Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/13508
Title: Análise ergonómica dos postos de trabalho com equipamentos dotados de visor em centros de saúde da Administração Regional de Saúde do Centro
Authors: Pinto, Alice Manuela Palmeirão 
Orientador: Ribeiro, Fontes
Keywords: equipamentos dotados de visor; Condições de trabalho; Postos de trabalho; Ergonomia
Issue Date: 2009
Citation: Pinto, Alice Manuela Palmeirão - Análise ergonómica dos postos de trabalho com equipamentos dotados de visor em centros de saúde da Administração Regional de Saúde do Centro. Coimbra, 2009
Abstract: Os equipamentos dotados de visor (EDV) converteram-se numa das ferramentas de trabalho mais importantes em numerosas actividades. A utilização desta nova tecnologia produz drásticas transformações nos métodos de trabalho tradicionais, através da sua influência nas competências exigidas aos trabalhadores, no conteúdo das tarefas, nas exigências físicas e mentais e nas relações de trabalho. Ao mesmo tempo que permitem importantes aumentos da produtividade e a eliminação de muitas tarefas repetitivas, os EDV podem dar origem a uma série de problemas respeitantes à qualidade de vida laboral e à saúde dos trabalhadores, quando não são correctamente utilizados. Estes problemas de natureza muito diversa estão ligados ao desenho dos equipamentos, à configuração dos postos de trabalho, ao meio ambiente físico onde este se realiza e ao próprio conteúdo e organização das tarefas. Este estudo teve como objectivo conhecer as condições de trabalho dos postos de trabalho com EDV em Centros de Saúde da Administração Regional de Saúde do Centro, Instituto Público (ARSC, IP). A amostra aleatória foi constituída por 86 postos de trabalho com EDV. Para a colheita de dados aplicaram-se listas de verificação (Questionário de caracterização do posto de trabalho, Questionário de utilização prática sobre trabalho com ecrãs de visualização, Checklist de Controlo e Avaliação de Ruído e Checklist sobre Condições Ambientais – Conforto Térmico). Pela análise dos resultados obtidos concluímos quanto à concepção dos locais e postos de trabalho que em 82,56 % não se cumpriam as prescrições mínimas de segurança e saúde relativamente ao pé direito mínimo, apesar de 63,95 % dos postos de trabalho se encontrarem em edifícios que foram construídos ou reconstruídos recentemente (depois do ano 2000). Quanto às prescrições mínimas de segurança e saúde respeitantes ao trabalho com EDV, não foram cumpridas relativamente ao porta-documentos que não existia em nenhum posto de trabalho da nossa amostra (100,00 %), aos utilizadores que não eram informados com detalhe e atempadamente das inovações respeitantes aos postos de trabalho com ecrãs de visualização (100,00%) e ao controlo periódico da disposição e da regulação dos diferentes elementos do posto de trabalho (98,84 %). Em 94,19 % dos postos de trabalho as divisórias amovíveis, que permitem dividir o local, não existiam e a manutenção do ecrã não era efectuada regularmente. Ainda em relação à adaptação dos diferentes elementos à estrutura e porte do operador e à actividade, em 87,21 % não eram cumpridas as prescrições mínimas de segurança e saúde relativamente à informação que é dada aos utilizadores quanto à possibilidade de regulação dos diferentes elementos, bem como da regulação mais indicada. Relativamente ao escritório, em 74,42 % dos postos de trabalho as mesas de trabalho não eram reguláveis em altura nem possuiam a área mínima recomendada. Em 51,16 % dos postos de trabalho o ecrã não estava colocado de forma a que o ângulo principal do olhar fosse paralelo à fila das armaduras e em 50,00 % os visores não eram reguláveis em altura. Quanto aos aspectos relacionados com o ambiente de trabalho, de acordo com a legislação portuguesa, as prescrições mínimas de segurança e saúde eram cumpridas em relação à iluminação, ao ruído e à humidade relativa. Em 68,60 % dos postos de trabalho os valores da iluminância, sem luz natural, encontravam-se entre os 300 e os 500 lx; com luz natural, 48,89 % dos postos de trabalho apresentavam valores de iluminâncias superiores a 500 lx. Em 36,05 % dos postos de trabalho o ruído variava entre os 60 dB(A) e os 65 dB(A), sendo o valor mais elevado de 71,30 dB(A). Em 89,53 % dos postos de trabalho a humidade relativa do ar encontrava-se entre os 50 e os 70 %. Relativamente à temperatura, as prescrições mínimas de segurança e saúde não eram cumpridas. Em 34,88 % dos postos de trabalho a temperatura do ar variava entre os 25,5 ºC e os 26,5 ºC (de bolbo seco). O valor mais elevado foi de 29,0 ºC. Os resultados alcançados colocam em evidência a necessidade de conceber postos de trabalho com a possibilidade de regulação dos diferentes elementos que o constituem. Parece-nos também evidente a desadequação da legislação existente relativa aos postos e locais de trabalho com EDV face às normas adoptadas internacionalmente, nomeadamente nas questões relacionadas com os aspectos ambientais (ruído, iluminação, temperatura e humidade relativa do ar).
The visual display units (VDU) tool has become one of the most important working tools in numerous fields of operation. Utilising this new technology sets off drastic changes in the traditional working methods through its influence in the personal’s skills, in the content of the tasks performed, in the physical and mental demands as well as in work relationships in the workplace. At the same time this tool trough the elimination of repetitive tasks allows a significant increase in producti ity but it can also trigger a serious of problems regarding the quality of labour life and the health of the working staff when not properly used. These issues arise from a serious of causes, from the design of the equipments to the definition of the workplace, the working environment, the content and organisation of the tasks. The present study is a quantitative and descriptive study which aims to identify the working conditions with the presence of the VDU tools in ARSC's IP Health Care Centres. The random sample was composed by 86 VDU workstations. For data collection were applied checklists (Questionnaire on the characterization of the job, usability questionnaire about work with display screens, Checklist of Monitoring and Evaluation of Noise and Checklist on Environmental Conditions - Thermal Comfort). Through the analysis of the results obtained we conclude, as far as the conception of the workplace and their locations is concerned, the minimum security and health requirements regarding the minimum right foot are not followed in 82.56% of the cases, although 63.89% of the workplaces are located in buildings which have been built or rebuilt recently (after 2000). Regarding minimum safety and health requirements with the VDU tool, these are not followed concerning the documents folder, which didn’t exist in any workplace based on the sample (100.00%) we’ve analysed. The users were not informed in detail and aforehand concerning the innovations in the workplace with visualizing screens (100.00%) and the periodic control of the disposition and the regulation of the different elements in the working place (98.84%). In 94.19% of the workplaces the removable divisions which allow the division of the space, did not exist and the screen maintenance was not regularly performed. Concerning the adaptation of the different elements to the structure and size of the operator and the activity, in 87.21% of the cases the minimum safety and health requirements were not followed, especially in what the information given to the users is concerned and in terms of the possibility of regulation within the different elements as well as the most indicated type of regulation to follow. In the office environment, in 74.42% of the workplaces we analysed, the desks were neither adjustable in height, nor did they have the minimum recommended size. In 51.16% of the workplaces, the screen was not set in a way that the main vision angle will be parallel to the armours’ row, and in 50.00% the screens were not adjustable in height. Concerning the aspects related to the working environment, in accordance with the Portuguese law, the minimum requirements for health and security were followed regarding light, noise and relative humidity. In 68.60% of the workplaces the values for artificial light, places without natural light, were between 300 and 500 lx; with natural light, 48.89% of the workplaces present luminance values higher than 500 lx. In 36.05% of the workplaces, the noise values had varied between 60 dB (A) and 65 dB (A), being the highest value 71.30 dB (A). In 89.53% of the workplaces, humidity of the air is between 50 and 70%. As far as temperature is concerned, the minimum requirements for security and health were not followed. In 34.88% of the workplaces the temperature levels varied between 25.5ºC and 36.5ºC. The highest identified value was 29.0ºC. The results we found stand out the need to build new working places with the possibility for regulation of the different elements which composed it. It also seems evident to us that there is an inadequate legislation of the workplaces and locations with the VDU tool concerning the norms applied internationally, namely in issues related with the environmental aspects (noise, light, temperature and humidity).
Description: Dissertação de mestrado em saúde Ocupacional, apresentada à Fac. de Medicina da Universidade de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/13508
Rights: openAccess
Appears in Collections:FMUC Medicina - Teses de Mestrado
UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Tese_mestrado_Alice Pinto.pdf3.85 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s) 5

2,071
checked on Aug 10, 2022

Download(s) 10

2,383
checked on Aug 10, 2022

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.