Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/30837
Title: Ossos do ofício : as alterações da entese numa amostra da coleção de esqueletos identificados do Departamento de Ciências da Vida da Universidade de Coimbra
Authors: Pinto, Sónia 
Orientador: Umbelino, Cláudia
Keywords: Marcadores de Stresse; Músculo-esqueléticos (MSM); Inserção muscular/ligamentar; Cunha e Umbelinoi (1995); Atividade física
Issue Date: 2013
Citation: PINTO, Sónia - Ossos do ofício : as alterações da entese numa amostra da coleção de esqueletos identificados do Departamento de Ciências da Vida da Universidade de Coimbra. Coimbra : [s.n.], 2013. Dissertação de Mestrado em Evolução e Biologia Humanas.
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: Os Marcadores de Stresse Músculo-esqueléticos (MSM), referentes às alterações da entese (AE), são usados frequentemente em reconstruções da atividade e da intensidade de trabalho em populações ancestrais (Niinimäki, 2011, 2012). Todavia, a correlação entre a atividade física e os MSM não é simples. Os objetivos fulcrais do presente estudo prenderam-se com a análise dos MSM em 28 zonas de inserção musculares/ligamentares, através do método de Mariotti e colaboradores (2004 e 2007) e, também, com a comparação deste estudo com a investigação de Cunha e Umbelino (1995), realizada com a mesma amostra. A amostra examinada proveio da Coleção de Esqueletos Identificados do Departamento de Ciências da Vida da Universidade de Coimbra e, incluiu 152 indivíduos (57 do sexo feminino e 95 do sexo masculino), com idades compreendidas entre os 25 e os 74 anos. Dos resultados obtidos depreende-se que os erros intra e inter observador são aceitáveis (4,9% e 17,2%, respetivamente). Foram encontradas poucas diferenças estatisticamente significativas quando correlacionadas as cinco categorias ocupacionais com as inserções musculares/ligamentares avaliadas, porém constatou-se uma maior frequência de MSM nas ocupações que exigem maior esforço físico. Relativamente à lateralidade, examinou-se uma propensão geral para a lateralidade direita. Observou-se, também, uma tendência para os indivíduos apresentarem maiores taxas de robustez e lesões osteofíticas e osteolíticas com o avançar da idade, com uma única exceção do sexo masculino, nas lesões osteolíticas. A análise das diferenças entre os sexos revelou uma ligeira preponderância do sexo masculino para apresentar mais MSM que o sexo feminino. A comparação com o estudo de Cunha e Umbelino (1995) revelou que, ao serem comparados apenas os resultados das lesões osteofíticas, as conclusões obtidas são similares. Contudo, a avaliação exclusiva destas lesões encobre informação importante. O método de Mariotti e colaboradores (2004 e 2007) mostrou-se mais indicado, em estudos de MSM, que o método de Crubézy (1988), permitindo apurar novos conhecimentos.
Musculoskeletal stress markers (MSM), referring to entheseal changes (EC), are usually employed in reconstructions of the activity and intensity of work in ancient populations (Niinimäki, 2011, 2012). However, the correlation between physical activity and MSM is not simple. The main objectives of the present study were to analyze MSM in 28 muscle/ligament insertion zones, through application of the Mariotti and colleagues method (2004 & 2007), and the comparison of this study with the investigation of Cunha and Umbelino (1995) made on the same sample. The examined sample came from the Collection of Identified Skeletons of University of Coimbra’s Department of Life Sciences, and included 152 individuals (57 females and 95 males), with ages at death between 25 and 74 years old. From the obtained results comes that the intra- and inter-observer errors are acceptable (4,9% and 17,2%, respectively). Few statistically significant differences were found when five occupational categories were correlated with the evaluated muscle/ligament intersections. Yet, a bigger frequency of MSM at the occupations that implicate a bigger physical effort have been noticed. Relatively to the laterality, a general bias for the right laterality was observed. A tendency towards a bigger robustness rate and a bigger presence of osteophytic and osteolytic lesions with the age progress was also observed, with an only exception for the osteolytic lesions in males. The analyse of differences between genders has revealed a slight preponderance towards males showing more MSM than females. The comparison with Cunha and Umbelino (1995) study revealed that, only comparing the osteophytic lesions results, the conclusions are identical. However, the exclusive evaluation of these lesions hides important information. Mariotti and colleagues (2004 & 2007) method has been shown more accurate, in MSM studies, than the Crubézy (1998) method, allowing to ascertain new data.
Description: Dissertação de Mestrado em Evolução e Biologia Humanas, apresentada ao Departamento de Ciências da Vida da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra.
URI: http://hdl.handle.net/10316/30837
Rights: openAccess
Appears in Collections:I&D CIAS - Dissertações de Mestrado
FCTUC Ciências da Vida - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Dissertação, Sónia Pinto, 2013.pdf2.13 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 10

652
checked on Sep 17, 2019

Download(s) 20

507
checked on Sep 17, 2019

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.