Title: Associação entre a força isocinética a duas velocidades e o volume apendicular : avaliação em jovens voleibolistas
Authors: Marques, Carlos Alberto Soares Ribeiro 
Keywords: Voleibol;Força isocinética;Maturação;Crescimento
Issue Date: 2012
Citation: MARQUES, Carlos Alberto Soares Ribeiro - Associação entre a força isocinética a duas velocidades e o volume apendicular : avaliação em jovens voleibolistas. Coimbra : [s.n.], 2012. Dissertação de mestrado. Disponível na WWW: http://hdl.handle.net/10316/22004
Abstract: O presente estudo considerou a análise da relação existente entre a força isócinética a duas velocidades, o volume apendicular, a idade cronológica, a maturação biológica e a experiência de prática desportiva. Foram observadas 26 voleibolistas (amplitude etária: 14.3 aos 18.8 anos) do sexo feminino a competir nos campeonatos nacionais dos respetivos escalões. Foram consideradas variáveis morfológicas, indicadores de maturação biológica (maturity offset) a quantidade de prática anual (minutos de treino e experiência desportiva (número de anos de prática federada na modalidade) e determinamos o momento máximo de força avaliada no dinamómetro isocinético nas velocidades angular de 60º/seg-1 e 180º/seg-1. A análise de dados considerou a estatística descritiva geral (parâmetros de tendência central e dispersão) e o estudo associado aos subgrupos de interesse (estatuto maturacional e posição táctica específica). A análise de dados considerou, inicialmente, a estatística descritiva (parâmetros de tendência central e dispersão).Recorreu-se à correlação de Pearson para estudar a associação entre os outputs de momento máximo da força, o grau e os indicadores de morfologia externa, maturação biológica e a quantidade de prática anual. O nível de significância foi mantido em 5%. Foram observadas correlações significativas entre o momento máximo de força avaliado a 60º/seg -1 em flexão e a massa corporal (r=+0.44, p≤0.05), estatura (r=+0.43, p≤0.05) e volume da coxa (l) (r=+0.48, p≤0.01). Para a velocidade de 180º/seg-1 em extensão a correlação com a maturação (Maturity offset) (r=+0.42, p≤0.05), anos de treino (r=+0.44, p≤0.05) massa corporal (r=+0.43, p≤0.05), estatura (r=+0.43, p≤0.05), parte constituído pelo volume dos músculos referidos anteriormente. Os resultados identificam correlações elevadas entre a área transversal do músculo e o momento máximo de flexão considerando uma velocidade de 60º/seg-1 -. Existindo também uma relação entre os testes levados a cabo em dinamómetro isocinético, o estatuto maturacional e os anos de treino quando avaliados a 180º/seg -1.
Description: Dissertação de mestrado em Treino Desportivo para Crianças e Jovens (Ciências do Desporto), apresentada à Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra.
URI: http://hdl.handle.net/10316/22004
Rights: openAccess
Appears in Collections:FCDEF - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TESE MESTRADO CARLOS MARQUES.pdf628.41 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record
Google ScholarTM
Check
Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.