Title: A inclusão através do desporto adaptado : o caso português do basquetebol em cadeira de rodas
Authors: Freire, Marta Fernandes 
Keywords: Basquetebol;Basquetebol adaptado;Populações especiais;Inclusão social;Actividade física adaptada
Issue Date: 2010
Citation: FREIRE, Marta Fernandes - A inclusão através do desporto adaptado : o caso português do basquetebol em cadeira de rodas. Coimbra : [s.n.], 2010.
Abstract: A presente investigação pretende aprofundar a inclusão social dos praticantes de Basquetebol em cadeira de rodas (BCR) através do desporto adaptado. Assim, examinamos a relação entre e o desporto e o reconhecimento social, interacção social, auto-estima, condição física, imagem corporal e qualidade de vida de pessoas com deficiência motora, bem como as atitudes negativas e obstáculos. A nossa amostra é constituída por 80 praticantes de BCR que fizeram parte do Campeonato Nacional de BCR, na época de 2007/2008, em que 77 são do género masculino e 3 do género feminino, com idades compreendidas entre os 14 e os 63 anos. Através da aplicação de um inquérito por questionário, recolhemos a informação definida pelo nosso modelo de análise, tendo esta sido tratada nos programas informáticos de SPSS e Excel. De uma forma geral, podemos concluir que os praticantes de BCR apresentam uma auto-estima bastante elevada. A maioria considera não existir atitudes negativas, obstáculos ou comportamentos por parte de outras pessoas que possam servir como barreira à sua inclusão social. Da mesma forma, os praticantes de BCR têm uma representação positiva da sua inclusão social, pois consideram que esta modalidade contribui para o reconhecimento do seu valor e para a sua sociabilidade. Concluímos que a maioria dos praticantes de BCR afirma estar satisfeita com a sua imagem corporal (com excepção dos praticantes com menos de 18 anos e em menor grau pelos praticantes com sina bífida e paraplegia). Também, a maioria dos inquiridos dá grande importância à prática desportiva (PD) do BCR, assim como à sua condição física, e considera que esta modalidade lhes incrementa a sua qualidade de vida. Por fim, concluímos ainda, que a maioria dos praticantes teve como primeira PD o BCR, apresentando uma regularidade ao longo do tempo (excepto os praticantes entre os 41 e 60 anos). Actualmente, apresentam uma elevada intensidade da prática (excepto os praticantes com spina bífida e amputação), assim como uma elevada frequência. A maioria afirma estar satisfeita com o desempenho dos profissionais, contudo insatisfeita com a falta de apoio financeiro e logístico. Considera-se, no entanto, não existir obstáculos à acessibilidade desportiva (excepto o bar e as escadas).
___The main aim of this research is to study the social inclusion of wheelchair basketball players in adapted sport. Thus, this study examines the relationship between sports and social recognition, social interaction, self-esteem, physical condition, body image and quality of life of people with physical disabilities, as well as the negative attitudes and barriers to the participation of people with disabilities. It involved 80 wheelchair basketball players that took part of the National Wheelchair Basketball Championship, in the season 2007/2008, 77 of those are males and 3 females, between the ages of 14 and 63. The information was gathered through our analysis model and treated through informatics programmes such as SPSS and Excel. In general, the results show that wheelchair basketball players have a higher score on self-esteem. The majority of wheelchair basketball players don’t recognize negative attitudes, impediments or behaviours by other people that serve as barriers to their social inclusion. In the same way, wheelchair basketball players show positive representation of social inclusion, considering that this sport gives them a higher social interaction and recognition. We concluded that the majority of wheelchair basketball players are satisfied with their body image (with the exception of players under 18 and in less degree of payers with spina bifida and paraplegia). They give higher importance to the practice of wheelchair basketball and physical condition and they think that this sport increases their quality of life. Finally, we concluded that the majority of players began practicing wheelchair basketball as their first sport. They present regularity through time (except players between 41 and 60 years). Nowadays, they have high intensity (except players with spina bifida and amputation) as well as frequency of practice. The most part states being satisfied with the performance of the professional staff, however unsatisfied with the lack of financial and logistic support. However, they consider that there aren´t barriers to the sportive accessibility (except as far as the bar and stairs are concerned).
Description: Dissertação de mestrado em Exercício e Saúde em Populações Especiais, apresentada à Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Fisica da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/17570
Rights: openAccess
Appears in Collections:FCDEF - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese de mestrado.pdf4.38 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record
Google ScholarTM
Check
Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.