Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/47896
Title: Efeito do exercício físico na resposta inflamatória do idoso
Authors: Rosete, Juan Carlos Neto
Orientador: Veríssimo, Manuel Teixeira
Keywords: Envelhecimento; Idoso; Inflamação; Exercício físico
Issue Date: Mar-2011
Abstract: Com o aumento substancial da esperança média de vida, torna-se evidente o impacto na saúde pública das doenças associadas ao envelhecimento. Neste contexto, é imperativo identificar os factores de risco associados às doenças mais prevalentes no idoso e delinear modelos interventivos capazes de prevenir e/ou melhorar esses mesmos factores. Diversos estudos têm identificado a inflamação crónica como um importante factor de risco para o desenvolvimento de doenças cardio-vasculares, cancro colo-rectal, artrite, obesidade e diabetes mellitus tipo 2, entre outras. No idoso em particular, a inflamação crónica poderá estar igualmente implicada no desenvolvimento da sarcopenia. Actualmente alguns investigadores reconhecem o músculo como um órgão endócrino, capaz de produzir e libertar citocinas, e que, quando estimulado através da realização de exercício físico, poderá promover a elevação da concentração plasmática de citocinas com propriedades anti-inflamatórias. Esta revisão pretende reunir as principais evidências que poderão constituir linhas explicativas do possível benefício da prescrição de exercício físico como meio de reduzir a inflamação crónica no idoso. Os estudos epidemiológicos têm observado uma associação entre o sedentarismo e a inflamação crónica, quer em adultos jovens quer em idosos. Contudo, estes estudos não fornecem qualquer informação sobre uma possível relação causal. Alguns estudos experimentais constataram que a realização de um plano regular de exercício físico, predominantemente aeróbio, foi capaz de reduzir significativamente concentrações plasmáticas da Proteína C Reactiva, da Interleucina 6 e Interleucina 8, sugerindo que a prática de exercício físico, através de mecanismos ainda não esclarecidos, contribui para uma melhoria do perfil inflamatório crónico nos idosos. Acredita-se que o aumento da Interleucina 6 durante o exercício físico desempenhe um papel central neste processo, promovendo o aumento da concentração de citocinas anti-inflamatórias como o Antagonista do receptor da Interleucina 1 e Interleucina 10, que por sua vez vão inibir a produção de citocinas inflamatórias como o Factor de Necrose Tumoral α e a Interleucina 1. Contudo, serão necessários mais estudos para que, de uma forma consistente e metódica, se avaliem a influência da intensidade, do volume e dos diferentes tipos de exercício físico no idoso, conducentes à elaboração de planos objectivos e interventivos capazes de actuar positivamente na inflamação crónica.
With the substantial increase in life expectancy, the public health impact of diseases associated with aging becomes evident. In this context, it is imperative to identify risk factors associated with the most prevalent diseases in the elderly and to delineate interventional models capable of preventing and/or improving these same factors. Several studies have identified chronic inflammation as an important risk factor for developing cardiovascular disease, colorectal cancer, arthritis, obesity and type 2 diabetes mellitus, among others. In the elderly in particular, chronic inflammation may also be involved in the development of sarcopenia. Today, some researchers recognize the muscle as an endocrine organ, able to produce and release cytokines, which, when stimulated by physical exercise, may promote the increase/elevation of plasma cytokines with anti-inflammatory properties. This review aims to summarize the key evidence that could explain the possible benefit of physical exercise as a means of reducing chronic inflammation in the elderly. Epidemiological studies have observed an association between sedentary lifestyle and chronic inflammation, either in young adults or the elderly. However, these studies do not provide any information about a possible causal relationship. Some experimental studies have found that carrying out a regular plan of physical exercise, mostly aerobic, was able to significantly reduce plasma concentrations of C Reactive Protein, Interleukin 6 and Interleukin 8, suggesting that physical activity, through mechanisms not yet clarified, contributes to an improvement of chronic inflammatory status in the elderly. It is believed that the increase of Interleukin 6 during exercise plays a central role in this process, promoting increased levels of anti-inflammatory cytokines such as the receptor Antagonist of Interleukin 1 and Interleukin 10 which will, in turn, inhibit the production of inflammatory cytokines such as Tumor Necrosis Factor α and Interleukin 1. Further studies are needed to consistently and methodically assess the influence of the intensity, the volume, and the different types of physical exercise on the elderly, so as to objectively develop interventional plans capable of having a positive effect on reducing chronic inflammation.
Description: Trabalho final de projecto de mestrado integrado em Medicina área científica de Medicina, apresentado á Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/47896
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Efeito do Exercício Físico na Resposta Inflamatória do Idoso - Juan Rosete.pdf408.27 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

159
checked on Sep 22, 2020

Download(s) 50

326
checked on Sep 22, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.