Title: Efeitos da idade e do défice cognitivo na autoestima, na autoeficácia, no bem-estar e no stress de idosos institucionalizados
Authors: Oliveira, Ana Hermínia Machado de 
Keywords: Idosos institucionalizados
Issue Date: 2015
Citation: Oliveira, A. H. M. (2015). Efeitos da idade e do défice cognitivo na autoestima, na autoeficácia, no bem-estar e no stress de idosos institucionalizados. Dissertação de mestrado, Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra, Coimbra, Portugal.
Abstract: Objetivo: O presente estudo teve como objetivo analisar o efeito da idade e do défice cognitivo na autoestima, na autoeficácia, no bem-estar e no stress de idosos institucionalizados. Métodos: Realizou-se um estudo transversal, a partir de um único momento, onde foram avaliados 62 indivíduos, do género feminino, com idades entre os 65 e 98 anos, pertencentes a duas instituições. Para avaliar o efeito da idade, a amostra foi dividida em dois grupos, o grupo dos indivíduos com idades compreendidas entre os 65 e os 75 anos (n=15) e o grupo dos indivíduos com mais de 75 anos (n=47). Para analisar o efeito do défice cognitivo, a amostra foi dividida em dois grupos, o grupo com défice cognitivo (n=42) e o grupo sem défice cognitivo (n=20). Para avaliar as diversas variáveis foram aplicados os seguintes instrumentos Mini-Mental State Examination, Self-Esteem Scale, General Self-Efficacy Scale, Well-Being Índex (WHO-5), Perceived Stress. Resultados: Os resultados mostraram que no grupo de sujeitos com idades compreendidas entre os 65 e os 75 anos não houve correlação entre as variáveis em análise. No grupo mais de 75 anos, verifica-se que há correlação direta entre os resultados do Mini Exame do Estado Mental e da Escala de Autoeficácia Geral Percecionada, assim como também há correlação inversa entre os resultados do Mini Exame do Estado Mental e da Escala do Stress Percecionado. Observou-se que apenas há diferenças entre os grupos 65-75 anos e mais de 75 anos na Escala de Autoestima. Relativamente aos grupos com e sem défice cognitivo, apenas se verificou haver diferenças, entre os dois grupos, no Mini Exame do Estado Mental. Conclusão: No presente estudo, no grupo mais de 75 anos foram encontradas evidências de que existe uma correlação direta entre os níveis de cognição e de autoeficácia. Neste mesmo grupo também se verificou uma correlação inversa entre os níveis de cognição e de stress. Nos grupos 65 – 75 anos e mais de 75 anos apenas se observaram diferenças nos níveis de autoestima. Relativamente aos grupos com e sem défice cognitivo não se verificaram diferenças entre os grupos na autoestima, autoeficácia, bem-estar e stress. De forma a colmatar as lacunas existentes na literatura, futuras pesquisas serão necessárias. Palavras-chave: Cognição, idosos, bem-estar, autoestima, autoeficácia, stress. vii ABSTRACT Objective: The present study aimed at analyzing the effect of age and cognitive deficit on self-esteem, self-efficacy, well-being and stress on institutionalized elderly. Methods: A transversal study taken at a single moment was performed on 62 female individuals with ages ranging from 65 to 98 years old belonging to two different institutions. The study sample was divided in two groups in order to evaluate the age effect, one group encompassed individuals with ages ranging from 65 to 75 years old (n=15) and the other group involved individuals over 75 years old (n=47). In order to analize the cognitive deficit effect, the study sample was also divided in 2 groups, one group containing the individuals with cognitive deficit (n=42) and the other group with individuals not presenting cognitive deficit (n=20). The different variables were evaluated by the following tools: Mini-Mental State Examination, Self-Esteem Scale, General Self-Efficacy Scale, Well-Being Índex (WHO-5), Perceived Stress. Results: The obtained results show that for the group regarding individuals with age ranging from 65 to 75 years old there was no correlation between the analyzed variables. Regarding the group of individuals over 75 years old, a direct correlation can be established between the results gathered for the Mini-Mental State Examination and the General Self-Efficacy Scale ones. There is also an inverse correlation between the results obtained for the Mini-Mental State Examination and the Perceived Stress data. When comparing the two groups, the 65 to 75 years old group and the over 75 years old group, differences were only detected at the self-esteem scale. Regarding the cognitive deficit study, differences between the groups were only detected when using the Mini-Mental State Examination tool. Conclusion: The present study was able to establish a direct correlation between cognition level and self-efficacy in the 75 years old sample group. For the same group an inverse correlation between stress and cognition level was found. Comparing both the 65 to 75 years old group and the 75 years old group, differences were only detected between groups regarding the self-esteem levels. Concerning the groups presenting or not a cognitive deficit, no difference between them was verified at either self-esteem, self-efficacy, well-being or stress levels. Future research is necessary in order to fulfill the gaps currently present in the literature.
Description: Dissertação de mestrado em Exercício e Saúde em Populações Especiais, apresentada à Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/30243
Rights: openAccess
Appears in Collections:FCDEF - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Dissertaçao Ana Oliveira 2015.pdf2.22 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record
Google ScholarTM
Check
Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.