Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/31184
Title: Revisão epidemiológica da esclerose múltipla
Authors: Silva, Maria da Conceição Pinheiro Torres da 
Orientador: Sousa, Lívia Maria Abreu Freire Diogo
Freitas, João André Sargento Araújo de
Keywords: Esclerose múltipla; Epidemiologia
Issue Date: 2011
Abstract: Introdução: A Esclerose Múltipla é uma doença desmielinizante do Sistema Nervoso Central, imuno-mediada e crónica, altamente incapacitante, que afecta mais de 1 milhão de pessoas em todo o mundo. Os diversos estudos epidemiológicos realizados ao longo dos anos têm fornecido indícios sobre a sua possível etiologia, mas nunca de uma forma assertiva. Objectivos: Realização de uma actualização de conceitos e conhecimentos na área da patogénese da Esclerose Múltipla, abordando os mais recentes e relevantes dados epidemiológicos (factores genéticos e ambientais) e como a sua interpretação nos ajuda a compreender as diversas dimensões desta patologia, no sentido de encontrar novas armas terapêuticas. Desenvolvimento: Vários factores ambientais e genéticos têm sido descritos como possíveis agentes etiopatogénicos mas a variedade fenotípica, genética e imunológica que caracterizam esta doença, tornam a sua abordagem complexa. Conclusões: Os dados decorrentes dos estudos epidemiológicos são fundamentais para a compreensão da Esclerose Múltipla. A heterogeneidade que a caracteriza parece dever-se a interacções multifactoriais entre um componente poligénico e factores ambientais como a Vitamina D e o Vírus Epstein-Barr
Introduction: Multiple Sclerosis is a demielynating, imuno-mediated, chronic disease of the central nervous system, highly disabling, afecting more than one million of people worldwide. All over the years, several epidemiologic studies have been providing clues about its aetiology, but never in an assertive way. Aims: In this review, we look forward to update concepts and acquirements in Multiple Sclerosis pathogenesis, adressing the novel and most relevant epidemiologic data (both genetics and environmental factors) and how its reading lead us to understand the multiple dimensions of this disease, aiming new therapeutic weapons. Development: Both genetic and environmental factors have been implied as potencial etiopathogenic agents, but its phenotipic, genetic and immunologic variety, becomes a difficult task. Conclusions: Epidemiological studies are crucial to understand Multiple Sclerosis. The heterogeneity that characterizes it seems to be due to multifactorial interactions between a polygenic component and environmental factors such as Vitamin D and Epstein-Barr virus.
Description: Trabalho de mestrado integrado em Medicina (Neurologia), apresentado à Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/31184
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
6 ano MIM Trabalho Final Capa.pdfCapa69.08 kBAdobe PDFView/Open
Epidemiologia da Esclerose Múltipla.pdfDocumento principal1.19 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 5

1,495
checked on Sep 21, 2020

Download(s) 5

3,207
checked on Sep 21, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.