Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/100756
Title: O impacto da pandemia COVID-19 no desempenho das PMEs portuguesas.
Other Titles: The impact of the COVID-19 pandemic on the performance of portuguese SMEs.
Authors: Henriques, José Pedro Victorino
Orientador: Pimentel, Liliana Marques
Keywords: COVID-19; Desempenho; PMEs; COVID-19; Performance; SMEs
Issue Date: 17-Nov-2021
Serial title, monograph or event: O impacto da pandemia COVID-19 no desempenho das PMEs portuguesas.
Place of publication or event: Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra
Abstract: O ano de 2020 poderá ser um ponto de viragem para o mundo, especialmente para a sua economia. Uma doença infeciosa, SARS-CoV-2, denominada também por COVID-19, surgiu na cidade de Wuhan, uma província chinesa. A doença altamente contagiosa espalhou-se pelo resto do mundo, causando consequências nefastas para as economias dos diversos países, que ao priorizarem a saúde das populações em detrimento das questões económicas, sofreram um abrandamento agressivo dos mercados.O presente estudo tem o objetivo de analisar as determinantes da sustentabilidade financeira das PMEs portuguesas, em contexto de pandemia , portanto, o trabalho realizado incide sobre o desempenho das PMEs nacionais, desde 2015 a 2020, utilizando uma metodologia de dados em painel. Através de indicadores de desempenho das organizações, como a ROA, pretende-se verificar a performance e as dificuldades sentidas através de modelos de regressão, nomeadamente o modelo de Efeitos fixos.O estudo descreve a análise de 29.461 organizações nacionais, numa primeira fase, ao longo do período de 2015 a 2019 e, de seguida, no período de 2015 a 2020.Os resultados evidenciados apontam para um sinal positivo e com significância dos rácios autonomia financeira, liquidez geral e liquidez imediata e, também, das variáveis de controlo, dimensão da organização e Produto interno bruto em relação ao ROA, concluindo que estas variáveis têm um impacto (positivo) no desempenho financeiros das PMEs nacionais.Por sua vez, o sinal negativo e significativo do coeficiente dos rácios solvabilidade, o efeito dos juros suportados, o efeito fiscal e das variáveis de controlo, a idade e tangibilidade das organizações apontam para uma relação negativa das variáveis face ao ROA, permitindo concluir que estas variáveis têm impacto (negativo) no desempenho financeiro das PMEs portuguesas.Por último, em relação aos modelos de forecasting, o setor de atividade mais afetado foi Alojamento e Restauração e os distritos mais abalados foram Lisboa, Porto e Horta.
The year 2020 could be a turning point for the world, especially for its economy. An infectious disease, SARS-CoV-2, also known as COVID-19, emerged in the city of Wuhan, a Chinese province. The highly contagious disease has spread to the rest of the world, causing disastrous consequences for the economies of several countries, which, by prioritizing the health of populations at the expense of economic issues, have suffered an aggressive slowdown in the markets.This study aims to analyze the determinants of the financial sustainability of Portuguese SMEs in a pandemic context and, therefore, the work carried out focuses on the performance of Portuguese SMEs, from 2015 to 2020, using a panel data methodology. Through performance indicators of organizations, such as ROA, it is intended to verify the performance and the difficulties felt through regression models, namely the Fixed Effects model.The study describes the analysis of 29.461 national organizations, in a first phase, over the period from 2015 to 2019 and then over the period from 2015 to 2020.The results point to a positive and significant sign of the financial autonomy, general liquidity and immediate liquidity ratios, and also of the control variables, organization size and Gross Domestic Product on ROA, concluding that these variables have an impact (positive) on the financial performance of domestic SMEs.On the other hand, the negative and significant sign of the coefficient of solvency ratios, the effect of interest paid, the tax effect and the control variables, the age and tangibility of organizations point to a negative relationship of the variables on ROA, allowing the conclusion that these variables have an (negative) impact on the financial performance of portuguese SMEs.Finally, according to the forecasting models, the most affected sector of activity was Accommodation and Restaurants and the most affected districts were Lisbon, Porto and Horta.
Description: Dissertação de Mestrado em Gestão apresentada à Faculdade de Economia
URI: http://hdl.handle.net/10316/100756
Rights: openAccess
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado

Files in This Item:
File Description SizeFormat
DissertaçãoMestrado_JosePedroVictorinoHenriques_VF.pdf1.27 MBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons