Title: O Hospital-Colónia Rovisco Pais e os múltiplos desdobramentos da lepra: etnografia e interdisciplinaridade
Authors: Cruz, Alice
Matos, Vitor
Xavier, Sandra
Quintais, Luís
Santos, Ana Luísa
Keywords: Doença de Hansen;Etnografia;Interdisciplinaridade;Paleopatologia;Espaço;Exclusão
Issue Date: 2007
Publisher: AGIR - Associação para a Investigação e desenvolvimento Sócio-Cultural
Citation: CRUZ, Alice [et al.] - O Hospital-Colónia Rovisco Pais e os múltiplos desdobramentos da lepra: etnografia e interdisciplinaridade. In CONGRESSO INTERNACIONAL SOBRE ETNOGRAFIA, 2, MONTEMOR-O-NOVO, 2006 - Congresso Internacional sobre Etnografia: actas. Póvoa do Varzim: AGIR, 2007. p. 68-79
Abstract: Em 1947, sob o impulso do médico Fernando Bissaya Barreto, é inaugurado na Vila da Tocha o Hospital-Colónia Rovisco Pais (H-CRP), vocacionado para a erradicação da lepra no contexto nacional, tendo por base um modelo de internamento compulsivo e de isolamento dos doentes. Edificado num perímetro de cerca de 150 hectares, a sua projecção arquitectónica sintetiza objectivos terapêuticos, profiláticos e de gestão auto-suficiente que incita a uma reflexão em torno do projecto biopolítico do Estado Novo, sugerindo uma convergência entre a reabilitação biomédica do corpo enfermo e a regeneração moral do corpo social. Actualmente recuperada como Centro de Medicina e Reabilitação da Região Centro - Rovisco Pais, esta instituição alberga 26 ex-doentes e contem um vasto arquivo que reúne processos clínicos, administrativos e sociais. A investigação em curso faz uso de metodologias e modelos interpretativos diversos, assumindo-se como interdisciplinar. O H-CRP revela-se enquanto objecto histórico e etnográfico multifacetado, que faz apelo a um trajecto analítico que percorre a antropologia, a paleopatologia e a arquitectura. Junto da comunidade hospitalar vem sido desenvolvida uma pesquisa de cariz etnográfico que procura reconstruir a história do H-CRP, iluminar a experiência da doença no interior desta comunidade espacialmente ancorada e desvelar a representação social da lepra. No desenvolvimento da interacção etnográfica, a premência de três questões impôs-se, a saber: em que sentido as qualidades idiossincráticas do objecto condicionam e informam a prática da etnografia? De que forma, numa investigação de carácter interdisciplinar, se pode desenvolver um diálogo entre os diferentes enfoques analíticos e metodológicos, nomeadamente, de que maneira a etnografia absorve e reutiliza a linguagem e os resultados da historiografia clínica e epidemiológica? E, por fim, como é que se interpela a memória, esse espaço de contínua recriação simbólica? Em suma, em que medida não é a etnografia uma ferramenta privilegiada de compreensão da dinâmica social, justamente porque ela própria se transfigura, enquanto metodologia situada e híbrida? A presente comunicação pretende desenvolver uma reflexão em torno destas questões, apoiando-se nos dados provenientes do referido contexto etnográfico.
In 1947, under the impulse of the medical doctor Fernando Bissaya Barreto, it was inaugurated in Vila of Tocha the Hospital-Colónia Rovisco Pais (H-CRP), aimed at the eradication of leprosy in Portugal, based on a model of compulsive internment and isolation of the patients. Edified in a perimeter of about 150 hectares, its architectonic projection synthesizes therapeutic and prophylactic objectives as well as an autosufficient management. This motivates a reflection around the biopolitic project of the Estado Novo which suggests a convergence between the biomedical rehabilitation of the diseased body and the moral regeneration of the social body. At present, recovered as Centro de Medicina e Reabilitação da Região Centro - Rovisco Pais, this institution lodges 26 former patients and contains a vast archive which includes clinical, administrative and social files. The ongoing investigation use diverse methodologies and interpretative models, in an interdisciplinary perspective. The H-CRP reveals itself as an historical and multifaceted object, which appeals to an analytical path that goes through anthropology, paleopathology and architecture. On the hospital community is being developed an ethnographical research whose main objectives are: to trace the history of the H-CRP, reveal the experience of the disease in the interior of this spatially anchored community and uncover the social representation of leprosy. On the progress of the ethnographic interaction, three questions aroused, namely: in what sense does the idiosyncratic qualities of the object condition and inform the practice of ethnography? In what way, on an interdisciplinary investigation, can be developed a dialogue between the different analytical and methodological strategies, specifically, in what manner does ethnography absorbs and reuses the language and the results of clinical and epidemiological historiography? And finally, how can memory, being a universe of continuous symbolic recreation as it is, be interpellated? Briefly, in what measure isn’t ethnography a privileged technique for understanding the social dynamic, precisely because it transfigurates itself, as a situated and hybrid methodology? This communication aims to develop a reflection around these matters, with reference to the data proceeding from the mentioned ethnographical context.
URI: http://hdl.handle.net/10316/15346
ISBN: 978-989-95107-3-9
Rights: openAccess
Appears in Collections:I&D CIAS - Artigos e Resumos em Livros de Actas
FCTUC Ciências da Vida - Artigos em Livros de Actas

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
O Hospital-Colónia Rovisco Pais.pdf134.59 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record
Google ScholarTM
Check
Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.