Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/730
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorDelille, Maria Manuela Gouveia-
dc.contributor.advisorHanenberg, Peter-
dc.contributor.authorGarraio, Júlia Maria Machado-
dc.date.accessioned2008-12-05T15:00:29Z-
dc.date.available2008-12-05T15:00:29Z-
dc.date.issued2003-06-23en_US
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10316/730-
dc.descriptionTese de doutoramento em Letras, na área de Línguas e Literaturas Modernas (Literatura Alemã)apresentada à Fac. de Letras da Univ. de Coimbra.-
dc.description.abstractEsta dissertação tem por objectivo traçar a evolução da escrita poetológica do escritor alemão Günter Eich (1907-1972) entre 1927 (ano da publicação dos primeiros poemas) e 1959 (ano em que foi galardoado com o prestigiado Prémio Georg Büchner) para assim compreender como se efectua a construção da imagem do poeta nos textos do autor. O discurso proferido por Günter Eich aquando da entrega do referido prémio tem sido valorizado pela crítica como anúncio da última fase da obra do escritor. O texto corresponde igualmente ao culminar de uma reflexão sobre o conceito de literatura cujas origens se encontram na primeira fase da produção do autor, nomeadamente nas páginas da revista literária Die Kolonne (1929-1932). A continuidade no discurso poetológico de Günter Eich centra-se em dois pontos fundamentais: a percepção da escrita poética como meio de conhecimento e de apropriação do real e a convicção de que essa tarefa apenas é conseguida dentro dos moldes da autonomia da arte. Encontramo-los, por exemplo, na recensão de 1932 ao romance _education Sentimentale de Flaubert, na personagem de Chabanais da peça radiofónica Radium de 1937, na personagem de Rönne do ensaio “Der Schriftsteller 1947” de 1947, no discurso do Prémio Georg Büchner. No entanto, a abordagem desses ideais e a sua própria percepção, bem como o meio para atingir tais objectivos, evoluem na obra de Günter Eich, sofrem profundas reformulações, condicionadas pelas modificações no contexto histórico da época em questão. O ideal de autonomia abre-se progressivamente a uma defesa da imersão do sujeito na História, posição que conduz o autor a uma concepção de arte não-ideológica e subversiva das forças do poder.en_US
dc.language.isoporpor
dc.rightsembargoedAccesseng
dc.subjectLiteratura Alemãen_US
dc.subjectLínguas e Literaturas Modernasen_US
dc.titleA construção da imagem do poeta na obra de Günter Eichen_US
dc.typedoctoralThesisen_US
uc.controloAutoridadeSim-
item.languageiso639-1pt-
item.fulltextSem Texto completo-
item.grantfulltextnone-
crisitem.author.researchunitCentre for Social Studies-
crisitem.author.parentresearchunitUniversidade de Coimbra-
crisitem.author.orcid0000-0001-5342-8391-
Appears in Collections:FLUC Secção de Estudos Germanísticos - Teses de Doutoramento
Show simple item record

Page view(s)

280
checked on Oct 20, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.