Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/43167
Title: Avaliação funcional em idosos com défice cognitivo ligeiro ou doença de Alzheimer
Authors: Peixoto, Maria João Monteiro 
Orientador: Veríssimo, Manuel Teixeira
Esperto, Hélder Filipe da Cunha
Keywords: Doença de Alzheimer; Idoso; Avaliação geriátrica
Issue Date: Feb-2012
Abstract: Introdução: Em Portugal denota-se um envelhecimento demográfico crescente, sendo essencial, na manutenção da qualidade de vida e da independência, a integridade das actividades básicas de vida diária. Na doença de Alzheimer pode haver comprometimento destas, enquanto no défice cognitivo ligeiro mantêm-se intactas. Objectivos: Avaliação funcional de idosos com doença de Alzheimer ou défice cognitivo ligeiro. Verificar se existe diferença estatisticamente significativa entre grupos, procurar saber como as variáveis sociodemográficas, a força de preensão palmar, a mobilidade, as actividades funcional e física influenciam as actividades básicas da vida diária, em idosos com estes dois diagnósticos. Metodologia: Estudo descritivo, transversal, numa amostra de 40 idosos, de ambos os sexos, com diagnóstico anterior de doença de Alzheimer ou défice cognitivo ligeiro. Instrumentos de avaliação: Índice de Barthel, Timed Get Up and Go Test, Short Physical Performance Battery, dinamometria e Questionário Internacional de Actividade Física. Resultados: Observam-se correlações positivas e estatisticamente significativas com os resultados globais do índice de Barthel e com a mobilidade, actividade física, força de preensão palmar e actividade funcional. Nas variáveis mobilidade e actividade física houve relação nas dimensões tomar banho (mobilidade: rs = -0,52 ; p = 0,001; actividade física: rs = 0,38 ; p = 0,015) e continência vesical (mobilidade: rs = -0,41 ; p = 0,008; actividade física: rs = 0,32 ; p = 0,045). Além das dimensões tomar banho (força de preensão palmar: rs = 0,60 ; p < 0,001; actividade funcional: rs = 0,51 ;p = 0,001) e continência vesical (força de preensão palmar: rs = 0,47 ; p = 0,003; actividade funcional: rs = 0,44 ; p = 0,005), também se encontrou correlação na dimensão continência intestinal (força de preensão palmar: rs = 0,32 ; p = 0,048; actividade funcional: rs = 0,36 ; p = 0,022), nestas duas variáveis. Identificaram-se duas variáveis preditoras estatisticamente significativas: a mobilidade ( = -0,39 ; p = 0,009) e a força de preensão palmar ( = 0,32 ; p = 0,030). Conclusões: A baixa mobilidade, os menores níveis de força, a menor actividade física e funcional correlacionam-se com maior dependência nas actividades básicas de vida diária. Evidenciou-se maior dependência no sexo feminino e nos idosos com baixo nível de escolaridade, nas dimensões tomar banho e higiene pessoal. Foi encontrada uma maior força de preensão palmar nos idosos com défice cognitivo ligeiro em comparação com aqueles com doença Alzheimer, sendo a única diferença evidenciada entre grupos.
Introduction: Nowadays, there is an increasing aging of the Portuguese population, and the integrity of the basic activities of daily living is essential for the quality of life and independence. In Alzheimer’s disease these activities may be decreased, however in the mild cognitive impairment that does not occur. Objectives: Functional assessment of elderly with Alzheimer’s disease or mild cognitive impairment. Test if there is a statistically significant difference between these two groups and find how sociodemographic variables, handgrip strength, mobility, functional and physical activity can influence the basic activities of daily living in elderly with cognitive impairment. Methods: Cross-sectional study, with 40 elderly men and women, with prior diagnosis of Alzheimer’s disease or mild cognitive impairment. Functional assessment instruments: Barthel Index, Timed Get Up and Go Test, Short Physical Performance Battery, dynamometry and International Physical Activity Questionnaire. Results: There was a positive statistically significant correlation with the overall results of Barthel Index and mobility, physical activity, hand-grip strength and functional activity. We found a correlation between mobility and physical activity at the dimensions of self-bathing (mobility: rs = -0,52 ; p = 0.001; physical activity: rs = 0,38 ; p = 0,015) and bladder continence (mobility: rs = -0,41 ; p = 0.008; physical activity: rs = 0,32 ; p = 0,045). Besides the correlation between self-bathing (handgrip strength: rs = 0,60 ; p < 0,001; functional activity: rs = 0,51 ; p = 0,001) and bladder continence (handgrip strength: rs = 0,47 ; p = 0,003; functional activity: rs = 0,44 ; p = 0,005), there was, also, a correlation with bowels continence (handgrip strength: rs = 0,32 ; p = 0,048; functional activity: rs = 0,36 ; p = 0,022) in these two variables. We identified two statistically significant predictors: mobility ( = -0,39 ; p = 0,009) and handgrip strength ( = 0,32 ; p = 0,030). Conclusions: Low mobility, lower handgrip strength, less physical and functional activity correlates with greater dependence in basic activities of daily living. Dependence was higher in women and less-educated elderly, the latter, only at bathing self and personal toilet. The only difference between groups was higher handgrip strength in elderly men with mild cognitive impairment than those with Alzheimer’s disease
Description: Trabalho final de mestrado integrado em Medicina área científica de Medicina Interna Geriatria, apresentado á Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/43167
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
TESE_Maria João Peixoto.pdf808.96 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

198
checked on Nov 26, 2021

Download(s)

304
checked on Nov 26, 2021

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.