Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/100275
Title: Os primeiros meses na dança relacional mãe-bebé(s): desafios decorrentes da situação gemelar
Other Titles: First months in baby mother relationship: challenges from gemelar situation
Authors: Veiga, Sofia
Bertão, Ana
Alarcão, Madalena 
Keywords: Vinculação; Separação-individuação; Díade mãe-gémeos; Attachment; Separation-individuation; Mother-twin dyad
Issue Date: 2019
Publisher: INFAD
Serial title, monograph or event: Revista INFAD de Psicología
Volume: 2
Issue: 2
Place of publication or event: Badajoz
Abstract: É decorrente das competências percetivas e relacionais da mãe e do bebé, e da sua dança relacional, que o comportamento de vinculação se vai gradualmente desenvolvendo; e é da qualidade desta dança relacional que dependerá, a posteriori, o solo individual e a articulação de dois desenvolvimentos interligados, mas independentes. Ora, no caso das mães gemelares, estas têm de estabelecer relações individuais com duas ou mais crianças, com a mesma idade, tendo em conta as suas necessidades idênticas, assim como as suas distintas personalidades, necessidades e padrões de interação. A pesquisa que se apresenta procurou investigar a existência de uma relação, nos seis primeiros meses de vida, entre o tipo de ligação vinculativa mãe-bebés gémeos e a diferenciação que a mãe faz dos mesmos. Em termos de procedimentos, foram realizadas três entrevistas semi diretivas a quarenta mães gemelares, de tipo clínico, uma após o parto e as outras aos três e aos seis meses. Para a análise dos dados, optou-se por uma metodologia quantitativa, utilizando uma análise correlacional das variáveis. A análise realizada concluiu sobre a não existência de uma relação clara entre as duas variáveis. Não obstante, a qualidade da relação mãe-bebés parece ser afetada por variáveis como: a vivência materna do parto relativamente a si e aos bebés; as complicações clínicas durante o parto; a primeira imagem materna dos bebés reais e a estadia dos bebés na incubadora; a capacidade de a mãe integrar o bebé real no bebé imaginário; a perceção materna das (des)vantagens da situação gemelar e da sua competência para lidar adequadamente com ambas as crianças e com cada uma, em particular. Compreende-se, assim, a importância de as mães gemelares serem apoiadas, particularmente no período pós-parto, já que têm de enfrentar uma multiplicidade de desafios que podem afetar os processos de vinculação e de separação-individuação.
It is due to the mother and baby’s perceptive and relational skills, and their relational dance, that the bonding behavior gradually develops; and it is the quality of this relational dance that will depend, a posteriori, on the individual solo and the articulation of two interconnected but independent developments. However, in the case of twin mothers, they have to establish individual relationships with two or more children of the same age, taking into account their identical needs as well as their different personalities, needs and patterns of interaction. The research presented here seeks to investigate the existence of a relationship, within the first six months of life, between the type of mother-twin bond binding and the mother’s differentiation. In terms of procedures, three semi-directive interviews were conducted with forty clinical twin mothers, one after delivery and the other both three and six months. For data analysis, a quantitative methodology was chosen, using a correlational analysis of the variables. The analysis concluded that there was no clear relationship between the two variables. Nevertheless, the quality of the mother-infant relationship seems to be affected by variables such as the maternal experience of childbirth in relation to yourself and babies; clinical complications during childbirth; the first maternal image of the real babies and the babies’ stay in the incubator; the ability of the mother to integrate the real baby into the imaginary baby; the maternal perception of the (dis) advantages of the twin situation and their competence to deal adequately with both children and each in particular. Thus, it is understood the importance of twin mothers being supported, particularly in the postpartum period, as they face a multitude of challenges that can affect the processes of attachment and separation-individuation.
URI: http://hdl.handle.net/10316/100275
ISSN: 2603-5987
0214-9877
DOI: 10.17060/ijodaep.2019.n2.v2.1743
Rights: openAccess
Appears in Collections:I&D CES - Artigos em Revistas Internacionais

Files in This Item:
File Description SizeFormat
Os primeiros meses na danca relacional.pdf85.32 kBAdobe PDFView/Open
Show full item record

Google ScholarTM

Check

Altmetric

Altmetric


This item is licensed under a Creative Commons License Creative Commons