Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10316/28672
Title: Efeitos de escorrências de minas de Urânio na decomposição foliar e ecologia do invertebrado Sericostoma vittatum
Authors: Lírio, Ana Virgínia da Silva Gonçalves Pereira 
Orientador: Canhoto, Cristina
Issue Date: 2009
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: Neste trabalho foram investigados os efeitos das escorrências de minas de Urânio (i.e. teores elevados de urânio (U), arsénico (As), ferro (Fe), mercúrio (Hg), zinco (Zn)) no processo de decomposição da folhada (Quercus robur) e ecologia dos invertebrados Sericostoma vittatum. Foi igualmente avaliada a capacidade de acumulação de metais presentes no meio ou fonte alimentar pelos detritos e invertebrados, respectivamente. Não se registaram diferenças significativas (p>0,05) na perda de massa, resistência foliar ou biomassa fúngica associada às folhas condicionadas em água de referência (Ribeira de Alhões) ou água contaminada (Ribeira da Pantanha) pelas escorrências da mina. Fenómenos de tolerância e/ou adaptação de espécies fúngicas redundantes poderão garantir a funcionalidade e estabilidade do sistema. No entanto, e apesar da contaminação por metais não parecer afectar o processo de degradação, folhas de carvalho condicionadas em água contaminada foram preteridas (p<0.05) e menos consumidas (p<0.05) pelas larvas de S. vittatum em relação a folhas condicionadas no meio de referência. Este comportamento alimentar pode prender-se com a potencial presença de uma comunidade fúngica foliar menos “apetecível” e/ou com a capacidade destes invertebrados detectarem um decréscimo da qualidade alimentar dos detritos promovida por níveis superiores de adsorção e/ou bioacumulação de metais pelas folhas e fungos associados, respectivamente. Em concordância, os detritívoros apresentaram taxas de crescimento inferiores (p < 0,001) quando alimentados ad libitum com folhas contaminadas (1,8% dia-1 vs. 1,77% dia-1). Esta diferença poderá dever-se a um menor consumo, mas também a consequências fisiológicas promovidas pelos níveis elevados da maioria dosmetais ingeridos e acumulados nos tecidos corporais das larvas alimentadas com folhas contaminadas - As, Hg, U, Zn (p < 0,001 para todos os casos). Considerando que a sensibilidade dos invertebrados à contaminação por metais parece ser mais fiável e consistente que a resposta microbiana sugere a utilização de parâmetros sub-letais como o comportamento alimentar ou as taxas de crescimento de espécies ecologicamente relevantes como ferramenta adicional válida para avaliar a qualidade da água em áreas afectadas pela actividade mineira.
In this study we investigated the effects of runoff from uranium mining (i. e. high levels of uranium (U), arsenic (As), iron (Fe), mercury (Hg), zinc (Zn)) and in the process of litter decomposition (Quercus robur) and ecology of invertebrates Sericostoma vittatum. We also assessed the capacity of accumulation of metals in the environment or food source for invertebrates and detritus, respectively. There were no significant differences (p> 0.05) in the mass loss, leaf resistance or fungal biomass associated with leaves conditioned in reference water (Ribeira of Alhões) or contaminated water (Ribeira of Pantanha)by runoff from mine. Phenomena of tolerance and / or adaptation of fungal species may provide a redundant functionality and stability of the system. However, although the metal contamination does not seem to affect the degradation process, oak leaves conditioned in contaminated water have been passed over (p <0.05) and consumed less (p <0.05) by the larvae of S. vittatum for leaves conditioned in the reference water. This feeding behavior can be due to the potential presence of a less attractive fungal leaf community and / or the ability of invertebrates to detect a decline in food quality of detritus promoted by higher levels of adsorption and / or bioaccumulation of metals by the leaves and fungi, respectively. Therefore, detritivores growth rates lower (p <0.001) when fed ad libitum with contaminated leaves (1.8% day-1 vs. 1.77% day-1). This difference may be due to reduced consumption, but also to physiological consequences promoted by high levels of most metals – As, Hg, U, Zn - ingested and accumulated in body tissues of larvae fed on contaminated leaves (p <0.001 for all cases)When compared, the sensitivity of invertebrates to metal contamination seems to be more reliable and consistent than the microbial response . This suggests the use of sub-lethal parameters such as feeding behavior or growth rates of ecologically relevant species as an additional valid tool to evaluate the water quality in areas affected by mining.
Description: Dissertação de mestrado em Biologia, apresentada ao Departamento de Zoologia da Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra
URI: https://hdl.handle.net/10316/28672
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado
FCTUC Ciências da Vida - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Tese de Mestrado.pdf198.37 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

210
checked on Apr 9, 2024

Download(s)

85
checked on Apr 9, 2024

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.