Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/33581
Title: Osteonecrose dos maxilares associada ao uso de medicamentos (OMAM)
Authors: Pinto, Cláudio Sofia da Mota 
Orientador: Figueiredo, José Pedro
Keywords: Antireabsortivos; Bifosfonatos; Denosumab; OMAM; Osteonecrose; Maxilares; Cirurgia dentoalveolar; Osteoporose; Mieloma múltiplo; Exposição óssea
Issue Date: Mar-2016
Abstract: Introdução: A Osteonecrose dos maxilares associada ao uso de medicamentos (OMAM) é uma entidade clinica que advém do uso de fármacos antireabsortivos como os bifosfonatos e o denosumab, bem como de fármacos antiangiogénicos. Para se proceder ao diagnóstico de OMAM é necessário que o doente tenha sido sujeito a terapêutica com um dos fármacos anteriormente referidos, que exista exposição óssea há mais de 8 semanas ou fistula intra ou extra oral com o mesmo tempo de duração, e por último, que o doente não tenha sido sujeito a radioterapia na região da cabeça e pescoço e que se confirme a ausência de metástases ósseas na região maxilar. Esta patologia tem uma incidência variável consoante a patologia a ser tratatada. Enquanto doentes tratados com estes fármacos para patologia maligna têm uma incidência de OMAM entre 1% e 12%, naqueles que são tratados com BFs orais para a osteoporose, varia de 0.001% a 0.01%. Objetivos: realizar uma revisão da bibliografia publicada até à data sobre a OMAM, desde a sua epidemiologia, fisiopatologia, fatores de risco e diagnóstico ao seu tratamento e prevenção. Desenvolvimento: A sua fisiopatologia encontra-se hoje pouco esclarecida; no entanto, sabe-se que vários fatores de risco podem estar envolvidos no seu desenvolvimento. O diagnóstico assenta na clínica e pode ser auxiliado por exames complementares imagiológicos, começando agora o papel dos biomarcadores a ter também alguma relevância. No que respeita ao estadiamento, a OMAM tem sido classificada segundo o padrão da AAOMS, que contempla os estadios 0, 1, 2 e 3 e ainda doentes em risco de desenvolver a doença; o tratamento desta patologia segue também guidelines internacionais, passando por uma terapêutica o mais conservadora possível. Conclusão: a prevenção é a melhor forma de combater esta doença, assegurando a informação essencial aos doentes sujeitos a terapêutica antireabsortiva ou antiangiogénica e quando necessário, encaminhá-los para um profissional de saúde oral, de modo a que sejam efetuados tratamentos dentários, quer antes do início da terapêutica, quer durante o seu curso, tentando evitar qualquer cirurgia dentoalveolar no decorrer do tratamento. Introduction: Medication-related osteonecrosis of the jaw (MRONJ) is a clinical entity that results from the use of antiresorptive drugs such as bisphosphonates and denosumab, as well as antiangiogenic drugs. To proceed with the MRONJ diagnosis, it is necessary that the patient has been subjected to therapy with one of the drugs previously referred, that there exists bone exposure for more than 8 weeks whether it be intra or extra-orally with the same duration, and finally, that the patient has not been subjected to head and neck radiotherapy and that it confirms the absence of bone metastases in the maxillary area. This pathology has a variable incidence according to the condition being treated. While the incidence of MRONJ in patients treated with these pharmaceutical drugs for malignant pathology is approximately 1% to 12%, in those treated with oral bisphosphonates for osteoporosis, it ranges from 0.001% to 0.01%. Objectives: To conduct a review of the published literature to date about the MRONJ, including its epidemiology, pathophysiology, risk factors, diagnosis, treatment and prevention. Development: The pathophysiology is currently poorly defined; however, it is known that several risk factors may be involved in its development. The diagnosis is clinically-based and can be assisted by additional imagiological tests, in which the biomarkers begin to have some relevance nowdays. Regarding the stage development, MRONJ has been classified according to the AAOMS standard, which includes the stages 0, 1, 2 and 3 and also patients at risk of developing the disease; the treatment of this pathology also follows the international guidelines, passing through the most conservative therapy possible. Conclusion: Prevention is the best way to battle this disease, ensuring that the essential information is provided to patients subjected to antiresorptive or antiangiogenic therapy and when necessary, sending them to a oral health professional, so that dental treatments can be carried out, either before the beginning of their therapy and during its course, trying to avoid any dentoalveolar surgery during the treatment.
Description: Trabalho de revisão do 6º ano médico com vista à atribuição do grau de mestre (área científica de estomatologia) no âmbito do ciclo de estudos de Mestrado Integrado em Medicina.
URI: http://hdl.handle.net/10316/33581
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Trabalho final imprimir.pdfTrabalho final imprimir1.51 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 10

715
checked on Sep 21, 2020

Download(s) 1

8,717
checked on Sep 21, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.