Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/31622
Title: A igreja como locus ideal de formação na problemática antidonatista de Santo Agostinho
Authors: Pirateli, Marcos Roberto
Orientador: Melo, José Joaquim Pereira
Dias, Paula Cristina Barata
Keywords: Santo Agostinho
Antiguidade Tardia
Igreja Católica
Império Romano
Donatismo e Antidonatismo
Magistério Católico
Disciplina Eclesiástica
Educação
Saint Augustine
Antiquity
Late Antiquity
Catholic Church
Roman Empire
Donatism and anti-Donatism
Issue Date: 4-Oct-2015
Citation: PIRATELI, Marcos Roberto - A igreja como locus ideal de formação na problemática antidonatista de Santo Agostinho. Coimbra : [s.n.], 2015. Tese de doutoramento. Disponível na WWW: http://hdl.handle.net/10316/31622
Abstract: A presente tese tem como objetivo analisar nas réplicas do corpus antidonatista de Agostinho (354-430), Bispo de Hipona (norte da África), como o seu conceito de universalidade da Igreja está vinculado a um caráter educativo, isto é, como locus ideal formativo, argumento que respondeu ao processo de ascensão do catolicismo no final da Antiguidade. Para tanto, a pesquisa se sustentou em uma metodologia que contempla a necessidade de desvendar as transformações sociais do mundo romano em meio à integração do Império com o catolicismo, e tal situação, longe de ser um processo idílico, como demonstra a crise donatista – dissidência religiosa e política da província romana da África – conduziu Agostinho a elaborar uma argumentação sobre a relação Igreja e Império, em que este, por adotar o cristianismo como religião, deveria assumir a tarefa de auxiliador do catolicismo, inclusive, como força disciplinar. Com investigação em dados historiográficos, ou seja, respaldado pela lógica histórica, foi possível apreender como o clero elaborou uma visão de mundo (modelador de comportamentos) e articulou meios para sua relação de dominação que possibilitou à Igreja católica ascender como instituição organizadora da sociedade: em suma, o conceito agostiniano de Igreja foi tomado em sua historicidade, a Antiguidade Tardia. A rigor, Agostinho apontou como resposta aos problemas sociais de sua época a defesa de uma instituição ideal e/ou idealizada: a Igreja, definida em sua universalidade como “Católica”. Para demonstrar isto, defendeu-se a tese de que três dimensões educativas fundamentaram o seu pensamento: primeiro, o papel formativo atribuído ao clérigo, sobretudo o bispo, desde o seu exercício pedagógico a partir da cathedra até a sua colegialidade episcopal na elaboração do magistério católico; segundo: a defesa de uma prática pedagógica com a disciplina ecclesiastica tendo em vista corrigir erros comportamentais e doutrinais para a unidade dos cristãos; e por último, a ideia da possibilidade de mudança inerente à condição humana como lógica da transformação e, conforme pensou, a santificação dos cristãos, mas cujo proveito dependeria do percurso educativo desenvolvido na Igreja.
Current thesis analyzes the anti-Donatist response corpus of St. Augustine (354-430), Bishop of Hippo, northern Africa, as his concept of the universality of the Church linked to the educational trait, or rather, as the ideal formative locus. It was actually the argument to the process of the ascension of Catholicism at the end of Antiquity. Current research has been foregrounded on the methodology of revealing the social transformations of the Roman worldview within the integration of the Roman Empire and Catholicism. These conditions, which did not constitute an idyllic process as the Donatist crisis (a religious and political dissidence of the Roman province in Africa) showed, caused Augustine to construct his arguments on the Church-Empire relationship in which the latter factor should have an auxiliary role by adopting Christianity as its religion, even within a disciplinary stance. Historiographical data foregrounded on a historical logic revealed how the clergy elaborated a worldview (a modeler of behavior) and fabricated means for domination by which the Catholic Church could become a society-organizing institution. In other words, the Augustinian concept of the Church derived from its historicity, or Late Antiquity. Strictly speaking, Augustine assumed the defense of an ideal and idealized institution, or rather, the Church defined as Catholic or Universal, as a response to the social problems of his age. Current thesis shows three educational dimensions that were the bases of his argument: first, the formative role of the clergy, especially the bishop, ranging from his pedagogical exercise on the cathedra to the episcopal collegiality in the elaboration of the Catholic magisterium; second, the defense of a pedagogical practice through the disciplina ecclesiastica, aiming at the correction of behavior and doctrinal errors for the union of all Christians; third, the idea of the possibility of change, inherent to the human condition, as a logic of transformation and, in his view, the sanctification of Christians whose success would depend on the educational course developed by the Church.
Description: Tese de doutoramento em Estudos Clássicos e em Educação, apresentada à Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra e à Universidade Estadual de Maringá
URI: http://hdl.handle.net/10316/31622
Appears in Collections:FLUC Secção de Estudos Clássicos - Teses de Doutoramento



FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.