Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/28922
Title: The role of vegetation cover and diet in explaining long-term changes in the breeding population of little terns (Sternula albifrons) in Ria Formosa, Algarve
Authors: Lopes, Catarina Santos 
Orientador: Ramos, Jaime Albino
Paiva, Vítor Hugo
Keywords: Cobertura vegetativa; Variáveis ambientais; Oscilação do Atlântico Norte; Parâmetros reprodutores; Chilreta (Sternula albifrons)
Issue Date: 2014
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: Seabird populations are naturally regulated and their demographic fluctuations are explained by mainly two factors: the availability of suitable breeding habitats and the presence of foraging habitats with appropriate food resources. An important characteristic in determining suitability of breeding habitats for ground nesting seabirds is their vegetative cover. Suitable foraging habitats determine the availability of food resources, and are influenced by environmental variables, such as the climatic proxy, North Atlantic Oscillation (NAO) index. Environmental variables are known to affect the distribution of food resources in the marine environment which can cause declines in the availability of prey fish for seabirds. Little Terns (Sternula albifrons) are known to avoid nesting on densely vegetated areas to avoid predation, however the habitats with low vegetative cover preferred by these birds to nest are subjected to the overgrowth of vegetation which leads to the abandonment of the breeding site. Little Terns are also highly susceptible to fluctuations in food availability, especially during the breeding season, and abrupt changes in their diet can lead to variations in their breeding performance which will ultimately affect the breeding population size. This study aimed to first, evaluate if the fluctuations in Little Tern breeding population size in Ria Formosa, Algarve, could be explained by changes in vegetation cover. Secondly, it also intended to assess the role of the environmental variables and annual variations in diet, in Little Tern breeding parameters and in the number of breeding pairs in Ria Formosa, Algarve. The percentage of vegetation cover in each sandy beach was calculated from aerial pictures of Ria Formosa barrier islands from 1976 to 2012, and related with census data from the same period. A linear regression model was performed between these two variables, after controlling for the effect of environmental variation (NAO index), and predictions of the percentage of the number of breeding pairs nesting on sandy beaches of Ria Formosa for a given percentage of vegetation cover were made. To better address this relation between the number of breeding pairs and vegetation cover, a habitat experiment was made on a site with vegetation overgrowth, with the removal of part of the vegetation before the beginning of Little Tern’s breeding season. A comparison of the percentage of vegetation cover between breeding sites in salinas and on sandy beaches was also made. Little Tern diet and breeding parameters (clutch size, timing of breeding and egg size) in Ria Formosa were studied in 2012, 2013 and2014 and added to previous published data (2002 to 2011). Annual variations in diet and the NAO index were related with breeding parameters and with census data from 1979 to 2014, to assess whether environmental variables and, as a consequence, diet could explain the fluctuations in the number of breeding pairs. A strong negative relation was found between the number of Little Tern breeding pairs nesting on sandy beaches and the percentage of vegetation cover in this breeding habitat. In salinas, the same pattern was observed in the site subjected to the habitat experiment: the site was abandoned by breeding Little Terns when the vegetation cover became unsustainable to breed, however, birds returned to that site following vegetation removal. The comparison of the levels of vegetation between the two types of breeding habitats showed that vegetation cover in salinas was greater than that on sandy beaches, and also that sandy beaches with smaller vegetation cover had a higher number of breeding pairs. The breeding population size fluctuations over the years were also related with the environmental conditions, as captured by the NAO index. There was a relation between the negative NAO conditions and (1) earlier breeding, (2) larger clutch size, and, as a consequence, (3) higher number of breeding pairs. Diet was also related with breeding parameters and, consequently, with the number of breeding pairs. The climatic variation measured by the NAO index did not show a significant relation with the number of breeding pairs nesting in each sandy beach colony, so we suggest that the percentage of vegetation cover is more important in explaining the breeding population size on a local scale. Similarly, in a more regional scale the food availability, determined by the climatic conditions and the NAO index, should play an important role in explaining the number of breeding Little Terns.
As populações de aves marinhas são reguladas naturalmente e as suas flutuações demográficas são explicadas principalmente por dois fatores: a disponibilidade de habitats de reprodução adequeados e a presença de habitats de alimentação com recursos alimentares apropriados. Uma característica importante na determinação da adequabilidade dos habitats de reprodução em aves marinhas que se reproduzem no solo é a sua cobertura vegetativa e os habitats de alimentação são afetados por variáveis ambientais, tais como a Oscilação do Atlântico Norte (NAO). As variáveis ambientais são conhecidas por influenciar a distribuição dos recursos alimentares no ambiente marinho o que pode provocar declínio na abundância de pequenos peixes pelágicos para as aves marinhas se alimentarem. A Andorinha-do-mar-anã ou Chilreta (Sternula albifrons) é conhecida por evitar nidificar em áreas com vegetação de forma a evitar a predação, mas os habitats com baixa cobertura vegetativa, preferidos por esta ave para nidificar, estão sujeitas ao crescimento exagerado da vegetação o que leva ao abandono do local. A Chilreta é também altamente suscetível a flutuações na disponibilidade de alimento, especialmente durante a época de reprodução, e alterações abruptas na sua dieta podem levar a variações no seu desempenho reprodutor e, em última análise, afetar o tamanho da população reprodutora. Este estudo teve o objetivo de, primeiramente, avaliar se as flutuações no tamanho da população reprodutora de Chilreta na Ria Formosa, Algarve, poderiam ser explicadas por alterações na cobertura vegetativa. Por outro lado, também pretendeu avaliar o papel das variáveis ambientais e das variações anuais na dieta nos parâmetros reprodutores da Chilreta e no número de casais reprodutores na Ria Formosa, Algarve. A percentagem de cobertura vegetativa em cada praia foi calculada a partir de fotografias aéreas das ilhas barreira da Ria Formosa, recolhidas entre 1976 e 2012, e relacionada com dados de censos recolhidos no mesmo período. Foi efetuado um modelo de regressão linear entre estas duas variáveis, após controlar para o efeito das variáveis ambientais (índice NAO), e foram feitas previsões da percentagem do número de casais reprodutores a nidificar nas praias da Ria Formosa para uma certa percentagem de cobertura vegetativa. De modo a avaliar melhor a relação entre o número de casais reprodutores e a cobertura vegetativa, foi realizada uma experiência de gestão de habitat, num local específico em que a vegetação cresceu exageradamente, com a remoção de parte da vegetação antes do início da época reprodutora da Chilreta.Foi também efetuada uma comparação da percentagem de cobertura vegetativa entre os locais de reprodução nas salinas e nas praias. Foram estudados a dieta e os parâmetros reprodutores (tamanho das posturas, tamanho dos ovos e iniciação das posturas) da Chilreta na Ria Formosa nos anos 2012, 2013 e 2014 e adicionados a dados previamente publicados (2002 a 2011). As variações anuais na dieta e o índice NAO foram relacionados com os parâmetros reprodutores e com dados de censos entre 1979 e 2014, para avaliar se as variáveis ambientais e, consequentemente, a dieta poderiam explicar as flutuações no número de casais reprodutores. Foi encontrada uma forte relação negativa entre o número de casais reprodutores de Chilreta nidificando nas praias e a percentagem de cobertura vegetativa neste habitat. Nas salinas foi observado o mesmo padrão no local sujeito à experiência de remoção da vegetação: o local foi abandonado pela Chilreta quando a cobertura vegetativa se tornou insustentável para nidificar, mas as aves voltaram ao local logo após a remoção da vegetação. A comparação dos níveis de vegetação entre os dois tipos de habitats de reprodução mostrou que a cobertura vegetativa nas salinas é maior do que a das praias e, além disso, as praias com menor cobertura vegetativa apresentaram um maior número de casais reprodutores. As flutuações no tamanho da população reprodutora ao longo dos anos estavam também relacionadas com as condições ambientais, como traduzido pelo índice NAO. Houve uma relação entre as condições negativas do NAO e (1) início das ninhadas mais precoce, (2) maiores posturas e, como consequência, (3) maior número de casais reprodutores. A dieta também esteve relacionada com os parâmetros reprodutores e, consequentemente, com o número de casais reprodutores. A variação climática medida pelo índice NAO não mostrou uma relação significativa com o número de casais reprodutores a nidificar em cada colónia das ilhas barreira, o que nos faz sugerir que a percentagem de cobertura vegetativa é mais importante para explicar o tamanho da população reprodutora a uma escala local. Da mesma forma, numa escala mais regional, a disponibilidade de alimento, determinada pelas condições climáticas e pelo índice NAO, deverá ter um papel importante no número de Chilretas reprodutoras.
Description: Dissertação de mestrado em Ecologia, apresentada ao Departamento de Ciências da Vida da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/28922
Rights: openAccess
Appears in Collections:FCTUC Ciências da Vida - Teses de Mestrado
UC - Dissertações de Mestrado

Show full item record

Page view(s)

185
checked on Sep 27, 2022

Download(s)

170
checked on Sep 27, 2022

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.