Please use this identifier to cite or link to this item: http://hdl.handle.net/10316/28148
Title: Percursos biossociais da tuberculose no Rio de Janeiro
Authors: Brás, Oriana Rainho
Orientador: Nunes, João Arriscado
Freitas, Carlos Machado de
Keywords: Sociologia da saúde
Tuberculose -- Brasil
Cuidados de saúde
Desigualdade social
Saúde pública
Epidemiologia
Issue Date: 7-Jan-2013
Citation: BRÁS, Oriana Rainho - Percursos biossociais da tuberculose no Rio de Janeiro. Coimbra : [s.n], 2012. Tese de doutoramento. Disponível na WWW: <URLhttp://hdl.handle.net/10316/28148>.
Abstract: O que significa, na prática, reconhecer que a Tuberculose é uma doença com causas sociais? É a interrogação de partida que guiou este trabalho. Para encontrar respostas, o trabalho percorre as práticas de pessoas e organizações que intervêm sobre a Tuberculose no Rio de Janeiro, Brasil, através de trabalho etnográfico e entrevistas realizados entre Junho e Dezembro de 2009 e entre Maio e Agosto de 2010. A enorme dinâmica em torno da Tuberculose, na última década, no Brasil, decorreu de mudanças na política internacional de saúde pública, assim como a nível nacional – em parte por influência daquela – colocando a Tuberculose como prioridade política. Uma das expressões dessas mudanças é a recomendação da estratégia Directly Observed Treatment Short-course therapy (DOTS) pela Organização Mundial da Saúde para controlar a Tuberculose no mundo. O processo de implementação da DOTS no Rio de Janeiro demonstra que a tendência da saúde global em concentrar-se na disponibilização de medicamentos como equivalente a cuidado de saúde (Biehl, 2007) não responde adequadamente à realidade. Um olhar mais atento sobre a implementação da estratégia também mostra pontos fortes, bem como as possibilidades abertas por inovações locais para responder à especificidade do contexto do Rio de Janeiro. Os relatos de pacientes de Tuberculose revelam a complexidade da expressão da doença na sua vida e nos contextos onde ela decorre. A Tuberculose no Rio de Janeiro associa-se à dinâmica do capitalismo técnico-científico-informacional (Santos, 2002 [1979]) gerador de um segmento populacional importante, a que o mesmo autor chamou circuito inferior urbano, cujas condições de vida se caracterizam por uma enorme vulnerabilidade (Sabroza, 2001). A vulnerabilidade também caracteriza os próprios serviços de saúde do Sistema Único de Saúde, responsáveis por responder a esta doença. O conceito de vulnerabilidade demonstrou potencialidades na compreensão da complexidade da expressão da doença nas vidas das pessoas e seus contextos, e ainda na indicação de pontos de ação positiva. O cuidado de saúde, e especificamente da Tuberculose, revelou exigir uma perspetiva e uma ação intersetoriais. O percurso evidenciou a ampliação da arena da Tuberculose, na última década, aumentando e diversificando os mundos sociais envolvidos e implicando interseção com outras arenas como o Sistema Único de Saúde e o VIH-Sida. Questões como apoios socioeconómicos para as/os pacientes, atenção a comorbidades, direitos humanos e outras, passaram a integrar as agendas da Tuberculose. Esta ampliação ocorre através de um intenso trabalho político da parte de todos os envolvidos, que tem vindo a redefinir os sentidos desta doença. Ainda que seja uma tendência tímida, crescentemente pessoas e organizações implicadas vêem-na e agem sobre ela como um fenómeno biossocial, alargando também o âmbito da própria saúde.
What does it mean, in practice, to recognize that Tuberculosis has social causes? That is the question guiding this study. Looking for answers, we follow the practices of people and organizations acting on Tuberculosis in Rio de Janeiro, Brazil, drawing on ethnography and interviews in two different periods, between June and December 2009, and May and August 2010. Transformations in international public health politics, as well as in national ones – in part influenced by the former – transformed Tuberculosis into a political priority. The World Health Organization's recommendation of Directly Observed Treatment Short-course therapy (DOTS) to control Tuberculosis worldwide is one of the many expressions of those changes. The implementation of DOTS strategy in Rio de Janeiro demonstrates that the tendency of global health to concentrate in delivering medicines, equating it with health care (Biehl, 2007), does not adequately respond to real problems. A closer look at the implementation of DOTS strategy also shows its strengths and the possibilities offered by local innovation aimed at better responding to Rio de Janeiro's specificities. Tuberculosis patients sharing their stories revealed the complexity of this disease in their lives and the contexts where they inhabit. Tuberculosis in Rio de Janeiro is connected to broader dynamics of techno-cientificinformational capitalism (Santos, 2002 [1979]) which generates a population segment (designated as inferior urban circuit) whose living conditions are highly vulnerable (Sabroza, 2001). Vulnerability is also an important feature of the health services responsible for delivering Tuberculosis care. The concept of vulnerability enabled the understanding of the complexity of the disease and its treatment, while indicating possible points of positive action. It becomes clear that health care, and specifically Tuberculosis care, demands an intersectoral interpretation and action. The study also revealed the extension of Tuberculosis arena, in the last decade, as the social worlds increased and became more diversified, intersecting this arena with others such as the national health system and HIV-Aids. Socialeconomical support to patients, an improved care of comorbidities, human rights, and other questions now integrate Tuberculosis agendas. This extension takes shape through an intense political work by everyone involved, redefining the disease. Although this is still a mild tendency, the people and the organizations are increasingly seing and acting on Tuberculosis as a biosocial phenomenon, and, by doing so, are also broadening the scope of health itself.
Description: Tese de doutoramento em Sociologia (Governação, Conhecimento e Inovação), apresentada à Faculdade de Economia da Universidade de Coimbra
Peer review: Yes
URI: http://hdl.handle.net/10316/28148
Appears in Collections:FEUC- Teses de Doutoramento

Files in This Item:
File Description SizeFormat 
TESE_Oriana_FINAL_impressao27agosto.pdf5.32 MBAdobe PDFView/Open


FacebookTwitterDeliciousLinkedInDiggGoogle BookmarksMySpace
Formato BibTex MendeleyEndnote Degois 

Items in DSpace are protected by copyright, with all rights reserved, unless otherwise indicated.