Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/34092
Title: Imagens Sociais de Pessoas Transgénero: uma análise a partir de estudantes do ensino superior português
Authors: Brilhante, Joana 
Orientador: Santos, Ana Cristina
Keywords: Identidade de género; Discriminação; Gender-bashing; Transfobia; Genderismo
Issue Date: 2016
Abstract: The Fundamental Rights Agency’s report states that transgender people are amongst the social minorities who experience the most abuse and prejudice. In Portugal, research projects and research centers dedicated to LGBT studies are scarce. Thus, promoting research and interdisciplinary studies on this matter is a priority, since these are essential for its understanding and for the fight against gender inequality. This study – composed by a sample of 528 students from the Portuguese higher academic setting - aims to provide insight to the attitudes of cisgender individuals towards transgender people, based on three concepts: transphobia, genderism and gender-bashing. The questionnaire is based on the Gender and Transphobia Scale (GTS), developed by Hill and Willoughby (2005), whose reliability has been verified by various studies (Winter et al., 2008, 2009; Costa et al., 2010; Willoughby et al., 2010; Costa e Davies, 2012; Riggs et al. 2012). The results show that, in general, students don’t demonstrate high levels of transphobia or genderism, while the levels are even lower concerning violent attitudes against people whose gender expression/identity is not in conformity with the traditional binarism. Notwithstanding, when dividing the samples into categories, attitudes by individuals who identify themselves as men stand out as more negative. Holding religious beliefs and/or not being familiar with transgender individuals are also categories associated with higher levels of discrimination. On the other hand, people with a sexual orientation different from heterosexuality and/or with left wing political affiliations have a more positive outlook. Overall, GTS seems to be a reliable way to access the attitudes concerning transgender people. It needs to be applied in less educated populations decentralized from the great urban centers, being necessary to perceive how gender shapes people’s lives.
O relatório da Agência Europeia dos Direitos Fundamentais diz-nos que as pessoas transgénero se encontram entre as minorias sociais que mais sofrem de abusos e discriminação. Em Portugal, escasseiam os estudos ou centros de investigação dedicados aos estudos LGBT, sendo que o incentivo à pesquisa e à produção de estudos interdisciplinares sobre esta temática se torna fundamental não só à sua compreensão como também ao combate à desigualdade de género. Pretendeu-se com este trabalho - constituído por uma amostra de 528 estudantes do ensino superior português - aceder às atitudes de indivíduos cisgénero para com pessoas transgénero, tendo em conta três conceitos: transfobia, genderismo e gender-bashing. O questionário foi baseado na Escala de Genderismo e Transfobia (GTS), desenvolvida por Hill e Willoughby (2005), cuja fiabilidade tem vindo a ser verificada nos mais variados estudos (Winter et al., 2008, 2009; Costa et al., 2010; Willoughby et al., 2010; Costa e Davies, 2012; Riggs et al., 2012). Os resultados obtidos mostram que, no geral, as/os estudantes parecem ser pouco transfóbicas/os e genderistas, menos ainda parecem existir atitudes de violência para com pessoas cuja expressão/identidade de género não esteja em conformidade com o binarismo tradicional. Não obstante, aquando da divisão da amostra por categorias, sobressaem atitudes mais negativas por parte dos indivíduos que se identificam enquanto homens. Possuir crenças religiosas e/ou não ter familiaridade com indivíduos transgénero também foram categorias associadas a maiores níveis de discriminação. Destacam-se com pontuações mais elevadas as pessoas cuja orientação sexual difere da heterossexualidade e/ou com afinidade política de esquerda e extrema-esquerda. No geral a GTS mostra-se uma escala fiável para aceder às atitudes para com pessoas transgénero. É necessária a aplicação desta medida em populações menos escolarizadas descentralizando dos grandes centros urbanos, assim como perceber como o género molda a vida das pessoas.
Description: Brilhante, Joana - Imagens Sociais de Pessoas Transgénero: uma análise a partir de estudantes do ensino superior português. Coimbra : [s.n.], 2016. Dissertação de Mestrado.
URI: http://hdl.handle.net/10316/34092
Rights: openAccess
Appears in Collections:FCTUC Ciências da Vida - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Joana Brilhante.pdf2.21 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

330
checked on Sep 17, 2019

Download(s) 50

254
checked on Sep 17, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.