Title: O Impacto do Carcinoma Prostático na (Dis)Função Sexual, Relação Conjugal e nas Perturbações de Humor dos Doentes e seus Cônjuges: Importância do Aconselhamento Psicossexual
Authors: Sousa, Raquel Gomes Ferreira 
Orientador: Santos, Eduardo José Ribeiro
Lourenço, Mário
Keywords: Carcinoma próstático;Psicologia clínica
Issue Date: 16-Jun-2014
Citation: SOUSA, Raquel Gomes Ferreira de - O impacto do carcinoma prostático na (dis)função sexual, relação conjugal e nas perturbações de humor dos doentes e seus cônjuges : importância do aconselhamento psicossexual. Coimbra : [s.n.], 2013. Tese de doutoramento. Disponível na WWW: http://hdl.handle.net/10316/24498
Abstract: O presente estudo teve como objectivo realizar uma revisão da literatura acerca da (Dis)Função Sexual, Relação Conjugal e Perturbações de Humor dos Doentes com Carcinoma Prostático - CaP, isto é, Patologia Oncológica e seus Cônjuges. Por fim, foi efectuada, revisão da literatura acerca da importância do Aconselhamento Psicossexual, na população em estudo. Através da análise da literatura, procurou-se clarificar alguns conceitos e descrever de forma sintetizada alguns estudos efectuados nesta área. A partir do referencial teórico, criou-se um estudo empírico, com uma amostra clínica de 30 casais isto é, 60 participantes, sendo que 30 pertenciam ao género masculino e 30 ao género feminino. Com o presente estudo empírico, investigou-se o impacto que as terapêuticas do CaP têm em cada um dos elementos do casal. Para que fosse possível realizar o objectivo do estudo, foram criados dois momentos distintos, ou seja, o primeiro momento a ser avaliado diz respeito ao período que antecede a realização da biopsia e o segundo momento diz respeito à fase que precede o tratamento (i.e., terapêutica acumulada ao ano). Desta forma, a primeira fase designou-se – Antes da biopsia/ Fase pré tratamento, e a segunda fase designou-se – Após tratamento/ Pré tratamento. Quanto às características da amostra, todos os participantes se identificaram quanto à sua orientação sexual, como sendo heterossexuais. Dos 30 casais inquiridos todos eles eram caucasianos. O género masculino, aquando da realização da biopsia tinham idades compreendidas entre os 51 e os 75 anos, correspondendo a uma média de idades de 64.33. Quanto ao género feminino, estas tinham (i.e., entre Agosto e Setembro de 2013) idades compreendidas entre os 50 e os 76 anos, correspondendo a uma média de idades de 63.23. Foram exploradas as variáveis anteriormente mencionadas, através das seguintes medidas, no que diz respeito ao género masculino: Índice Internacional de Função Eréctil (IIFE), (Rosen, et al., 1996); Índice de Satisfação Sexual (ISS) Versão Masculina (Pechorro, Calvinho et al., 2012); Inventário do Desejo Sexual na Relação Amorosa (Gabirro, Esteves & Lourenço, 2005); Escala de Imagem Corporal (BIS), (2007, H. Moreira, & M. C. Canavarro); Questionário de Satisfação com o Relacionamento Sexual versão Masculina (QSRS), (Ribeiro, & Raimundo, 2005); Inventário Depressivo de Beck, Versão Portuguesa (Serra & Abreu, 1973); Escala de Avaliação da Satisfação em Áreas Conjugais (EASAVIC), (Narciso & Costa, 1996). No que diz respeito ao género feminino, as medidas são semelhantes com excepção do Índice Internacional de Função Eréctil, e da Escala de Imagem Corporal (BIS), (2007), estes instrumentos não foram usados pelo género feminino. O género feminino, para além dos instrumentos já mencionados, usou o Índice de Funcionamento Sexual Feminino (FSFI), Versão portuguesa de Pechorro et al., (2009). Quanto ao procedimento da recolha da amostra adoptado, este decorreu no domicílio dos doentes. Através da informação clínica e sexual recolhida no decorrer da entrevista, e da aplicação dos instrumentos, verificou-se que as terapêuticas condicionam o desempenho sexual destes doentes e das suas companheiras. No que diz respeito às disfunções sexuais, tendo como base o ciclo de resposta sexual, os indivíduos do género masculino, experienciaram alterações nos cinco domínios: Função eréctil, função orgásmica, desejo sexual, satisfação na relação sexual e satisfação global; após o tratamento. Relativamente ao Humor, sintomas depressivos, os homens apresentam um estado de ânimo triste, crises de choro e irritabilidade e fatigabilidade na fase pós tratamento. No que diz respeito ao género feminino, dados similares foram encontrados contudo, o género feminino ainda apresenta perda de apetite. Relativamente à EASAVIC foram encontradas diferenças na Dimensão Amor: sexualidade. Na fase pré tratamento, os participantes do género masculino, tinham melhores índices neste domínio ao nível: desempenho sexual, frequência, desejo sexual, qualidade da relação sexual e prazer. Quanto aos dados obtidos em relação ao género feminino, na fase pré tratamento dos seus cônjuges, tinham maior satisfação ao nível sexual. Relativamente à Dimensão Amor subescala, sentimentos e expressão de sentimentos, verifica-se que os elementos do género feminino expressam mais sentimentos na fase pré tratamento. Em relação ao Desejo sexual, constatou-se que os participantes do género masculino, na fase pré tratamento, tinham uma maior predisposição para se envolverem sexualmente. Porém, os dados ainda sugerem, apesar da motivação para se envolverem sexualmente se encontrar diminuída na fase pós tratamento, o desejo sexual ainda permanece. Estes dados são bem explicados, através da informação que se obteve a partir da dimensão condicionantes do desejo sexual, uma vez que os participantes na fase pós tratamento passaram a ter mais condicionantes para se envolverem sexualmente. Quanto ao género feminino, na fase pré tratamento, manifestavam ter mais desejo sexual e consequentemente, maior motivação para se envolverem sexualmente. Relativamente à satisfação com o relacionamento sexual, o género masculino e feminino, apresentam na fase pós tratamento uma diminuição na satisfação sexual. Após se ter explorado a prevalência da disfunção eréctil, tendo em conta o impacto das terapêuticas, verificou-se que a prevalência da disfunção eréctil, tem uma variação enorme nos dois momentos, esta passa de disfunção eréctil praticamente inexistente, para uma disfunção eréctil de grau grave após o tratamento. Foram encontradas correlações entre a imagem corporal e a depressão pós tratamento. Quanto maiores índices de depressão existirem antes do tratamento, mais elevados serão os scores de depressão no pós tratamento. Os dados sugerem que valores elevados de desejo sexual na fase pré tratamento, estão relacionados com menores índices de depressão após o tratamento. Os níveis de desejo sexual antes do tratamento, está correlacionado com a satisfação conjugal após o tratamento. Por outro lado, a satisfação em áreas da vida conjugal, antes do tratamento, está relacionada com melhores índices de desejo sexual após tratamento. Verificou-se ainda que, quanto melhores forem os índices de função eréctil na fase pré tratamento, menores serão os índices de depressão no mesmo momento. Para além dos resultados anteriormente apresentados, mais informação foi obtida com este trabalho. Por fim, são feitas considerações acerca do estudo, inclusivamente limitações e sugestões.
Description: Tese de doutoramento em Psicologia, apresentada à Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/24498
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:FPCEUC - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese_doutoramento.pdf48.76 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record
Google ScholarTM
Check
Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.