Title: Análise da estrutura de rendimento em badminton: investigação aplicada ao escalão de sub 19
Authors: Santos, Ângelo Dario Ribeiro dos 
Keywords: Análise do jogo--badminton;Treino de alto rendimento;Rendimento desportivo;Badminton
Issue Date: 2010
Abstract: Introdução: A procura de elementos do jogo que possam ser relacionados com o rendimento, em resultado das acções de jogo, na grande maioria das modalidades, é motivo contínuo de estudos e investigações. O objectivo do estudo caracteriza-se pela definição do padrão de jogo de Badminton através de preferências de utilização de gestos técnicos e áreas de batimento, que se encontram associadas ao sucesso desportivo. Metodologia: A amostra para o presente estudo foi constituída por jogadores Sub 19 que participaram na prova de singulares homens na Fase Final do Campeonato Nacional de Badminton, na época 2006/2007. Foram observados 13 partidas. No conjunto de variáveis passíveis de serem analisadas, foram escolhidas, para a realização deste estudo, as seguintes: Zona para onde finaliza; Zona do primeiro batimento; Zona do segundo batimento; Zona dos batimentos realizados ao longo do jogo; Primeiro batimento; Segundo batimento; Batimentos de finalização; Erros não forçados e acções de jogo finalizadas por jogador; Batimentos realizados ao longo do jogo; Batimentos realizados por cada acção de jogo; Batimentos realizados nas diferentes zonas do campo; Média de tempo de acção de jogo; Média de tempo de repouso entre acções de jogo; Tempo de acção de jogo mais longa; Tempo de acção de jogo mais curta; Tempo efectivo de jogo; Tempo de repouso; Número de acções de jogo por jogo. Para a análise comparativa dos dados, recorremos aos procedimentos da estatística descritiva (mínimo, máximo, média e desviopadrão) e percentagens dos diferentes indicadores técnicos do jogo. Resultados: Um jogo de Badminton comporta em média 67,7 acções de jogo e 322,6 batimentos, uma duração efectiva de 5,56 minutos e uma média por acção de 4,8 segundos. O primeiro batimento mais utilizado, em média, é o serviço comprido com 54,8% e o curto com 45,2%, sendo as zonas 6 (25,9%), 5 (23,8%), 1 (23,6%) e 2 (19,8%) as que evidenciam uma maior incidência. Quanto ao segundo batimento, o lob de direita (8,9%), encosto de esquerda (8,6%), clear cruzado de esquerda (6,7%) e remate de direita (5,4%) foram os mais utilizados, privilegiando as zonas 6 (21,4%), 2 (16,5%), 1 (15,3%) e 5 (14,6%). Para encontrar diferença entre vencedores e vencidos verificamos o vencedor em média realiza 19,5% de erros não forçados, contra 26,5% dos jogadores vencidos e nas acções de jogo finalizadas é de 15,7% contra 5,9% respectivamente. Tanto os jogadores vencedores como os vencidos finalizaram mais acções de jogo nas zonas 3 (28,3%;27,6%) e 4 (29,3%;34,2%), respectivamente. Conclusões: Com o nosso estudo podemos concluir que o tempo médio de uma acção de jogo foi inferior ao tempo médio de repouso, o primeiro batimento mais usado foi o serviço comprido, os III jogadores vencidos jogaram mais para a zona 6, enquanto que os vencedores jogaram mais para a zona 1. Os jogadores vencedores cometeram menos erros não forçados e finalizaram mais acções de jogo que os jogadores vencidos, o remate e o remate cruzado foram os batimentos mais usados para finalizar as acções de jogo.
Description: Dissertação de mestrado em Treino Desportivo para Crianças e Jovens (Ciências do Desporto), apresentada à Faculdade de Ciências do Desporto e Educação Física da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/15462
Rights: openAccess
Appears in Collections:FCDEF - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
Tese_Mestrado_Angelo_Santos.pdf445.54 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record
Google ScholarTM
Check
Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.