Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/16055
Title: Avaliação da relação entre satisfação profissional, qualidade de vida e resiliência familiares: um estudo com profissionais de saúde
Authors: Almeida, Cátia Marisa dos Santos de 
Orientador: Alberto, Isabel
Keywords: Satisfação profissional; Profissional de saúde; Qualidade de vida; Apoio familiar
Issue Date: 2009
Serial title, monograph or event: Avaliação da relação entre satisfação profissional, qualidade de vida e resiliência familiares – um estudo com profissionais de saúde
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: O presente estudo tem como objectivo avaliar a existência de eventuais diferenças estatisticamente significativas entre profissionais de saúde, (médicos e enfermeiros) e a população em geral, no que respeita à satisfação profissional, qualidade de vida e resiliência familiares. Nesse sentido, procedeu-se à comparação de duas sub-amostras: profissionais de saúde e não profissionais de saúde. Num segundo momento foi avaliado o impacto na variabilidade dos resultados de variáveis sociodemográficas (idade, género e nível socioeconómico), familiares (etapa de ciclo vital familiar e formas de família) e profissionais, específicas do grupo de profissionais de saúde. Os instrumentos foram seleccionados a partir dos objectivos específicos subjacentes ao estudo. Deste modo, foi utilizado um Questionário Sociodemográfico, o Inventário Qualidade de Vida - QV (formulário parental adaptado de David H. Olson & Howard L. Barnes, 1982), versão NUSIAF-SISTÉMICA (Adaptado, 2007; Validado, 2008), o Questionário de Forças Familiares - QFF (Melo & Alarcão, 2007) e o Questionário de Satisfação Profissional – QSP (Adaptado de www.janela.com/inquerito/satisfação.hta), aplicado especificamente ao grupo de profissionais de saúde. Os resultados revelaram diferenças estatisticamente significativas entre os dois grupos ao nível das dimensões Emprego, Religião, Educação que integram a escala QV, apresentando o grupo de profissionais de saúde um maior nível de percepção e satisfação nesses factores. Foram verificados efeitos estatisticamente significativos de variáveis sociodemográficas (idade, género, nível socioeconómico), sobre algumas dimensões do QV (Filhos, Bem-estar Financeiro, Relações Sociais e Saúde, Família e Conjugalidade, Educação) e do QSP ligados a diferentes factores de satisfação profissional. Pela análise do nosso estudo, podemos percepcionar alguns factores que podem influenciar o maior ou menor grau de satisfação profissional e perceber de que forma a satisfação profissional se relaciona com a percepção de qualidade de vida e resiliência familiares. Os resultados parecem ser reveladores de que no conceito de qualidade de vida de cada indivíduo as valências, pessoal e profissional ocupam um lugar importante.
The purpose of this study is to evaluate the existence of any statistically significant difference among health professionals, (doctors and nurses) and the general population, with regard to job satisfaction, quality of life and family resilience. Accordingly, we began by comparing two sub-samples: health professionals and non-health professionals of health. On a second step we evaluated the impact on the variability of the results of socio-demographic variables (age, gender and socio-economic level), family variables (family life cycle stage, types of family) and professional variables, exclusive for the group of health professionals. The instruments to collect information were selected from the specific objectives underlying the study. Thus, it was used a Socio-Demographic Questionnaire, the Quality of Life Inventory - QV (parental form adapted from David H. Olson & Howard L. Barnes, 1982), version NUSIAF-SISTÉMICA (Adapted, 2007; Validated, 2008), the Family Strengths Questionnaire - QFF (Melo & Alarcão, 2007) and a Job Satisfaction Questionnaire - QSP (adapted from www.janela.com/inquerito/satisfação.hta), applied specifically to the group of health professionals. The results showed statistically significant differences between the two groups in terms of dimensions Employment, Religion, Education of QV scale, with the group of health professionals showing a greater level of awareness and satisfaction on these factors. We observed statistically significant effects of socio-demographic variables (age, gender, socio-economic level), on some dimensions of QV scale (Children, Financial Welfare, Social Relations and Health, Family and Conjugal Status, Education) and on QSP linked to different factors of job satisfaction. From the analysis of our study, we can observe some factors that may take influence on the degree of job satisfaction and understand how job satisfaction relates itself to the perception of quality of life and family resilience. The results seem to show that for each individual the personal and professional valences, occupy an important place on his concept of quality of life.
Description: Dissertação de mestrado em Psicologia Clínica e Saúde (Sistémica, Saúde e Família), apresentada à Faculdade de Psicologia e Ciências da Educação da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/16055
Rights: embargoedAccess
Appears in Collections:FPCEUC - Teses de Mestrado

Show full item record

Page view(s)

116
checked on Sep 23, 2020

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.