Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/29721
Title: A dengue: um (novo) problema de saúde pública em Portugal e na Europa
Authors: Domingues, Ana Luísa Costa 
Orientador: Rosa, Manuel Amaro de Matos Santos
Keywords: Dengue, Portugal; Dengue, Europa; Saúde pública
Issue Date: 2015
Abstract: A dengue é uma infeção viral transmitida por mosquitos, causada por quatro diferentes serotipos do vírus da dengue (DENV), que nas últimas décadas se transformou num grande problema de saúde pública a nível global, sendo que nem vacina nem tratamento específico estão disponíveis. Pensa-se que o número de infeções anuais possa chegar aos 390 milhões por ano, causando 500 mil casos de dengue severa e mais de 20 mil mortes. Pensa-se que o número de infeções anuais possa chegar aos 390 milhões por ano, causando 500 mil casos de dengue severa e mais de 20 mil mortes. O vetor primário do DENV é o mosquito Aedes aegypti, enquanto o Aedes albopictus é o vetor secundário. Segundo a nova classificação da OMS, a dengue divide-se em dengue, com ou sem sinais de alarme, e dengue severa. A ocorrência de dengue severa foi fortemente associada a infeções secundárias com serotipo diferente da primeira infeção, podendo isto ser explicada pela teoria de potenciação dependente de anticorpos e, mais recentemente, pelo papel das células T. Será a produção de citocinas as principais causadoras do vazamento plasmático observado, mas os eventos ao nível do sistema imune decorrentes de uma infeção pelo DENV são complexos e de conhecimento limitado. O ECDC é a entidade central que ajuda a orientar os países europeus ao nível da vigilância de vetores, e a REVIVE a responsável em Portugal. Os métodos de controlo passam por estratégias ambientais, biológicas e químicas, além da participação da comunidade. A dengue já esteve presente em Portugal e na Europa até ao século passado, mas, com a eliminação do A. aegypti, não se verificaram casos autóctones até, depois da introdução do A. albopictus, a ocorrência de surtos em França e Croácia, em 2010. Em 2012, ocorreu o primeiro surto de dengue na Madeira, provocado pelo A. aegypti. Ambas as espécies já estão presentes em território europeu, e, com as alterações climáticas, poderão ocorrer alterações no padrão dispersivo do vetor e aumentar a adequabilidade climática para o seu estabelecimento. A presente dissertação tem como objetivo a revisão do conhecimento mais recente sobre a dengue enquanto problema de saúde pública e desafio ao sistema imunitário, estimar as potencialidades futuras da dengue em Portugal e na Europa e apresentar propostas para uma melhor preparação em caso de surto futuro e de presença de dengue de novo na Europa.
Dengue is arthropod-borne viral infection caused by four different dengue virus (DENV) serotypes and that in the last decades became a major public health problem globally. Neither vaccine nor specific treatment are presently available. It is thought that the number of infections per year can be as high as 390 million, causing 500,000 cases of severe dengue and more than 20,000 deaths. The primary vector of DENV is Aedes aegypti mosquito, while Aedes albopictus is the secondary vector. According to the recent WHO classification, dengue is now dengue with or without warning signs and severe dengue. Severe dengue was strongly associated with secondary infections with a different serotype from the first infection. This can be explained by the theory of antibody-dependent enhancement and, more recently, by the possible role of the T-cells. Cytokine production was accused as being the main cause of plasma leakage observed in dengue patients. However, the immune events due to DENV infection are complex and not well known. The ECDC is the central authority that provides the European countries with guidelines for the vector surveillance. REVIVE is the entity responsible for the surveillance in Portugal. The vector control methods go from environmental, biological and chemical strategies to community participation. Dengue was present in Portugal and in Europe until the last century, but, with the elimination of A. aegypti, there were no autochthonous dengue cases until the outbreaks in France and Croatia in 2010, after the introduction of A. albopictus. In 2012, the first dengue outbreak occurred in Madeira, caused by A. aegypti. Both species are already present in the European region and, with the expected climate change, there could be some changes in the vector dispersive pattern and increased climatic suitability to its establishment. The present dissertation aims to review the current knowledge of dengue as a public health problem and a challenge to the immune system, assess the future potentialities of dengue in Portugal and in Europe, and suggest actions to a greater prevention state in case of a future outbreak and the presence of dengue in Europe once again
Description: Dissertação de mestrado em Saúde Pública, apresentada à Faculdade de Medicina da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/29721
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Dengue - dissertação (24-06-2015).pdf2.57 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 5

1,499
checked on Sep 24, 2020

Download(s) 5

2,732
checked on Sep 24, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.