Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/36961
Title: Dermatite Seborreica
Authors: Mendes, João Filipe Nunes Vieira 
Orientador: Vieira, Ricardo José David Costa
Keywords: Dermatite seborreica; Malassezia; Fisiopatologia; Terapêutica
Issue Date: Mar-2016
Abstract: A dermatite seborreica (DS) é uma dermatose imuno-inflamatória crónica com uma prevalência estimada de 3-5% na prática clinica, caraterizada por placas eritemato-descamativas delimitadas. A sua etiologia permanece desconhecida e os fenómenos fisiopatológicos subjacentes à sua patogenia são ainda alvo de debate. Os mecanismos patogénicos atualmente conhecidos incluem os fungos do género Malassezia, capazes de induzir inflamação quer pela atividade metabólica das lípases fúngicas, que libertam ácidos gordos livres pró-inflamatórios na presença local de sebo, quer pela ativação do complemento. Uma desregulação imunitária, com redução da atividade das células T helper parece também participar na génese da doença. Em determinadas ocasiões, o estado imunológico do doente é inclusive um forte determinante para o desenvolvimento da doença, já que doentes imunodeprimidos, em particular aqueles com infeção pelo HIV, são mais suscetíveis de desenvolver a doença. Outros fenómenos fisiopatológicos adicionais que parecem desempenhar um papel importante no desenvolvimento da doença são os androgénios circulantes, que apresentam um interesse particular nas formas da doença no lactente e no adulto jovem. O stress emocional e o clima, associados a exacerbações do quadro clínico, são outros fatores importantes para a génese da doença, que deverão ser recordados. A DS é uma doença cutânea de carácter recorrente, podendo os surtos ser controlados geralmente com recurso a terapêutica tópica. A decisão terapêutica depende essencialmente da intensidade, da extensão das lesões, da localização das lesões e do estado imunológico do doente, visto que em estados de imunodepressão os quadros clínicos de DS são mais extensos e exuberantes, necessitando por vezes de abordagens sistémicas. Os dermocorticoides e os antifúngicos imidazolínicos são os fármacos de eleição, embora entre as opções terapêuticas se incluam outros agentes como os inibidores da calcineurina, o metronidazol, os queratolíticos, o selénio, os sais de lítio, a fototerapia e a isotretinoína em baixas doses. A seguinte revisão do tema teve como objetivo criar novas sínteses, baseando-se em literatura previamente publicada, dando particular interesse à etiopatogênese, à apresentação clínica e às modalidades terapêuticas da DS. Seborrheic dermatitis (SD) is a chronic immune-inflammatory dermatosis with an estimated prevalence of 3% to 5% in the clinical environment. It presents with defined plaques of erythematous and scaling characteristics. The etiology of the dermatosis remains unknown and the physiopathological factors involved are still being questioned. The pathogenic mechanisms that lead to disease are the Malassezia genus, capable of promoting inflammation through the presence of fungal lipases, which release proinflammatory products in the presence of sebum, and through the activation of the complement pathway. An immune dysfunction with a depressed T helper cell activity also seems to contribute to the disease. In certain situations the immune status of the patient is a strong factor that determines the development of the disease because of the fact that immunodepressed patients, especially HIV positive, are more susceptible to developing the dermatosis. Other additional physiopathological factors that seem to have an important role in the development of the disease are the androgens, which are decisive in the pediatric age and in young adults. The climate and the presence of emotional stress, which are linked to triggering the disease, are other important factors that promote the disease and should be remembered. SD is a dermatosis with recurrent characteristics that is normally controlled by topical medication. The therapeutic decision depends essentially on the intensity, the extension of the lesions, the site of the lesions and the immune status of the patient. Bearing in mind that immunodepressed patients have a more severe and extensive presentations of the disease, these patients normally require a systemic type of therapy. Topical corticosteroids and topical imidazole antifungals are the main options considered to control the disease. However there are other topical modalities that can be used like the calcineurin inhibitors, metronidazole, keratolytics, selenium, lithium salts, phototherapy and low doses of isotretinoin. The following paper has the purpose of creating new ideas based on previously published medical literature, focusing on the etiopathogenesis, clinical presentation and therapeutic modalities of SD.
Description: Trabalho final do 6º ano médico com vista à atribuição do grau de mestre (área científica de dermatologia) no âmbito do ciclo de estudos de Mestrado Integrado em Medicina.
URI: http://hdl.handle.net/10316/36961
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Dermatite Seborreica, FMUC do ano 2016, autor- João Filipe Nunes Vieira Mendes.pdfDermatite Seborreica, FMUC do ano 2016, autor- João Filipe Nunes Vieira Mendes447.19 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 1

2,163
checked on Sep 21, 2020

Download(s) 1

9,626
checked on Sep 21, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.