Title: A influência da prática de exercícicio físico a nível das auto-percepções e do estado de saúde geral nos indivíduos com espondilite anquilosante
Authors: Rodrigues, Sílvia Mendes 
Keywords: Percepção de si;Promoção da saúde;Prática desportiva -- doença;Espondilite anquilosante
Issue Date: 2009
Abstract: Objectivos: Com este estudo, pretendeu-se caracterizar a população portuguesa com espondilite anquilosante (E.A.)., nomeadamente em relação à prática de exercício físico. Procurou-se também avaliar as percepções desse grupo relativamente à satisfação com a vida, às auto-percepções no domínio físico e à qualidade de vida/estado de saúde. Por outro lado, aferiu-se o grau de associação entre a prática de actividade física e a satisfação com a vida, as auto-percepções no domínio físico e a qualidade de vida. Metodologia: O estudo foi subdividido em 2 sub-estudos. No estudo 1, a amostra de 167 indivíduos com E.A. foi analisada recorrendo à utilização da Escala de satisfação com a vida, dos instrumentos Physical Self Perception Profile, versão portuguesa no contexto clínico (PSPPp-VCR) e Medical Outcome Short Form (36) (SF-36). Em relação ao estudo 2, foi composto por dois grupos, o grupo experimental, no qual os indivíduos espondilíticos são praticantes de exercício físico (n=38) e o grupo controlo, com características sedentárias (n=38). Verificaram-se dois tempos de avaliação, um 1º momento T0 e um 2º momento, T1, 16 semanas depois. Os instrumentos de avaliação utilizados no estudo 2 foram os mesmos que no estudo 1. Resultados: No estudo 1, verificou-se que a população com E.A. apresenta níveis de satisfação com a vida e níveis de qualidade de vida médios, e níveis nas auto-percepções, no domínio físico, mais baixos. Com o aumento da idade, da duração da doença e do grau de severidade da E.A., as auto-percepções no domínio físico, as percepções relativas à satisfação com a vida e com o estado de saúde em geral diminuem. Os participantes praticantes de actividade física (n=107) relacionaram positivamente o tempo de prática e a frequência semanal com as variáveis em estudo. Relativamente ao estudo 2, destacaram-se associações positivas entre a satisfação com a vida, os níveis de auto-percepções e os níveis de qualidade de vida no grupo experimental, ao contrário do que se verificou com o grupo controlo, tendo então o exercício físico um efeito nas melhorias dessas dimensões. Conclusão: A E.A. constitui uma patologia complexa, na medida em que a incapacidade física que dela resulta pode provocar alterações psicológicas, com repercussões na satisfação com a vida, nos níveis de auto-percepções no domínio físico e no estado de saúde/qualidade de vida. O exercício físico surge como uma componente essencial na adaptação à doença, tendo em conta que os parâmetros referidos anteriormente são influenciados pela prática do mesmo.
Purposes: This study tried to analyze Portuguese people with spondylitis ankylosing (S.A.) for which concern the practice of a physical activity. The study also wanted to evaluate the group’s self-perceptions about satisfaction on life, self-perceptions and quality of life and state of health. It was also projected to set the standards on association between physical fitness and level of satisfaction about life, self-perceptions about quality of life and physical fitness. Methodology: The study was divided in two sub-studies. The first one, which includes 167 persons with S.A., used the Satisfaction with Life scale, Physical Self Perception Profile scale, Portuguese version on clinical context (PSPPp-VCR) and the Medical Outcome Short Form (36) (SF-36). The second one was composed of two groups, experimental group which included individuals that practice fitness (n=38) and the other group called the control group including sedentary people (n=38). On both groups, the evaluation took place at two precise moments, T0, the beginning of the study, and T1, 16 weeks later. We used the same analyze methods as for the sub-study 1. Results: In study 1, it has been The S.A.-concerned population shows an average level of satisfaction about life and quality of life, but a lower level of physical self perception. As the individuals grow older, the illness longer and more serious, the perception’s levels about fitness, satisfaction of life and state of health tend to become lower. Those who have a physical activity (n=107) positively linked the rhythm of their practice with the items in study. Furthermore, we found positive associations between satisfaction about life, self perception levels and quality of life levels on the first group, the experimental one, unlike the evidences found in the control group. Conclusion: The S.A. is a complex pathology because the physical alterations can provide psychological discomfort with an obvious impact on satisfaction about life, self perception on physical and state of health / quality of life grounds. Thus, as shown by the analyzed parameters of the study, the physical fitness tend to be a good help for the body’s adaptation to illness.
Description: Dissertação de mestrado em Exercício e Saúde em Populações Especiais, apresentada à Fac. de Ciências do Desporto e Educação Física da Univ. de Coimbra
URI: http://hdl.handle.net/10316/11990
Rights: openAccess
Appears in Collections:FCDEF - Teses de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
tese_de_mestrado SRodrigues.pdf3.61 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record
Google ScholarTM
Check
Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.