Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/23203
Title: As determinantes das modificações orçamentais : evidência empírica dos munícipios da Região Centro de Portugal
Authors: Lopes, Sandra Isabel Ferreira. 
Orientador: Jorge, Susana
Keywords: Orçamento; Execução; Modificações; Determinantes
Issue Date: 15-Mar-2013
Publisher: FEUC
Citation: Lopes, Sandra Isabel Ferreira - As determinantes das modificações orçamentais : evidência empírica dos munícipios da Região Centro de Portugal. Coimbra, 2013
Abstract: Nos municípios, assim como em qualquer organização do setor público, o principal objetivo do orçamento é o de autorizar e limitar a despesa, constituindo assim um instrumento fundamental para o planeamento e gestão municipais no curto prazo. No decorrer da execução anual, os municípios efetuam modificações aos seus orçamentos que, de uma maneira geral, constituem mecanismos no sentido de rever e atualizar o orçamento ao longo do ano. Estas modificações podem acontecer por a dotação não ser suficiente para o montante do encargo, ou simplesmente por surgirem acontecimentos imprevisíveis, não identificáveis na preparação do orçamento, que obriguem os municípios a incorrerem em mais despesas, sejam maiores montantes ou novas despesas antes não previstas. As modificações orçamentais assumem assim dois tipos – revisões e alterações, conforme deem lugar ou não à criação de novas rubricas de despesa. Na literatura existente a atenção é dada ao orçamento propriamente dito e à sua elaboração e execução. As modificações orçamentais pouco são referidas e muito menos estudadas. Os raros estudos internacionais a que tivemos acesso mostram isso mesmo. No caso de Portugal não existem de todo estudos sobre o assunto. No sentido de colmatar essa lacuna desenvolvemos este estudo exploratório, que averigua quais os fatores que determinam as modificações orçamentais no contexto português, mais concretamente nos municípios da região centro. Tentamos compreender, então, que fatores (políticos, económico-sociais ou orçamentais), intrínsecos ou não ao município, afetam essas modificações, designadamente a sua magnitude, definida como o rácio entre o orçamento final corrigido e o orçamento inicialmente aprovado, utilizando as rubricas, quer da receita, quer da despesa, com maior peso no total das receitas e das despesas. Concluímos que, ao contrário do sugerido na literatura, os principais fatores políticos não são determinantes das modificações orçamentais, assim como também é reduzida a significância estatística de outro tipo de variáveis, nomeadamente as orçamentais.
Description: Dissertação do mestrado em Contabilidade e Finanças, apresentada à Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra, sob a orientação de Susana Jorge.
URI: http://hdl.handle.net/10316/23203
Rights: openAccess
Appears in Collections:FEUC- Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Dissertação Sandra Lopes_MCF.pdf1.57 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 50

371
checked on Oct 12, 2021

Download(s) 10

1,922
checked on Oct 12, 2021

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.