Please use this identifier to cite or link to this item: https://hdl.handle.net/10316/102803
Title: Memórias Virtuais: Representações digitais da Guerra Colonial
Authors: Ferreira, Verónica Isabel Pedro
Orientador: Cardina, Miguel
Ribeiro, António Sousa
Keywords: memórias digitais; colonialismo; guerra colonial; Facebook; Wikipédia; Blogues; discursos; veteranos
Issue Date: 12-Sep-2022
Project: H2020, ERC-2016-StG-715593 
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: O estudo da memória pública e comum de eventos históricos foi-se desenvolvendo nas últimas décadas do século XX, particularmente dedicado ao estudo da memória de eventos traumáticos como o Holocausto. Em Portugal, esses estudos, de memórias consideradas traumáticas, têm dado os seus primeiros passos em temas como a ditadura estado-novista ou a memória do colonialismo português. Em suma, as memórias ligadas aos eventos do século XX português. Nesta investigação em particular, interessou-me abordar a memória pública e comum da última grande guerra do século XX na qual o Estado português participou – enquanto regime ditatorial e colonial, o Estado Novo. A investigação da memória do Estado Novo e da Guerra Colonial até então não havia contemplado o novo espaço social dos meios de comunicação digitais – a Internet – e decidi encetar uma primeira investigação que colmatasse parte dessa lacuna. Decidi, portanto, dedicar-me a iniciar o estudo da memória pública e comum da Guerra Colonial na Internet, nomeadamente em três plataformas: 1) os blogues de antigos combatentes; 2) em verbetes dedicados ao conflito na Wikipédia lusófona; e 3) nas páginas e grupos públicos de Facebook que abordassem de alguma forma a memória do conflito. Neste sentido, pretendi compreender que semelhanças e que ruturas marcam este novo espaço mnemónico social? A investigação que desenvolvi nos últimos cinco anos teve como objetivo central compreender as dinâmicas de criação e produção de memória de memórias e quais as narrativas históricas mais presentes sobre o conflito nestas plataformas digitais. Assim, e em suma, encarei o meio digital enquanto espaço de (re)criação, divulgação e partilha de narrativas e representações sociais sobre a Guerra Colonial. A investigação pretendeu responder a duas grandes questões: 1) em primeiro lugar, que narrativas são (re)construídas em meio digital sobre a Guerra Colonial; 2) em segundo lugar, de que forma (como) e em que medida (quanto) o meio digital molda as narrativas memoriais sobre a Guerra Colonial. Com efeito, pretendi, ao mesmo tempo, compreender quais as razões apontadas pelos produtores destes conteúdos para enunciar e divulgar essas narrativas através da Internet, que tipo de relação se estabelece entre as narrativas digitais e as narrativas em circulação noutros meios de comunicação. Ao fazê-lo percebi que se vão formando, sobretudo entre utilizadores de blogues e de páginas de Facebook, comunidades baseadas em experiências comum e na partilha dessas experiências. E, por fim, que relações se estabelecem entre indivíduos dentro e fora de grupos de pertença (dimensão comunitária e dimensão individual), i.e., que relação têm as memórias produzidas em meio digital com as restantes representações sociais da guerra e que relação têm as memórias em meio digital (os seus processos de produção e negociação) com as representações sociais dominantes sobre a Guerra Colonial e os consensos historiográficos existentes? Para compreender o processo de produção e construção das memórias em meio digital foi importante ter em conta a interação entre meio digital e a construção de memórias individuais e coletivas de antigos combatentes fora das plataformas, situando-as num contexto histórico, económico e político mais amplo e influenciado por narrativas já presentes no meio social em que estes homens se movem. Concomitantemente, tive em conta a produção académica existente sobre a Guerra Colonial, a fim de colocar em perspetiva as narrativas exploradas em contexto virtual - explorando silêncios e ausências. Para tal, foi importante fazer um levantamento crítico da evolução da memória da Guerra Colonial nas várias plataformas digitais e analisar as representações da guerra e as narrativas memoriais presentes nos blogues e nas páginas coletivas/associativas de Facebook. A investigação teve ainda a colaboração de antigos combatentes que escrevem, simultaneamente, para o maior blogue de veteranos da Guerra Colonial em língua portuguesa – o blogue Luís Graça e Camaradas da Guiné – que aceitaram ser entrevistados enquanto produtores de conteúdos digitais e antigos combatentes. O objetivo foi comparar as narrativas construídas fora do meio virtual, assim como indagar os produtores acerca das razões por si apontadas para a utilização do meio como espaço de enunciação.
The study of public and common memory of historical events has been developing in the last decades of the 20th century, particularly dedicated to the study of the memory of traumatic events such as the Holocaust. In Portugal, these studies, of memories considered traumatic, have taken their first steps in themes such as the Estado Novo dictatorship or the memory of Portuguese colonialism. In short, the memories are linked to the events of the Portuguese twentieth century. In this research, I was interested in addressing the public and common memory of the last great war of the 20th century in which the Portuguese state participated - as a dictatorial and colonial regime, the Estado Novo. The research on the memory of the Estado Novo and the Colonial War had so far not contemplated the new social space of digital media - the Internet - and I decided to start a research that would fill part of this gap. I decided, therefore, to start studying the public and common memory of the Colonial War on the Internet, namely in three platforms: 1) the blogs of former combatants; 2) in entries dedicated to the conflict in Portuguese Wikipedia; 3) in public Facebook pages and groups that somehow addressed the memory of the conflict. In this sense, I wanted to understand what similarities and what ruptures mark this new social mnemonic space? The research I developed in the last five years had as a central objective to understand the dynamics of memory creation and production of memories and which historical narratives about the conflict are most present in these digital platforms. Thus, and in short, I saw the digital medium as a space for (re)creation, dissemination, and sharing of narratives and social representations about the Colonial War. The research aimed to answer two main questions: 1) first, what narratives are (re)constructed in digital media about the Colonial War; 2) second, in what ways (how) and to what extent (how much) the digital medium shapes memorial narratives about the Colonial War. Indeed, I intended, at the same time, to understand what the reasons are given by the producers of these contents to enunciate and disseminate these narratives through the Internet, what kind of relationship is established between the digital narratives and the narratives in circulation in other media. In doing so, I realized that communities based on common experiences and the sharing of those experiences are being formed, especially among users of blogs and Facebook pages. And, finally, what relationships are established between individuals inside and outside groups of belonging (community dimension and individual dimension), i.e., what is the relationship between memories produced in digital media and other social representations of the war, and what is the relationship between memories in digital media (their production and negotiation processes) and the dominant social representations of the Colonial War and the existing historiographic consensus? To understand the process of production and construction of memories in digital media, it was important to consider the interaction between digital media and the construction of individual and collective memories of former combatants outside the platforms, placing them in a broader historical, economic, and political context and influenced by narratives already present in the social environment in which these men move. At the same time, I considered the existing academic production on the Colonial War, to put into perspective the narratives explored in a virtual context - exploring silences and absences. To this end, it was important to critically survey the evolution of Colonial War memory in the various digital platforms and to analyze the representations of the war and the memorial narratives present in blogs and collective/associative Facebook pages. The research also had the collaboration of former combatants who write, simultaneously, for the largest blog of Colonial War veterans in the Portuguese language - the Luís Graça e Camaradas da Guiné blog - who agreed to be interviewed as producers of digital content and former combatants. The objective was to compare the narratives constructed outside the virtual medium, as well as to question the producers about the reasons for the use of the medium as a space of enunciation.
Description: Tese no âmbito do Doutoramento em Discursos: História, Cultura e Sociedade, apresentada à Faculdade de Letras da Universidade de Coimbra.
URI: https://hdl.handle.net/10316/102803
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Teses de Doutoramento
FLUC Secção de Estudos Anglo-Americanos - Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat
PhD_Memórias Virtuais_VF_PósDefesa_2022.pdf6.05 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Page view(s)

337
checked on Feb 27, 2024

Download(s)

209
checked on Feb 27, 2024

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.