Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/27657
Title: Compaixão submissa, uma estratégia de ranking social: compreensão da sua natureza e função
Authors: Gaspar, Ana Catarina Viegas 
Orientador: Freitas, Paula Cristina de Oliveira de Castilho
Keywords: Compaixão
Issue Date: 23-Sep-2014
Serial title, monograph or event: Compaixão submissa, uma estratégia de ranking social: compreensão da sua natureza e função
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: Estudos recentes sugerem que ser compassivo e ajudar os outros promove o bem-estar e comportamentos de proximidade e ligação (Gilbert, 2005; Goetz et al., 2010). No entanto, as pessoas podem ser motivadas para a compaixão por diferentes razões. Em contraste com a compaixão genuína, quando o comportamento de carinho funciona como uma estratégia de desenvolver uma boa reputação, como ter uma imagem positiva na mente dos outros e, com isso, evitar a rejeição, designa-se de compaixão submissa (Catarino, Gilbert, McEwan, & Baião, 2013). Segundo a perspetiva evolucionária, esta forma de prestar cuidado aos outros pode estar associada às estratégias defensivas da ameaça social (e.g. rejeição, humilhação) e, como tal, estar negativamente associada ao bem-estar. O presente estudo pretendeu aferir e validar a Escala dos Motivos para a Compaixão (MCS; Catarino et al., 2014) para a população portuguesa, utilizando uma amostra de 519 sujeitos (32.4% do género masculino e 67.6% do género feminino). Foram analisadas as propriedades psicométricas da MCS. A estrutura fatorial foi de encontro à original, ou seja, uma estrutura unifatorial. A dimensionalidade da medida foi comprovada pela análise fatorial confirmatória, demonstrando bons índices de ajustamento. Os resultados também revelaram que MCS apresentou uma boa consistência interna, validade convergente e estabilidade temporal. Desta forma, este instrumento mostrou-se útil e fidedigno para a avaliação e investigação clínica da compaixão submissa.
Recent research has suggested that being compassionate and helpful to others promotes well-being and proximity and bonding behaviors. (Gilbert, 2005; Goetz et al., 2010). However, people can pursue compassionate motives for different reasons. In contrast with genuine compassion, when caring behavior used as a means to develop a good reputation, such as likeability in the minds of others and therefore avoiding rejection, it is then defined as submissive compassion (Catarino, Gilbert, McEwan, & Baião; 2013). According to the evolutionary perspective, this form/way of care giving may be associated with defensive strategies for dealing with social threat (e.g. rejection, humiliation), thus being negatively associated with well-being. The present study propose to assess and validate the Motives for Compassion Scale (MCS; Catarino et al., 2014) to the Portuguese population, using a sample of 519 subjects (32.4% males e 67.6% females). The psychometric properties of MCS were analyzed. The factorial structure replicated the original unifactorial structure. Adequacy of the measure was corroborated through confirmatory analyses, which revealed good adjustments indices. Results also showed that MCS holds a good internal consistency, convergent validity and temporal reliability. Therefore, this measure has shown to be an useful and reliable tool both in the assessment and clinical research for submissive compassion.
Description: Dissertação de mestrado em Psicologia Clínica e da Saúde (Intervenções Cognitivo-Comportamentais nas Perturbações Psicológicas e da Saúde), apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/27657
Rights: openAccess
Appears in Collections:FPCEUC - Teses de Mestrado
UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
TESE - Ana Catarina Gaspar.pdf907.36 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

530
checked on Sep 28, 2022

Download(s) 50

346
checked on Sep 28, 2022

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.