Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/33619
Title: Só longe daqui acharás o que falta da tua identidade. Perturbação borderline da personalidade: a construção do diagnóstico e as marcas da identidade no corpo
Authors: Guerra, Cátia 
Orientador: Quintais, Luís
Issue Date: 2016
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: As doenças mentais são categorias construídas segundo sistemas de veridição subjacentes às classificações, aos dispositivos e à performance individual. A criação de novos diagnósticos surge, entre outros, da matriz classificatória e de governabilidade da psiquiatria. É através da relação entre classificações e classificados que se constroem novos sujeitos. O presente estudo visa explorar a construção do objecto perturbação borderline da personalidade pela prática psiquiátrica, tentando compreender as condições de possibilidade que fazem com que surja esta categoria e não outra. Para tal, combinei uma reflexão teórica sobre a história da doença e uma incursão etnográfica baseada em estudos de caso, que procuram avaliar aspectos centrais à construção do diagnóstico: identidade, corpo, família, tratamento e resistência. A construção da perturbação borderline da personalidade é baseada num modelo de desenvolvimento normal que defende a unicidade do self. O sujeito, ao ser classificado, constrói-se e é construído através da narrativa da doença, a qual se funde com a sua narrativa biográfica, permitindo-lhe uma narrativa coerente de si e legitimar o seu sofrimento, recuperando a identidade perdida. Os comportamentos autodestrutivos associados, na prática psiquiátrica, a sofrimento e destruição do corpo, possibilitam a leitura do outro e resultam da acção do sujeito sobre si, tornando-o autor do seu próprio corpo. O diagnóstico surge no seio de um dispositivo disciplinar que incluiu a família e o/a psiquiatra, centrado no indivíduo, no autocontrolo e na monitorização da sua corporalidade. É neste dispositivo que se baseia o seu tratamento. Ao ser psiquiatrizado, o significado potencialmente político da categoria borderline resulta, invariavelmente, perdido. A perturbação borderline da personalidade como resultado de práticas, representações e interacções sociais e novos modos de subjectificação, na qual ocorre uma nova relação entre as ideias de corpo e identidade, é a hipótese que avanço aqui e que resulta fortemente indiciada.
Mental illnesses are classifications construed according to veridiction systems that underlie classifications, dispositives and individual performances. The creation of new diagnoses arises, among others, from the psychiatric classification and governability. It is through the relationship between classifications and persons classified that new subjects are created. This study aims to explore the construction of the object borderline personality disorder by the psychiatric practice, trying to understand the conditions of possibility which were responsible for this particular category. To this end, I combined a theoretical reflection about the disease history and an ethnographic incursion based on case studies, that seek to evaluate key aspects of the diagnosis construction: identity, body, family, treatment and resistance. The construction of the diagnosis of borderline personality disorder is based on a normal development model that advocates the unity of the self. The subject, being classified as such, constructs and is constructed through the narrative of the disease, which is merged with his/her biographical narrative, allowing for the establishment of a coherent narrative which legitimizes the suffering, and allows the subject to regain the lost identity. Self-destructive behaviours, which in clinical practice are associated with suffering and body destruction of the body, enable the reading of the other and result from the action of the subject, being the author of his/her own body. The diagnosis emerges from a disciplinary dispositive that includes the patient’s family and the psychiatrist, and is centred on the individual self-control and in monitoring subject corporeality. It is from within this dispositive that treatment is based. When psychiatrized, the potential political significance of the borderline category results invariably lost. The borderline personality disorder as the result of practices, representations and social interactions and new modes of subjectification, in which there is a new relationship between the ideas of the body and identity, is the hypothesis that I put forward in this thesis and that is strongly supported.
Description: Guerra, Cátia - Só longe daqui acharás o que falta da tua identidade. Perturbação borderline da personalidade: a construção do diagnóstico e as marcas da identidade no corpo. Coimbra : [s.n.], 2016.Dissertação de Mestrado em Antropologia Médica.
URI: http://hdl.handle.net/10316/33619
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:FCTUC Ciências da Vida - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat Login
Tese CG 22.09.pdf1.9 MBAdobe PDFEmbargo Access    Request a copy
Show full item record

Page view(s) 20

611
checked on Sep 21, 2020

Download(s)

45
checked on Sep 21, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.