Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/100706
DC FieldValueLanguage
dc.contributor.advisorQuintal, Carlota Maria Miranda-
dc.contributor.authorPinto, Sara Margarida Vaz Rodrigues Amaral-
dc.date.accessioned2022-07-08T22:00:56Z-
dc.date.available2022-07-08T22:00:56Z-
dc.date.issued2021-12-09-
dc.date.submitted2022-07-08-
dc.identifier.urihttp://hdl.handle.net/10316/100706-
dc.descriptionDissertação de Mestrado em Gestão e Economia da Saúde apresentada à Faculdade de Economia-
dc.description.abstractIntrodução: Apesar da existência de medicação com eficácia comprovada nocontrolo da pressão arterial, a não adesão ao tratamento farmacológico e nãofarmacológico da hipertensão arterial representa um barreia à obtenção de valoresnormotensionais. A não adesão à terapêutica da hipertensão revela ser um problemaemergente, representando uma ameaça à sustentabilidade dos sistemas de saúde. Aprevalência crescente da hipertensão arterial e morbimortalidade associada à hipertensãonão controlada, tornam a reflexão sobre a não adesão fundamental.Objetivos: Recorrendo a uma revisão sistemática da literatura, o objetivo passa,em primeiro lugar, por estabelecer as consequências clínicas decorrentes da hipertensãoarterial e do seu descontrolo. Em seguida, pretende-se identificar os custos indiretos ediretos associados à não adesão terapêutica e consequentemente, a níveispersistentemente elevados de pressão arterial. Por último, apresentar-se-ão estratégiascom o intuito de fomentar a adesão.Resultados: Indubitavelmente, a hipertensão arterial e principalmente o seudescontrolo, resultante de uma fraca adesão à terapêutica, representam um fator de riscopara o aparecimento e desenvolvimento de patologias cérebro-cardiovasculares. A estascomorbilidades, estão associadas consequências como a perda de qualidade vida, perdade rendimentos por incapacidade laboral e contactos com os serviços de saúde evitáveis.Destes, a proporção com maior manifestação atribui-se a internamentos hospitalares.Conclusão: Os internamentos hospitalares representam a maior fatia dos custosevitáveis associados à utilização de serviços de saúde, principalmente em pacientes emidade avançada, decorrente da natureza progressiva da hipertensão arterial. No entanto,não é possível identificar, com precisão, os custos totais da não adesão ao tratamento pelafalta de literatura sobre custos indiretos. Apesar disso, existe evidência sobre a existênciade uma relação custo-benefício associada ao aumento das taxas de adesão.por
dc.description.abstractIntroduction: Despite the existence of medication with proven efficacy incontrolling blood pressure, non-adherence to the pharmacological and nonpharmacological treatment of arterial hypertension represents a barrier to obtainingnormotensive values. Due to its prevalence, contribution to the morbidity and mortalityof hypertensive patients, the threat to the economic sustainability of health systems, andthe fact that it has a growing dimension, non-adherence is an emerging problem.Objectives: Using a systematic review of the literature, the objective is, in the firstplace, to establish the clinical consequences resulting from arterial hypertension and itslack of control. Then, it is intended to identify the indirect and direct costs associated withnon-adherence to therapy and, consequently, with persistently high levels of bloodpressure. Finally, strategies will be presented in order to encourage adherence.Results: Undoubtedly, hypertension and especially its lack of control resultingfrom poor adherence represent a risk factor for the onset and development ofcerebrovascular and renal pathologies. These comorbidities are associated withconsequences such as loss of quality of life, loss of income due to work incapacity, andthe need for avoidable health services. Of these, the proportion with the highestexpression is attributed to hospital admissions.Conclusion: Hospital admissions represent the largest share of avoidable costsassociated with the use of health services, especially in elderly patients, due to theprogressive nature of arterial hypertension. However, it is not possible to conclude withany level of certainty the total costs due to the lack of literature on indirect costs. Despitethis, the existence of a cost-benefit ratio associated with the increase in adherence rates isundeniable.eng
dc.language.isopor-
dc.rightsopenAccess-
dc.rights.urihttp://creativecommons.org/licenses/by/4.0/-
dc.subjectNonadherenceeng
dc.subjectArteiral hypertensioneng
dc.subjectTreatmenteng
dc.subjectCostseng
dc.subjectNão adesãopor
dc.subjectHipertensão arterialpor
dc.subjectTratamentopor
dc.subjectCustospor
dc.titleOs custos da não adesão ao tratamento da hipertensão arterial: uma revisão sistemática da literaturapor
dc.title.alternativeThe costs of nonadherence to the arterial hypertension treatment: a systematic review of the literatureeng
dc.typemasterThesis-
degois.publication.locationCoimbra-
degois.publication.titleOs custos da não adesão ao tratamento da hipertensão arterial: uma revisão sistemática da literaturapor
dc.peerreviewedyes-
dc.identifier.tid203034112-
thesis.degree.disciplineEconomia, Gestão e Administração-
thesis.degree.grantorUniversidade de Coimbra-
thesis.degree.level1-
thesis.degree.nameMestrado em Gestão e Economia da Saúde-
uc.degree.grantorUnitFaculdade de Economia-
uc.degree.grantorID0500-
uc.contributor.authorPinto, Sara Margarida Vaz Rodrigues Amaral::0000-0002-3653-419X-
uc.degree.classification16-
uc.degree.presidentejuriFerreira, Pedro Augusto Melo Lopes-
uc.degree.elementojuriAntunes, Ana Patricia Ferreira-
uc.degree.elementojuriQuintal, Carlota Maria Miranda-
uc.contributor.advisorQuintal, Carlota Maria Miranda-
item.fulltextCom Texto completo-
item.grantfulltextopen-
item.languageiso639-1pt-
Appears in Collections:UC - Dissertações de Mestrado
Show simple item record

Google ScholarTM

Check


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons