinho Simões - Exercício físico na pessoa idosa e indicadores de risco cardiovascular global : caracterização da aptidão física funcional, de parâmetros imunoinflamatórios e adaptação crónica a programas de exercício físico para o desenvolvimento das componentes cardiovascular e muscular. Coimbra, 2007.
Abstract: O presente trabalho tem por objectivo analisar o exercício físico na pessoa idosa e os indicadores de risco cardiovascular global, nomeadamente através da caracterização da aptidão física funcional e de parâmetros imunoinflamatórios. São ainda estudadas as adaptações crónicas a dois programas de exercício físico para o desenvolvimento das componentes cardiovascular e muscular. São consideradas variáveis antropométricas, de aptidão física funcional, de qualidade de vida, do perfil lipídico, do perfil glicémico, do perfil imunológico e da coagulação e fibrinólise. O trabalho parte da análise do conceito de idoso, do processo de envelhecimento e do papel da actividade física como determinante da quantidade e qualidade de vida no envelhecimento bem sucedido. É feita uma revisão sobre a doença cardiovascular, nomeadamente no que respeita à etimologia e etiologia, a alguns dos factores de risco modificáveis e ao papel da actividade física e da aptidão física como entidades independentes. É revista a organização geral do sistema imunitário e a adaptação no envelhecimento, assim como as adaptações agudas e crónicas à actividade física. Participaram 118 pessoas, das quais 72 mulheres e 46 homens, com idades compreendidas entre os 65 e os 96 anos, que frequentavam Lares e Centros de Dia do concelho de Arganil. Foram submetidas a três avaliações - inicial, final e follow up - que repetiram os mesmos protocolos. Em cada avaliação, os participantes preencheram questionários caracterizadores da qualidade de vida e saúde, foram submetidos a determinações antropométricas, recolha de saliva, recolhas sanguíneas e avaliação da aptidão física funcional. Após a avaliação inicial, os participantes foram incluídos num de três grupos: de exercícios predominantemente aeróbios; de exercícios predominantemente de força; de controlo, sem qualquer prática. Os programas de exercício físico, com uma frequência de três sessões semanais prolongaram-se por um período de dezasseis semanas, após o que os participantes foram submetidos à avaliação final. Passado novo período de dezasseis semanas, sem qualquer prática física, os participantes foram novamente reavaliados: avaliação follow up. Foi constatada, em ambos os sexos, uma elevada prevalência de sedentarismo, elevados níveis de obesidade e um défice de desempenho em algumas das componentes da aptidão física funcional, nomeadamente no que respeita à resistência aeróbia, à flexibilidade superior e inferior ou à velocidade, agilidade e equilíbrio dinâmico, esta última sobretudo nos homens. As mulheres manifestaram, em alguns aspectos associados com a qualidade de vida, um comprometimento superior aos homens. De uma forma geral, os vários parâmetros sanguíneos e salivares encontravam-se de acordo com os valores de referência. A hipertensão arterial surgiu com uma prevalência considerável nas mulheres e nos homens. No grupo feminino, emerge uma clara associação inversa entre a aptidão física funcional e variáveis antropométricas. No grupo masculino as associações não foram tão pronunciadas. Nas mulheres, destacam-se também as associações directas dos estados de humor negativos – depressão, tensão, fadiga, irritação, confusão – e da perturbação total do humor com a massa corporal, o IMC, a CC ou a RCE. O exercício físico promoveu melhorias na aptidão física funcional e em variáveis antropométricas. Parece também ter contribuído para a melhoria de alguns estados de humor. O perfil inflamatório e os factores de coagulação sofrem alteração. As células CD56 foram superiores nos homens e o exercício não afigura exercer efeito sobre as várias subpopulações linfocitárias. A pressão arterial - sobretudo a diastólica - reduz-se, assim como a frequência cardíaca de pico, o que, adicionado a maior distância percorrida no teste de aptidão cardiorespiratória, confere maior protecção para o surgimento da doença cardiovascular.
The aim of the present study is to analyse the physical exercise in elderly people and global cardiovascular risk factors including the characterization of functional fitness and immunoinflammatory parameters. The chronic adaptations to two physical exercise programs for the development of the cardiorespiratory and musculoskeletal components are also studied. Various anthropometric, functional fitness, quality of life, lipidic profile, glycaemic profile, immunologic profile, coagulation and fibrinolysis variables were also considered. The work starts with the older adult concept analysis, the aging process and associated theories and the role of physical activity as a determinant on the quantity and quality of life in successful aging. One reviews cardiovascular disease including the aetiology and etymology, some modifiable risk factors and the role of physical activity and physical fitness as independent variables. One reviews the general organization of the immune system and it’s adaptation during the aging process, like sarcopenia and inflammation and also atherosclerosis and inflammation. Finally, acute and chronic immunity adaptation to physical activity are also reviewed. One hundred and eighteen people participated in this study, 72 women and 46 men, with age between 65 and 96 years old, registered in Institutions of the municipally of Arganil. All of them were submitted to three evaluations - initial, final and follow up – using the same protocols. In each evaluation the participants answered questionnaires in order to characterize the quality of life and health, were submitted to anthropometric evaluation, fasting saliva collection, fasting venous blood collection and functional fitness evaluation. After the initial evaluation, the participants were included in one of the following groups: predominantly aerobic exercise; predominantly strength exercise; control, without exercise. The physical exercise programs, with a frequency of three sessions per week, lasted for sixteen weeks. Then, the participants were submitted to the final evaluation. After a new period of sixteen weeks, without any kind of exercise, the three groups were submitted to the third evaluation – follow up. Both sexes had an high prevalence of sedentarism, high levels of obesity and a deficit in some of the functional fitness components like cardiorespiratory fitness, upper and lower flexibility, and velocity, agility and dynamic balance. The women showed, in some components of the quality of life, higher degeneration than men. In the general, the various blood and salivary parameters are within the reference values. The hypertension appeared with high prevalence, both in women and in men. The female group presents a clear inverse association between functional fitness and anthropometric variables. The associations in the male group were not so pronounced. Direct associations between negative mood states – depression, tension, fatigue, anger, confusion – and total mood disturbance with body mass, BMI, waist circumference and waist/height ratio were also found. The physical exercise promoted an improvement in the functional fitness and anthropometric variables. It also seems that physical exercise contributes to the improvement in some mood states. The inflammatory profile and coagulation factors also changed. The CD56 cells were superior in men than in women and the exercise did not seems to affect various lymphocyte subpopulations. Arterial blood pressure – mainly diastolic – was reduced, as well as peak heart rate in the final of the 6-minute-walk-test. Those changes associated with higher walked distance indicates a higher protection for the cardiovascular disease appearance.
Description: Tese de doutoramento em Ciências do Desporto e Educação Física (Ciências da Actividade Física) apresentada a Fac. de Ciências do Desporto e Educação Física de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/7416
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:FCDEF - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Resumo_RM_tese.pdf203.36 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record
Google ScholarTM
Check
Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.