Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/33358
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorSaraiva, Carlos Braz-
dc.contributor.advisorRibeiro, Carlos Alberto Fontes-
dc.contributor.authorFerreira, Ana Sofia Canha Vedor-
dc.date.accessioned2016-12-12T11:07:31Z-
dc.date.available2016-12-12T11:07:31Z-
dc.date.issued2016-02-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10316/33358-
dc.descriptionTrabalho de revisão do 6º ano médico com vista à atribuição do grau de mestre (área científica de psiquiatria) no âmbito do ciclo de estudos de Mestrado Integrado em Medicinapor
dc.description.abstractCerca de 350 milhões de pessoas em todo mundo sofrem de depressão. Dados epidemiológicos recentes indicam que a incidência da depressão major (DM) pode estar a aumentar entre as pessoas com idade inferior a 20 anos, sugerindo uma potencial ação dos fatores ambientais na modulação da carga/risco desta patologia. Numa sociedade cada vez mais “medicalizada” e “psiquiatrizada”, torna-se imperativo o desenvolvimento de investigação, que vise a obtenção de conhecimento mais extenso acerca das causas e das possíveis alternativas terapêuticas eficazes da depressão. Ao integrar fatores psicológicos e biológicos, o presente estudo pretende contribuir para a compreensão da neurociência do exercício na fisiopatologia da depressão, apresentando um conjunto de evidências que fundamentem uma prescrição racional e individualizada do exercício no tratamento da mesma. Para a concretização da presente revisão da literatura, foi realizada pesquisa, desde Março de 2015 até Janeiro de 2016, a partir de livros de texto, artigos científicos de investigação, revistas, jornais e websites de referência, perfazendo um total de 106 referências a citar. Relativamente aos resultados e discussão, numa primeira fase, foram abordadas questões alusivas à eficácia dos diferentes tipos de exercício, em terapia isolada ou como medida coadjuvante da terapêutica farmacológica, analisando e descrevendo, sucintamente, os vários estudos clínicos e revisões que apoiam o uso do exercício no tratamento da depressão e, procedendo, posteriormente, a um sumário da evidência preexistente relativa aos possíveis mecanismos neurobiológicos que medeiam os seus efeitos, nomeadamente nos processos associados à Neurotransmissão, Neurogénese e Plasticidade Neuronal, Imunoinflamação e eixo Hipotálamo-Hipófise-Adrenal (HHA), culminando com algumas recomendações, baseadas na evidência supramencionada, para a prescrição do exercício. Em suma, este trabalho pretende, assim, fornecer um contributo para a evolução do pensamento médico, ao fornecer os alicerces neurobiológicos que podem sustentar uma prescrição e uma prática clínica racionais, baseadas nas conclusões, onde é possível constatar o efeito antidepressivo do exercício, condicionado por vários mecanismos neuroendocrinoimunológicos. No entanto, é necessária mais investigação, não só para aumentar o leque de potenciais mecanismos envolvidos na fisiopatologia dos efeitos antidepressivos do exercício, mas também para possibilitar a criação de um modelo que integre os mecanismos biológicos, fisiológicos, neurológicos e psicológicos, associados aos seus efeitos. Nearly 350 million people in the whole world suffer from depression. According to recent epidemiological data, major depression incidence may be increasing among people under the age of 20, suggesting a potential role played by environmental factors in the risk modulation of this pathology. In an ever so more “drugged” and “psychiatrized” society, the development of research aiming at obtaining further knowledge as regards to the causes of depression and the efficient therapeutic alternatives available, is this thus of utmost importance. By linking both psychological and biological factors, this study intends to contribute to the understanding of the neuroscience exercise in depression physiopathology, presenting us with proof that corroborates a rational and individualized exercise prescription for the treatment of depression. For this literature review, searches were performed, since 2015 March till 2016 January, as from reference text books, scientific research articles, magazines, journals and websites, making a total of 106 references to quote. On discussion and results, and at an early stage, issues regarding the efficiency of different types of exercise, either as isolated or joint pharmacological therapy measures, as well as the detailed description of clinical trials and subsequent reviews that support the use of exercise in the treatment of depression, were dealt with. This was followed by a summary of the preexistent evidence, related to the potential neurobiological mechanisms that mediate the effect of exercise in the several deregulated ways which can characterize depression, namely in the processes associated with Neurotransmission, Neurogenesis and Neuronal Plasticity, Imunoinflammation and Hypothalamic-Pituitary-Adrenal axis, ending with some evidence-based recommendations for the prescription of exercise. In short, this work aims to broaden medical thinking, on this matter by providing the neurobiological foundations to support a rational clinical practice and prescription, which in turn is based on the conclusions, which point out the antidepressant effect of exercise, related to several neuroimmunoendocrine mechanisms. Nevertheless, more research in this area is needed not only to increase the range of potential mechanisms involved in the antidepressant physiopathology of exercise, but also to enable the creation of a model that could include the biological, physiological, neurological and psychological mechanisms, linked to its effects.por
dc.language.isoporpor
dc.rightsopenAccesspor
dc.subjectDepressãopor
dc.subjectExercício físicopor
dc.subjectPerturbações do Humorpor
dc.subjectNeurociênciapor
dc.subjectNeurotransmissãopor
dc.subjectNeurogénese e Plasticidade Neuronalpor
dc.subjectImunoinflamaçãopor
dc.subjectHHApor
dc.subjectAtividade Físicapor
dc.subjectPrescrição do Exercíciopor
dc.titleExercício na depressão : contributo para a compreensão da fisiopatologiapor
dc.typemasterThesispor
thesis.degree.nameMestrado Integrado em Medicinapor
item.grantfulltextopen-
item.fulltextCom Texto completo-
item.openairetypemasterThesis-
item.openairecristypehttp://purl.org/coar/resource_type/c_18cf-
item.cerifentitytypePublications-
item.languageiso639-1pt-
crisitem.advisor.deptFaculty of Medicine-
crisitem.advisor.parentdeptUniversity of Coimbra-
crisitem.advisor.researchunitCNC - Center for Neuroscience and Cell Biology-
crisitem.advisor.orcid0000-0002-9707-4895-
Appears in Collections:FPCEUC - Teses de Mestrado
UC - Dissertações de Mestrado
Files in This Item:
File Description SizeFormat
tese.pdftese1.11 MBAdobe PDFView/Open
Show simple item record

Page view(s) 5

1,152
checked on Nov 21, 2022

Download(s) 50

684
checked on Nov 21, 2022

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.