Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/23958
Title: Padrões de vinculação e comportamento delinquente na adolescência
Authors: Antunes, Teresa Isabel Coelho Castro 
Orientador: Sá, Eduardo
Keywords: Psicologia Clínica; Psicologia da Saúde
Issue Date: 2010
Serial title, monograph or event: Padrões de vinculação e comportamento delinquente na adolescência
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: O aumento dos comportamentos anti-sociais nas sociedades torna essencial a compreensão deste fenómeno e dos factores que lhe estão associados, sendo que a vinculação é um dos factores que tem tido um papel de destaque (Machado, 2004). As relações mais precoces de vinculação influenciam de facto as estruturas cognitivas, emocionais e comportamentais do sujeito, no contexto intra e interpessoal (Bowlby; Goldberg; Sroufe et al., cit. in Soares, Carvalho, Dias, Rios & Silva, 2007). Neste sentido, a adolescência torna-se um período de especial interesse, já que é uma fase caracterizada por importantes transformações nessas mesmas estruturas (Jongenelen, Carvalho, Mendes & Soares, 2007). Assim, partindo da Teoria da Vinculação o estudo aqui apresentado pretendeu explorar a relação entre o padrão de vinculação e os comportamentos adoptados pelos adolescentes. A nossa hipótese de trabalho defende que a vinculação, mais concretamente o padrão de vinculação inseguro, está associado a uma maior frequência de comportamentos delinquentes na adolescência. Da amostra fazem parte jovens rapazes dos 15 aos 17 anos, e foi recolhida entre os alunos da Escola Infanta D. Maria (Coimbra) e da Escola Profissional de Aveiro. O padrão de vinculação foi avaliado pelo Inventário sobre a Vinculação na Infância e Adolescência (IVIA), e a frequência de comportamentos delinquentes foi avaliada por um Questionário de auto-resposta, relativo a Comportamentos Anti-sociais. A amostra foi dividida em dois grupos segundo a Escola, considerando-se os alunos da Escola Profissional de Aveiro como o grupo de maior risco. Neste grupo avaliou-se ainda o auto-conceito através do Inventário Clínico de Auto-Conceito (ICAC). Os resultados obtidos não apontaram para a esperada associação entre vinculação insegura e maior frequência de comportamentos delinquentes. No entanto, uma associação entre as duas variáveis surgiu, através do padrão de vinculação seguro. Este estilo de vinculação obteve uma correlação negativa e estatisticamente significativa com o número de comportamentos delinquentes expressos alguma vez na vida. A vinculação segura correlacionou ainda, e de forma estatisticamente significativa, com todas as medidas do auto-conceito. No que diz respeito à comparação entre os grupos, os dados obtidos não encontraram diferenças estatisticamente significativas, à excepção da medida relativa à vinculação segura, que se encontra mais presente na Escola de Coimbra. Uma análise pormenorizada aos itens do questionário de auto-resposta permite ainda verificar que, ainda que os comportamentos se encontrem generalizados em ambas as escolas, a sua frequência é maior na Escola de Aveiro.
Because of the increase of anti-social behavior in societies, it becomes essential that we understand this phenomenon and the factors associated with it, since attachment seems to be an extremely important factor (Machado, 2004). The early attachment relationships influence the subjects’ cognitive, emotional and behavioral structures, in the intra and interpersonal context (Bowlby; Goldberg; Sroufe et al., cit. in Soares, Carvalho, Dias, Rios & Silva, 2007). Therefore adolescence becomes a period with particular interest, since it is a phase characterized by significant changes in these structures (Jongenelen, Carvalho, Mendes & Soares, 2007). Thus, based on attachment theory the study presented here has the objective of exploring the relationship between the patterns of attachment and the adolescents’ behavior. Our hypothesis defends that attachment, in particular the insecure attachment, is linked to a higher frequency of delinquent behavior in adolescence. The sample is composed by adolescents with ages between 15 and 17 years old, and was collected at Escola Infanta D. Maria (Coimbra) and at Escola Profissional de Aveiro. The pattern of attachment was assessed by the “Childhood and Adolescence Attachment Inventory” (IVIA), and the frequency of delinquent behavior was assessed by a self-response questionnaire about Anti-Social Behaviors. The sample was split in into two groups according to the school, regarding the students of the Escola Profissional de Aveiro as the bigger risk group. In this group we also assessed self-concept through the “Clinic Self-concept Inventory” (ICAC). The results did not suggest the expected association between insecure attachment and high frequency of delinquent behavior. However, an association between the two variables appears to exist, through secure attachment. Secure attachment style obtained a negative correlation with thenumber of delinquent behavior assumed sometime in life. The secure attachment also correlated with all measures of self-concept. In what concerns the comparison between the groups, the data found no statistically significant differences, with the exception of secure attachment, that is more present in the School of Coimbra. A detailed analysis of the checklist items also shows that, although the behaviors are widespread in both schools, their frequency is greater in the School of Aveiro.
Description: Dissertação de Mestrado em Psicologia Clínica e da Saúde, subespecialização em Psicopatologia e Psicoterapias Dinâmicas, apresentada à Faculdade De Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/23958
Rights: closedAccess
Appears in Collections:FPCEUC - Teses de Mestrado

Show full item record

Page view(s) 50

321
checked on Sep 22, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.