Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/31762
Title: Consequências da polimedicação em doentes idosos em ambulatório
Authors: Costa, José Pedro Vilaça da 
Orientador: Veríssimo, Manuel Teixeira Marques
Keywords: Cuidados ambulatórios; Polimedicação; Idoso
Issue Date: 2014
Abstract: A população caminha a passos largos para um envelhecimento pouco sustentável. A polimorbilidade e a polimedicação associadas a esta franja da sociedade (> 65 anos de idade) acredita-se estarem a aumentar, o que por si só acarreta consequências de várias ordens. Mesmo de forma isolada a plurimedicação conduz a um aumento do risco de reacções adversas medicamentosas (RAMs), interacções entre fármacos, prescrição inapropriada de fármacos (PIFs), uma precária adesão à terapêutica, síndromes geriátricas (p.ex., quedas, incontinência urinária, alterações cognitivas), défices funcionais ou nutricionais e encargos de ordem financeira. Assiste-se a uma consciencialização crescente de que grande parte dos eventos associados à polimedicação são passíveis de prevenção, estando a prescrição inapropriada em especial enfoque. Assim sendo, têm-se elaborado vários estudos intervencionais com o intuito de avalizar a possibilidade de redução efectiva dos esquemas farmacoterapêuticos dos doentes geriátricos e seu impacto no prognóstico dos mesmos. Neste artigo de revisão pretendeu-se reunir a informação científica mais relevante e actualizada sobre os conceitos relacionados com a plurimedicação e suas consequências em indivíduos idosos em contexto de ambulatório, incluindo a descrição da sua epidemiologia, de factores de risco associados e dos resultados de estudos intervencionais elaborados. Constatei as discrepâncias entre os resultados dos estudos intervencionais referidos, causadas possivelmente pelas diversas metodologias aplicadas, pelas diferenças encontradas entre sistemas de saúde de diferentes países, ou mesmo pela utilização de definições de polimedicação desiguais. Apesar disto, os estudos intervencionais multidisciplinares, envolvendo médicos, farmacêuticos e enfermeiros CONSEQUÊNCIAS DA POLIMEDICAÇÃO EM DOENTES IDOSOS DE AMBULATÓRIO 5 parecem ser aqueles que demonstram resultados mais consistentes. Por fim são abordadas neste artigo recomendações descritas na literatura como estratégias de redução da polifarmacoterapia em doentes de ambulatório, nomeadamente o método ACADEMIA. Após compreensão das características que estão subjacentes a esta prática, e através da sensibilização dos profissionais de saúde, particularmente da comunidade médica, acredita-se ser possível combater os efeitos nefastos da polimedicação inapropriada em idosos de ambulatório
Our population progresses rapidly towards an unsustainable ageing. The polymorbidity and polypharmacy associated with this group of people (> 65 years old) are believed to be increasing, producing different types of consequences. By itself, multiple medication leads to an increased risk of adverse reactions to drugs, drug interactions, inappropriate drug prescription, poor drug adherence, geriatric syndromes (eg,. falls, urinary incontinence, cognitive impairment), functional or nutritional deficits and financial burdens. There’s an increasing notion that a significant part of polypharmacy associated events are preventable, and inappropriate prescription has a particular importance. Thus, there have been conducted several interventional studies with the purpose of accessing the possibility of effectively reducing the pharmacotherapeutic schemes of geriatric patients and its impact on their prognosis. This review article aims to reunite the most relevant and recent scientific evidence concerning the topics related to polypharmacotherapy and its consequences in aged patients in the ambulatory setting, including the description of its epidemiology, associated risk factors and the results of interventional studies. There are discrepancies among the results of the referred interventional studies, possibly caused by the methodologies applied, the differences between healthcare systems in different countries or even the use of dissimilar definitions of polypharmacy. Nevertheless, multidisciplinary interventional studies, involving physicians, pharmacists and nurses seem to present the more consistent results. Finally, there are approached recommendations described in the literature like strategies to reduce multiple medicines in ambulatory patients, namely the ACADEMIA method. Following the understanding of the characteristics subjacent to this practice and through the awareness-raising of CONSEQUÊNCIAS DA POLIMEDICAÇÃO EM DOENTES IDOSOS DE AMBULATÓRIO 7 healthcare workers, particularly in the medical community, it is possible to diminish the ominous effects of inappropriate polypharmacy in this setting
Description: Trabalho final de mestrado integrado em Medicina (Geriatria), apresentada á Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/31762
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Tese_Artigo de revisão.pdf728.45 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 1

2,971
checked on Nov 24, 2021

Download(s) 50

486
checked on Nov 24, 2021

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.