Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/21773
Title: Poesia e iconografia : o mito nos Epinícios de Baquílides
Authors: Jesus, Carlos Alberto Martins de
Orientador: Ferreira, José Ribeiro
Keywords: Mitos
Poesia
Iconografia
Epinício
Literatura grega -- Baquílides
Issue Date: 2012
Citation: JESUS, Carlos Alberto Martins de - Poesia e iconografia : o mito nos Epinícios de Baquílides. Coimbra : [s.n.], 2012. Tese de doutoramento
Abstract: A presente dissertação de doutoramento em Estudos Clássicos, na especialidade de Literatura Grega busca ser um estudo de conjunto centrado num género poético em específico, o do epinício, com vista a averiguar as formas como Baquílides se serviu de mitos estabelecidos pela tradição (local ou pan-helénica), tantas vezes com diferentes versões, para cumprir aquela que é, no limite, a função de qualquer canto de vitória atlética: o elogio do vencedor, da sua terra ou da sua família. É também com esse intuito que analisamos a relação da versão dos mitos atualizados pelo poeta com os dados iconográficos de que dispomos, entendidos a um nível genérico, isto é, contemplando a pintura de vasos, a escultura e outros registos materiais (não literários) que a arqueologia nos permitiu conhecer ou, em alguns casos, de que as fontes literárias antigas dão testemunho. Mais do que estabelecer relações de dependência, procuramos determinar a teia significativa que, para cada mito selecionado, o poeta tinha ao seu dispor, para em seguida, compreendidas as razões da sua escolha, avaliar o uso que dela fez e como a transformou em matéria poética e, não menos importante, encomiasta. Fontes literárias e iconográficas são pois tomadas em paralelo, sendo a ambas reconhecido semelhante estatuto de importância no estabelecimento do contexto ou informação mítica acessível ao poeta e à audiência, em face do que, apenas, pode averiguar-se da criatividade artística do primeiro.
a study focused on a single poetic genre, the epinician, as it tries to understand how Bacchylides used the already established and traditional myths (both local and panhellenic), in order to fulfill the function of every victory song: the victor’s, his homeland’s or his family’s encomium. That is why we analyze the version of the myths we find in his poems in comparison with the iconographic data we possess which is, in a generic sense, ancient Greek pottery, sculpture and all other non-literary data provided by either archaeology or literary testimonia. More than dependence relations, we look for the semantic net that the poet had available for each selected myth. Therefore, once we have understood the reasons for his choices, we might be able to evaluate both his use of that heritage and the way he transformed it in poetic and laudatory material. Being so, we take both literary and iconographic material in parallel, acknowledging to both of them a similar authority role when it comes to the establishment of the mythical context or information available to the poet and his audience. That is the only way we assume capable of determinate the poet’s artistic criativity.
Description: Tese de doutoramento em Estudos Clássicos (Literatura Grega), apresentada à Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra
Peer review: Yes
URI: http://hdl.handle.net/10316/21773
Appears in Collections:FLUC Secção de Estudos Clássicos - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese Carlos Jesus.pdf222.48 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.