Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/41218
Title: Personalidade e preferências dos doentes em relação à comunicação de más notícias
Authors: Matos, Paula Rita Alves de 
Orientador: Dourado, Marília
Pereira, Ana Telma Fernandes
Keywords: Comunicação de más notícias; Cuidados terminais; Doente terminal; Comunicação em saúde
Issue Date: Jun-2016
Abstract: Nos últimos anos tem sido desenvolvida alguma investigação com o intuito de diminuir o impacto negativo que a comunicação de más notícias inevitavelmente gera nos doentes e seus familiares. Os estudos mostram que a satisfação com a informação e com o estilo de comunicação associa-se à adesão aos tratamentos e à adaptação psicológica à doença. O Measure of Patients’ Preferences (MPP; Parker et al. 2001) foi desenvolvido para avaliação das preferências do doente (PD) em relação à comunicação de más notícias e tem revelado boas propriedades psicométricas em contexto oncológico (Fujimori et al., 2007; Parker et al. 2001; Sánchez et al., 2009). As PD têm sido estudadas em relação com variáveis sócio-demográficas e clínicas (Covinsky et al. 2000; Jenkins et al., 2001). O estudo da sua relação com os traços de personalidade, apesar de ainda escasso (Sánchez et al., 2009), é muito relevante, pois ao influenciar o modo como os doentes interpretam, reagem e lidam com a informação, a personalidade pode influenciar enormemente as PD. Os objetivos deste estudo foram: 1. Adaptar e validar a versão portuguesa experimental da Escala de Preferências dos Doentes (Parker et al., 2001), de modo a que se aplique não apenas ao contexto oncológico; 2. Analisar, pela primeira vez em Portugal, a relação entre as preferências dos doentes acerca da comunicação e os principais traços de personalidade. Foi realizado um estudo observacional e correlacional, a partir dos dados de uma amostra de conveniência, composta por 254 participantes com idade superior a 50 anos, que responderam a um inquérito em papel, contendo um breve questionário de auto-resposta para avaliação de traços de personalidade (FFI-20; Pais Ribeiro) e das preferências na comunicação de más notícias (MPP; Parker et al. 2001). A versão portuguesa da Escala de Preferências na Comunicação de Más Notícias apresenta boa validade e consistência interna, permitindo avaliar com fidelidade as dimensões Apoio, Conteúdo e Facilitação Verificou-se ainda que ser mulher, ter menos idade e ter mais escolaridade são fatores que se associam a maiores exigências na comunicação de más notícias e pessoas com níveis mais elevados de extroversão e de conscienciosidade também requerem da parte do médico maior atenção às práticas comunicativas. Em conclusão, a personalidade, a idade e o género são variáveis a ter em conta na comunicação de más notícias, relativamente às quais se justifica mais investigação e mais formação dos profissionais de saúde.
In recent years there has been developed some research in order to reduce the negative impact that the communication of bad news inevitably creates for patients and their families. Studies show that satisfaction with the information and communication style is associated with treatment adherence and psychological adaptation to the disease . The Measure of Patients ' Preferences ( MPP ; .Parker et al 2001 ) was developed to assess the preferences of the patient (PD) regarding the communication of bad news and has shown good psychometric properties in oncological contexto (Fujimori et al., 2007; Parker et al. 2001; Sánchez et al., 2009). PDs have been studied in relation to sociodemographic and clinical variables ( Covinsky et al 2000 ; . Jenkins et al., 2001 ) . The study of its relationship with personality traits , although still scarce ( Sanchez et al . , 2009) , is very relevant as to influence how patients interpret , react and deal with information , their personality can greatly influence PDs . The goals of this study were : 1. To adapt and validate the experimental portuguese version of Patient Preferences Scale ( Parker et al., 2001 ) , so that it does not apply only to the oncological contex; 2. Analyze, for the first time in Portugal , the relationship between patient preferences about communication and the main personality traits. An observational and correlational study was conducted from the data of a convenience sample composed by 254 participants aged over 50, who answered to a survey on paper, containing a brief self-response questionnaire to evaluate personality traits (FFI -20 : Parents Ribeiro ) and preferences in communication of bad news ( MPP , Parker et al., 2001). The Portuguese version of Preferences Scale in Communication Bad News has good validity and reliability , allowing to faithfully evaluate the dimensions Support , Content and Facilitation. It was also found that being a woman , being younger and having more education are factors that are associated with greater demands on communication of bad news and people with higher levels of extraversion and conscientiousness also require greater attention from the physician to the communicative practices. Concluding, personality, age and gender are important variables for bad news communication, wich justifies more research and professionals education in this area
Description: Dissertação de mestrado em Cuidados Continuados e Paliativos, apresentada à Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/41218
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
TESE final PAULA RITA alterar.docx102.32 kBMicrosoft Word XMLView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

306
checked on Oct 1, 2020

Download(s) 50

565
checked on Oct 1, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.