Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/100049
Title: The Adaptation of Historical Buildings and Sites as Museums - Case Study in Old Aleppo
Authors: Affaki, Mounir Sabeh
Orientador: Lousa, António Manuel Portovedo
Lobo, Rui
Keywords: Museus; reabilitação; adaptação; adição; novo edificio; avaliação; intervenção; contextualização; compatibilidade; crítica; Museums; rehabilitation; adaptation; addition; new building; evaluation; intervention; contextualisation; compatibility; criticism
Issue Date: Jun-2016
Place of publication or event: Coimbra
Abstract: A adaptação dos edifícios históricos para os transformar em museus é um tratamento comum dado o significado e simbolismo desses edificios. Por conseguinte, novos projectos impoem-se em locais históricos, com percepções contemporâneas que podem ou não ser compatíveis com os regulamentos ou com as expetativas dos habitantes. A intervenção em contextos históricos tem sido sempre um ponto de controvérsia entre arquitectos de diferentes escolas: Alguns acreditam que o património deve ser protegido e passado entre gerações de forma a que nenhuma alteração ocorra no tecido histórico -tendem a adotar uma abordagem “replicativa”. Outros rejeitam firmemente essa ideia de “saudade”, como a descrevem, acreditando que os edifícios devem sempre reflectir o seu tempo - geralmente recomendam algumas soluções mais arrojadas. Para além destas duas abordagens extremas, a investigação deverá explorar um amplo espectro de possibilidades. Este assunto reflete-se fortemente nos centros históricos no mundo Árabe, onde está latente o conflito entre identidade e design contemporâneo. Um exemplo deste problema é encontrado no meu projeto de graduação, apresentado na Universidade de Aleppo em 2014, que é um complexo de museus na cidade velha de Aleppo que tinham seguido uma abordagem historicista na sua linguagem arquitectónica, forçada pelo regulamento urbano da área que foi listada pela UNESCO como Património Mundial.
The adaptation of historical buildings as museums is a common treatment because of the meaning these buildings add to exhibitions. Therefore, new projects impose themselves in historical sites, with contemporary perceptions that may or may not be compatible with the local legalization or the inhabitants’ predictions. Intervention in historic contexts has always been a point of controversy between architects of different schools: Some believe that heritage must be protected and passed between generations so no changes should occur to the historic fabric so they tend to embrace a replicative approach, while others firmly reject this idea of “nostalgia” as they describe it, believing that buildings should always reflect their age, and those usually recommend some edgier solutions. In addition to these two extreme approaches, the research will explore a wide spectrum of possibilities. This matter embodies strongly inside Arabic historic centres, where the conflict simmers between identity and contemporary design. An example of this problem is found in my graduation project, presented in Aleppo University 2014, which is a museum complex in the old city of Aleppo that had followed a historicist approach in its architectural language, forced by the urban legalisation of the area that was listed as a World Heritage site.
Description: Dissertação de Mestrado em Arquitetura apresentada à Faculdade de Ciências e Tecnologia da Universidade de Coimbra.
URI: http://hdl.handle.net/10316/100049
Rights: openAccess
Appears in Collections:FCTUC Arquitectura - Teses de Mestrado

Show full item record

Page view(s)

19
checked on Aug 5, 2022

Download(s)

5
checked on Aug 5, 2022

Google ScholarTM

Check


Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.