Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/39095
Title: O que leva uma pessoa à consulta de medicina geral e familiar
Authors: Mendes, Pedro Filipe Pinto de Abreu 
Orientador: Santiago, Luiz
Rosendo, Inês
Keywords: Medicina familiar; Consulta; Doentes; Relações médico-doente
Issue Date: Feb-2016
Abstract: Introdução: A comunicação entre o médico-pessoa que o consulta é um pilar fundamental para o sucesso da consulta em medicina geral e familiar. O motivo de consulta, e a compreensão sobre o mesmo, revela-se da maior importância e um excelente indicador da qualidade da consulta. Objetivo: Tendo por base o ciclo de garantia de qualidade em saúde, pretendeu-se avaliar a concordância de anotações e de classificações ICPC2 de motivo para a consulta e do registo, comparando os resultados obtidos nos anos de 2014 e 2015, almejando um incremento de 5% em todos os aspetos de investigação. Materiais e métodos: Estudo em ciclo de garantia de qualidade, com a segunda fase realizada entre Julho e Dezembro de 2015, na Unidade de Saúde Familiar Topázio, por aplicação de questionário estruturado a utentes que se encontravam na sala de espera, sobre qual o motivo de consulta. No fim da recolha dos dados em 2015, estes foram intersetados com a informação médica da consulta do dia em que foram entrevistados e analisados. Foi realizada estatística descritiva e inferencial. Resultados: Em 2015 foi estudada uma amostra de 145 indivíduos. Os motivos de consulta mais referidos pelos utentes enquadraram-se na classificação ICPC2 em: “geral e inespecífico” (36,6%); “endócrino, metabólico e nutricional” (11,7%) e “gravidez/planeamento familiar” (9,0%); sendo que as codificações médicas mais comuns foram “geral e inespecífico (38,7%); “endócrino, metabólico e nutricional” (14.5%) e “gravidez/planeamento familiar” (8,3%). Em 65,5% dos casos estudados houve semelhança entre as classificações do relatado e do registado em S do SOAP médico e em 49,7% dos casos houve similitude de anotações. Houve uma diminuição da semelhança de 2014 para 2015 quer das classificações, que diminuíram de 78,8% para 65,5% (Δ= -16,9), quer das anotações que diminuíram de 74,4% para 49,7% (Δ= -33,2). Discussão: Os nossos resultados sugerem que os principais motivos de consulta estejam a sofrer correção, aproximando-se de um valor real. Na comparação dos nossos valores com os de 2014, parece-nos que estamos a assistir à correção destes últimos ou então que a prática médica esteja a sofrer de vicissitudes que obrigam a correções. Conclusão: Conclui-se haver decréscimo da semelhança dos parâmetros avaliados com redução de 2014 para 2015, de 78,8% para 65,5% nas classificações semelhantes e de 74,4% para 49,7% nas anotações semelhantes e que a intervenção realizada não foi bem-sucedida, sugerindo-se assim a necessidade de pôr à discussão esta informação e corrigir a atividade, com introdução de uma nova mudança/intervenção, seguido de nova avaliação. Mais estudos deste âmbito deveriam ser realizados em Portugal, com amostras noutros locais.
Background: The doctor-patient communication it’s the cornerstone of a well succeeded medical appointment, in general and familiar medicine. The reason of the medical appointment, and the communication about it, it is a major deal and an excellent indicator of the appointment quality. Objectives: using a quality assurance cycle in healthcare, the objectives are to evaluate the notes and ICPC2 classification of the subject, in SOAP, comparing the results of 2014 with the results of 2015, and expecting a rise of 5% in the similitude of notes and classifications. Material and Methods: Observational cross-sectional study, made from July 2015 to December 2015, in USF Topázio, using a questionnaire based on the ICPC-2 to consultees that were in the local for consultation. They were ask about the reasons of consultation. At the end of data collection, it was cross with the information collected and coded by the physicians of these. Descriptive and inferential statistic was perform. Results: It was collected a sample of 145 individuals. The most referred reasons were, in the ICPC 2 classification, “general and non-specific” (36.6%), “endocrine, nutritional and metabolic” (11.7%) and “pregnancy / family planning” (9.0%). The most coded reasons by physicians were “general and non-specific” (38.7%), endocrine, nutritional and metabolic” (14.5%) and “pregnancy / family planning” (8.3%). In 2015, classifications were similar in 65.5% of cases, between the information provided by patients and coded by the physicians. The degree of similarity between physicians notes and the description of patients was 49.7%. There was a decrease in the similarity between 2014 and 2015 both in classification, from 78.8% to 65.5 % (Δ= -16,9), and notes, from 74.4% to 45.7% (Δ= -33,2). Discussion: the results found in this study may lead us to think that the values found in 2014 are under correction. It is also possible to consider that the medical practice has defects that need intervention. Conclusion: With the decrease of similarity between patient’s information and physician notes and classification, we concluded that a new intervention (using the quality assurance cycle) is need, and the intervention should be followed by another evaluation. There should be more studies in this subject with larger samples and in other areas of Portugal.
Description: Trabalho final de mestrado integrado em Medicina, área cientifica de Medicina Geral e Familiar, apresentado á Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/39095
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
TESE01.02.2016.pdf671.5 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

214
checked on Sep 24, 2020

Download(s) 50

548
checked on Sep 24, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.