Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10316/20788
Title: Estado de crescimento, maturação e performance em ginastas masculinos dos 6 aos 10 anos de idade
Authors: Fonseca, Ricardo Leal 
Orientador: Pereira, Artur Manuel Romão
Keywords: Ginastas masculinos; Maturação; Estado de crescimenrto
Issue Date: 2003
Abstract: Com este estudo pretendemos verificar o estado de crescimento, maturação e performance em ginastas masculinos dos 6 aos 10 anos de idade, caracterizando-os a nível morfológico e funcional. A nossa amostra foi constituída por 15 crianças do sexo masculino, praticantes de ginástica artística de competição na cidade do Porto e da Maia, com idades compreendidas entres os 6 e os 10 anos (população da área de jurisdição, da Associação de Ginástica do Norte). Após recolhida a informação biossocial, antropométrica e funcional dos ginastas e estabelecida a comparações entre o valor destas variáveis, com o das variáveis das crianças não ginastas do sexo masculino pertencentes ao escalão etário dos 6 aos 10 anos de idade, calculado o somatótipo, o índice de massa corporal, a estatura predita, o índice maturacional esperado e verificada a possível existência de relações entre as variáveis somáticas e funcionais dos ginastas, concluímos que: 1) Os dados biossociais dos ginastas estão de acordo com os dados comparados, (Coelho e Silva & Sobral, 2003), nos aspectos de: nível socioeconómico/ instrução dos pais e o tipo de desporto praticado; Influência da experiência desportiva dos pais na actividades física dos filhos; Influência do número e ordem de nascimento dos irmãos e da pratica desportiva dos mesmos no desenvolvimento motor e adesão desportiva; 2) Os ginastas da área de jurisdição, da Associação de Ginastica do Norte relativamente ás variáveis antropométricas, apresentam valores médios inferiores aos das crianças não ginastas, na maior parte das faixas etárias comparadas, excepto na variável: diâmetro bicondilo-umeral. Os ginastas têm menos estatura quando comparados com as restantes crianças. Este facto não se deve à ginastica, uma vez que os ginastas com idades mais jovens (6 e 7 anos) encontram-se dentro do índice maturacional esperado, calculado a partir da estatura predita e os restantes ginastas com idades mais avançadas (8, 9 e 10 anos), encontram-se acima do índice maturacional esperado com mais 1 a 2 %. O tipo somático médio encontrado para os ginastas foi ecto-mesomorfo, ao passo que para os escolares da Maia foi mesomorfo-dominante, para os escolares de Coimbra foi mesomorfo-endomorfo e para as crianças representantes da população de Portugal, foi mesomorfo-equilibrado. Os ginastas têm melhores desempenhos em todas as provas funcionais, excepto na de sit-and-reach, ao longo das faixas etárias estudadas, e quando comparados com crianças não ginastas, têm melhores prestações nas provas funcionais em que fazem uso das capacidades condicionais mais requisitadas pela ginástica artística de competição. Mesmo em idades baixas (6 a 10 anos), os treinos de ginástica são possíveis factores que provocam esta diferença funcional, antropométrica e somática entre ginastas e não ginastas; 3) O cálculo do IMC, mostra-nos que dos 15 ginastas pertencentes ao estudo, 13 são classificados pelo Fitnessgram (2001), como tendo níveis óptimos de massa gorda e 2 como tendo níveis ligeiramente abaixo dos níveis idealizados pelo Fitnessgram (2001), o que também pode ser entendido como um indicador de magreza.
Description: Dissertação de licenciatura apresentada à Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra
URI: https://hdl.handle.net/10316/20788
Rights: openAccess
Appears in Collections:FCDEF - Vários

Files in This Item:
File Description SizeFormat
MONOGRAFIA-Ricardo Fonseca.pdf1.93 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 20

653
checked on May 22, 2024

Download(s) 20

1,388
checked on May 22, 2024

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.