Title: Maturação biológica em praticantes desportivos nos anos peri-pubertários : estudo multimétodo e concorrente entre indicadores e protocolos
Authors: Ribeiro, Luís Pedro Vieira 
Keywords: Maturação biológica;Crescimento
Issue Date: 2012
Citation: RIBEIRO, Luís Pedro Vieira - Maturação biológica em praticantes desportivos nos anos peri-pubertários : estudo multimétodo e concorrente entre indicadores e protocolos. Coimbra : [s.n.], 2012. Tese de doutoramento
Abstract: Este trabalho encontra-se estruturado em estudos parcelares interligados entre si com um denominador comum, os indicadores maturacionais em jovens peri-pubertários. O objectivo desta pesquisa é estabelecer a relação entre os indicadores de maturação biológica e encontrar a concordância entre classificações de estatuto maturacional em idades peri-pubertários no sexo masculino. O primeiro estudo compreende uma amostra de 418 peri-pubertários (11-15 anos de idade) do sexo masculino, resultante do conjunto de estudos realizados na Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra, tendo sido sujeitos a uma avaliação da componente auxológica e maturacional com recurso a metodologias e técnicas amplamente reconhecidas e aceites nas ciências pediátricas. Determinou-se a estatística descritiva, nomeadamente, parâmetros de tendência central (média) e de dispersão (desvio padrão e amplitude) para todas as variáveis, por subgrupo etário para as idades cronológica e óssea (Método de Fels) e para o estatuto maturacional sexual. Estabeleceu-se as frequências absolutas e cruzadas das classificações do estatuto maturacional sexual entre a idade cronológica e idade óssea por grupo etário. Calculou-se as correlações de Pearson para os indicadores com excepção da pilosidade púbica. Procedeu-se à análise de componentes principais para seis indicadores com rotação varimax, extraíndo-se factores com eigenvalues superiores a 1.00. O segundo estudo compreendeu 76 jovens em idades peripubertárias (11-15 anos de idade) do sexo masculino. Replicou-se a totalidade das avaliações do Estudo 1, exceptuando a pilosidade púbica e acrescentando um outro indicador maturacional, a idade dentária. Determinou-se a estatística descritiva, nomeadamente, parâmetros de tendência central (média) e de dispersão (desvio padrão e amplitude). Os sujeitos foram classificados por estatuto maturacional (atrasado, normomaturo, avançado e maturo) nos indicadores: idade óssea (protocolos Fels e TW3), idade dentária, idade no pico de velocidade de crescimento em estatura, percentagem da estatura matura predita (protocolos K&G e K&R). Calculou-se o Score Z para cada indicador. Apresentaram-se as frequências cruzadas das classificações do estatuto maturacional para todos os indicadores maturacionais: idade cronológica, idade óssea (Fels e TW3), idade dentária, idade do PVC, percentagem da estatura matura predita (K&G e K&R) (foram retirados os sujeitos avaliados como maturos nas idades óssea e dentária). Também foram calculados os coeficientes de Kappa de Cohen para avaliar a concordância entre pares de indicadores maturacionais e as correlações de Spearman. Procedeu-se à análise de componentes principais para os Scores Z dos indicadores maturacionais com rotação varimax, extraíram-se factores com eigenvalues superiores a 1.00. O terceiro estudo recorre a parte da amostra do Estudo 1 (n=264), e pretendeu testar a concordância entre as metodologias Fels e TW3. Complementarmente, foi testada a associação discreta entre as categorias decorrentes da classificação atrasado, normomaturo e avançado a partir de cada uma das metodologias. Efectuou-se estatísticas descritivas (frequência, médias e desvios-padrão) para a idade cronológica e idade óssea de ambos os métodos, os sujeitos foram classificados de acordo com a metodologia proposta.Também se efectuou a estatística descritiva por estadio de maturação sexual dada pela pilosidade púbica (PP1‐PP5) nas variáveis: idade cronológica e idade óssea. Estabeleceu-se as frequências absolutas e cruzadas das classificações do estatuto maturacional entre pares específicos de indicadores de maturidade. Calculou-se os coeficientes de correlação Pearson entre variáveis: idade óssea, idade óssea- idade cronológica e rácio idade óssea, por idade cronológica de cada protocolo Fels e TW3. Também foram calculados os coeficientes de Kappa de Cohen para avaliar a concordância entre pares de indicadores maturacionais, exceptuando a pilosidade púbica. Calculou-se as correlações de Spearman entre as classificações e a pilosidade púbica. A análise estatística dos três estudos foi levada a cabo com a versão 17.0 do Software Statistical Package for the Social Sciences (SPSS). Para os testes de inferência estatística o nível de significância foi estabelecido em 5%. Os estudos permitiram obter um quadro de conclusões: 1) Determinou-se a relação existente entre os indicadores de maturação biológica em idades peri-pubertárias para o sexo masculino. Comprovou-se uma variação considerável dos indicadores de maturação sexual, somática e esquelética para este estrato etário; 2) A metodologia de avaliação da idade dentária é válida enquanto indicador maturacional, contudo, a sua utilização deve ser acompanhada por outros indicadores maturacionais. Pois, os resultados apontam para uma independência de mecanismos biológicos ou desajuste das escalas do método Demirjian. 3) A implementação de sistemas de verificação da idade cronológica a partir da determinação da idade óssea podem incorrer na eliminação errónea de uma porção substancial de elementos maturacionalmente adiantados. Por outro lado, a determinação da idade óssea é extraordinariamente exigente no que se refere ao treino de observadores e os resultados variam de acordo com protocolo adoptado (Fels x TW3); 4) O estudo comprovou a comunalidade do sistema biológico na génese dos indicadores esquelético e somático ao identificar a associação entre estes. A maturação somática dada pela percentagem da estatura matura estimada parece ser um indicador a considerar na avaliação de idades pré, peri e pós pubertários face a outros indicadores mais invasivos.
This study examines the maturational indicators in peripubertal young athletes. The aim of the study was to determine the relationship between indicators of biological maturation and classifications of maturational status in peripubertal males. The first study comprised a sample of 418 peripubertal (aged 11-15 years) males and assessed sexual, somatic and skeletal maturation from several protocols (Tanner et al., 1962; Khamis & Guo, 1993; Khamis & Roche, 1994, 1995; Roche et al., 1988). Descriptive statistics were drawn up for all variables, by subgroup of chronological age. Absolute and cross-related frequencies for sexual maturation and age groups, bone age were established and Pearson correlations used for continuous variables. Principal component analysis for six indicators with varimax rotation was carried out and factors with eigenvalues higher than 1.00 were extracted. The second study involved 76 young male athletes in peripubertal ages (11-15 years). All of the evaluations of Study 1 were repeated without the pubic hair indicator and another maturity indicator, the dental age, added. Descriptive statistics were elaborated, including parameters of central tendency (mean) and dispersion (standard deviation and amplitude). The subjects were classified by maturity status (late, ontime, advanced and mature) indicators: bone age (protocols Fels and TW3), dental age, age at peak height velocity growth, percentage of predicted mature height (protocols K & G and K & R). We calculated the Z score for each indicator. Cross-tabulations from the classifications of the maturity status are presented for all indicators : chronological age, bone age (Fels and TW3), dental age, age of PVC, the percentage of the stature predicted mature height (K & G and K & R) (all individuals assessed as mature in the bone and dental ages were removed). Cohen's kappa coefficients were also calculated to assess agreement between pairs of indicators and Spearman correlations. Principal component analysis for the Z Scores of indicators with varimax rotation extracted factors with eigenvalues greater than 1.00. The third study uses part of the sample from Study 1 (n = 264), and was intended to test the agreement between the methodologies TW3 and Fels. In addition, the discrete association between categories under the classification "delayed", "ontime" and "advanced" from each of the methodologies was tested. Descriptive statistics (frequencies, means and standard deviations) were elaborated for chronological age and bone age of both methods; the subjects were classified according to the proposed methodology. Descriptive statistics of the stage of sexual maturation given by pubic hair growth (PH1-PH5) in the variables: chronological age and bone age were elaborated. Frequencies and cross tabulations from classifications of maturational status between specific pairs of indicators of maturity were established. We calculated Pearson correlation coefficients between variables in bone age, bone age-chronological age and ratio bone age by chronological age for each protocol Fels and TW3. Cohen's kappa coefficients were also calculated to assess agreement between pairs of maturational indicators, except for pubic hair. We calculated Spearman correlations between the classifications and pubic hair. Statistical analysis of three studies was carried out with version 17.0 of Statistical Package for the Social Sciences (SPSS). For tests of statistical inference the level of significance was set at 5%. The three studies allowed us to establish the following conclusions: 1) The relationship between indicators of biological maturation in peri-pubertal age for males was determined. Considerable variation in indicators of sexual maturation, somatic and skeletal for this age stratum was found; 2) The methodology of assessing dental age is valid as an indicator of maturity; however, its use should be accompanied by other maturational indicators since the results point to an independence of biological mechanisms or inadequacy of the scales from the Demirjian method. 3) The implementation of systems for verification of the chronological age by determining the skeletal age might lead to an erroneous removal of a substantial number of individuals who mature early. On the other hand, the determination of bone age is extraordinarily demanding with regard to the training of observers and the results vary according to the protocol adopted (Fels xTW3); 4) The study confirmed the commonality of the biological system in the genesis of skeletal and somatic indicators by identifying the association between them. The somatic maturity given by the percentage of estimated mature stature seems to be an indicator to consider in assessing at pre, peri and post pubertal ages compared to other more invasive indicators.
Description: Tese de doutoramento em Ciências do Desporto e Educação Física (Actividade Física e Saúde), apresentada à Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/23093
Rights: openAccess
Appears in Collections:FCDEF - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese Phd Luís Ribeiro 20120926 PDF - Cópia.pdf2.24 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record
Google ScholarTM
Check
Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.